Para muitos, o Overkill é só mais uma banda de Thrash que soa praticamente igual em todos os álbuns. Bom, isso não é totalmente mentira, pois a banda vem sim soando parecida, usando a mesma fórmula, mas dizer que a banda é só mais uma, aí é para se discordar.

Os norte-americanos vêm trazendo o mais puro Thrash Metal desde os anos 80, e por mais que soe repetitivo para alguns, é inegável a qualidade da música feita pela banda.

Em 2010 a banda nos brindou com “Ironbound“, depois de assinar com a Nuclear Blast, e pode-se afirmar que é uma obra-prima, não só do Thrash Metal, mas do Metal em geral. “The Green And Black” já é uma bomba, começando com uma pequena intro de baixo, logo explode com aquela levada agressiva, uma das melhores composições do álbum, sem dúvidas.

O álbum merce alguns destaques individuais, como a performance do vocalista Blitz, que se mostra muito competente, uma das vozes marcantes do Thrash. O baterista Ron Lipnicki mostra uma técnica muito apurada, principalmente nos pedais duplos. O baixo sempre marcante de D.D. Verni é fenomenal, muito audível na mixagem. Já nas faixas, já citei a primeira, mas a faixa-título também é ótima, “Bring Me The Night” com seu refrão marcante também merece ser citada. Temos a mais “cadenciada” “The Head and Heart“, também “Killing For A Living” com seu poderoso riff, e “The SCR“, que tem outra sequencia de riffs espetaculares.

“Ironbound” com certeza deu um novo gás para a banda. De gravadora nova e com um petardo desses, ficaria impossível não renovar os ânimos. Com certeza um dos melhores trabalhos do Overkill, e um dos melhores álbuns de Thrash dos anos 2000.

Formação:
Bobby “Blitz” Ellsworth (vocal);
D.D. Verni (baixo, vocal de apoio);
Dave Linsk (guitarras, vocal de apoio);
Derek “Skull” Tailer (guitarras, vocal de apoio),
Ron Lipnicki (bateria).

Faixas:
01. The Green and Black
02. Ironbound
03. Bring Me the Night
04. The Goal Is Your Soul
05. Give a Little
06. Endless War
07. The Head and Heart
08. In Vain
09. Killing for a Living
10. The SRC