Todo primeiro disco de uma banda tende a estar distante do que ela será em seu ápice de qualidade. Isso se dá porque a banda necessita de tempo, labuta e amadurecimento para chegar onde ela pode. E esse é o caso de “Battalions of Fear”, primeiro disco do BLIND GUARDIAN, um dos nomes mais famosos do Power Metal alemão.

Em que pese o fato que a banda (que antes se chamava LUCIFER’S HERITAGE) ainda estar em estágio quase embrionário, já se percebe a pegada Power Metal do grupo, ainda meio bruta demais, ainda com claras influências de IRON MAIDEN e HELLOWEEN em sua fase mais inicial e crua. Aqueles corais melodiosos à lá QUEEN estão ausentes, pois a proposta da banda aqui é mesmo soar mais agressiva.

images-1

Kalle Trapp produziu, gravou e mixou o disco. E ele fez um bom trabalho, equilibrando peso, melodia e agressividade no disco, embora ainda soe muito cru (mas lembro-os que lidamos com um disco de 1988). O fator “tolkeniano” da banda ainda é restrito ao lado lírico, pois nem mesmo a capa do disco reflete o que conheceremos da banda alguns anos depois.

Em tudo, se percebe uma banda embrionária, já que a voz de Hansi ainda está longe do timbre que todos conhecem e adoram, nem de longe as partes de André e Marcus nas guitarras lembram os duetos que encantam os ouvidos em “Bright Eyes” ou “Imaginations from the Other Side”. A base rítmica já é sólida e pesada, embora não tão técnica e diversificada como ouviremos alguns discos adiante, mesmo porque na época Hansi tocava baixo e cantava ao mesmo tempo, o que o limita em muitos pontos. Mas lembrando: aqui está a banda em sua fase inicial, herdando músicas de seus tempos ainda como LUCIFER’S HERITAGE, e assim, ainda emersos nas influências musicais da época e carentes de maior expressividade em termos de personalidade musical.

Mas mesmo ainda distando tanto do que conheceremos em “Imaginations from the Other Side” ou “Nightfall in Middle-Earth”, já se percebe o potencial da banda em ser um grande nome, coisa que fica evidente em canções como “Majesty” (rápida e agressiva, mas com boas melodias nas guitarras), o belo trabalho de baixo e bateria de “Guardian of the Blind” (outra canção rápida, e embora o baixo tocado por Hansi não seja o ideal, já que ele toca e canta, está em bom nível), a instigante “Run for the Night”, além das pesadas e com algumas partes mais cadenciadas “Battalions of Fear” e “By the Gates of Moria”. Aqui se encerra o disco original de 1988, lançado em vinil. Mas o CD, de 1990, ainda tem de bônus a canção “Gandalf’s Rebirth”.

Um bom disco, verdade seja dita, mas bem distante do que os fãs do BLIND GUARDIAN conhecem de sua música.

https://www.youtube.com/watch?v=LALDRn4j1XI

 

Tracklist:

  1. Majesty
  2. Guardian of the Blind
  3. Trial by the Archon
  4. Wizard’s Crown
  5. Run for the Night
  6. The Martyr
  7. Battalions of Fear
  8. By the Gates of Moria
  9. Gandalf’s Rebirth

 

Banda:

images

Hansi Kürsch – Baixo, vocais

André Olbrich – Guitarras, backing vocals

Marcus Siepen – Guitarras, backing vocals

Thomen Stauch – Bateria

Encontre sua banda favorita