A banda de indie e rock Curry & Blankets, formada pelos músicos Gabriel Fagundes e Guilherme Franco, comemora nesta sexta-feira (14), a chegada do seu mais novo álbum de estúdio, “Dilemma”. O novo trabalho, que surgiu ainda em período de pandemia, agora já está disponível em todas as plataformas digitais. O lançamento também foi comemorado com um show inédito de lançamento, realizado ontem (13), em Porto Alegre.

O título auto resume o tema principal do álbum: Dilema. O álbum traz em suas composições questionamentos e inseguranças típicos da fase de transição da adolescência para a vida adulta. “Gostamos do conceito de que um álbum é um retrato de um período, como uma foto mesmo, e no nosso caso foi um tempo de muitas dúvidas em nossas vidas”, completa o duo.

Produzido inteiramente pela dupla, é um laboratório de misturas rítmicas e relatos de vida pessoal. A proposta dos artistas é transmitir um senso de urgência e um grito de socorro das pessoas que se sentem perdidas em um mundo novo e desconhecido. “Queremos transmitir a ideia de que essa vivência que passamos não é unicamente nossa, por mais que seja contada da nossa maneira, é comum a todas as pessoas”, eles ressaltam.

Curiosamente, “Dilemma” surgiu de forma inconsciente durante a pandemia, quando Gabriel e Guilherme se viram obrigados a retornar à sua cidade natal, São Gabriel, no interior do Rio Grande do Sul. Passando grande parte do tempo em casa, os músicos começaram a tocar juntos com frequência e perceberam que estavam compondo músicas novas, que tinham uma unidade sonora. São 7 músicas compostas e gravadas entre 2020 e 2022 a partir de uma série de eventos que só poderiam ter acontecido durante esse período.

O duo não se limitou apenas ao indie e rock, explorando também influências musicais brasileiras, como as músicas folclóricas do Rio Grande do Sul, o samba e o pagode, a guitarrada do Pará e a percussão da Timbalada. Essa mistura de influências foi se desenvolvendo naturalmente à medida que Gabriel e Guilherme compartilhavam suas composições. O fascínio pelos ritmos sincopados, característicos do Brasil, foi aumentando gradualmente, e eles encontraram uma maneira de incorporá-los em sua música.

“Todas as faixas desse EP são muito importantes para nós pois representam algo novo, um passo para o desconhecido. Além de ser um retrato de uma realidade, também representa nossa evolução pessoal e o desejo quase que ambicioso, de deixar para trás a imagem antiquada do rock da cara amarrada e da roupa preta. Queremos mostrar que os gêneros musicais e tribos podem se unir”, eles finalizam.

Foi um período de muita importância, pois diferentes experiências foram vividas, um processo criativo forçado pelas condições que o mundo vivia e que também afetou os amigos da banda, criando um ambiente muito propício para a criação. Rotina que tirou os dois músicos de suas vidas e o que pairava no ar era a dúvida. A certeza de que algo conciso estava se formando só veio tardiamente, inconscientemente a ideia do todo se formou