ABC do Metal: apresentamos 5 bandas com a letra T

by Flávio Farias

Escolhemos cinco bandas por letra, uma vez por semana, para que você possa aprofundar seus conhecimentos. Confira abaixo as bandas com a letra T:

TANKARD – SPEED/THRASH METAL – ORIGEM: ALEMANHA – FORMADA EM: 1982

Release: Em uma escola da cidade de Frankfurt, três colegas da mesma classe, Andreas Geremia, Axel Katzmann e Frank Thorwarth se juntaram no ano de 1982 para montar uma banda, que no primeiro momento se chamou AVENGER, depois VORTEX, até que chegaram ao nome TANKARD após uma consulta ao dicionário, Fizeram seu primeiro show em uma sala de aula, no ano de 1983 e por não poder consumir bebidas alcoólicas dentro da escola, eles de maneira criativa, esvaziavam caixas de leite e as enchiam com cervejas. Em 1984, a banda assinou com o selo “Noise Records”, depois passando por “Century Media”, “AFM Records” e no momento, eles estão sob contrato com a “Nuclear Blast”. Lançaram 17 álbuns, sendo “Zombie Attack”, de 1986, o primeiro e “One Foot in the Grave”, de 2017 o último lançamento. O álbum mais aclamado da banda é “Chemical Invasion”, de 1987, o segundo disco da discografia da banda. Eles afirmam ter criado um novo gênero, que eles intitularam “Alcoholic Metal” e se consideram os “Reis da Cerveja”, uma espécie de alusão/homenagem ao personagem folclórico finlandês Gambrinus, patrono não oficial da cerveja, É uma das bandas que formam o “The Big 4” do Thrash Metal alemão, juntamente com KREATOR, SODOM e DESTRUCTION,

Músicas de destaque: podemos destacar “Total Addiction”, “(Empty) Tankard”, “Don’t Panic”, “Die With a Beer in Your Hand”, “The Morning After”, “A Girl Called Cerveza”, etc.

Opinião do redator: O TANKARD é sem dúvida alguma, um dos maiores nomes do Metal germâmico e por esta banda eu tenho muito apreço, não só pela sua sonoridade Thrash Metal onde a velocidade é um item obrigatório, bem como por suas letras, cômicas e em sua maioria, exaltando a cerveja. É uma banda subestimada, é bem verdade, mas que tem a sua importância na cena, com seus quase 40 anos de carreira initerrupta.

Novidades: O quarteto segue em atividade e com uma apresentação agendada para o dia 18 de setembro, em Frankfurt. Mas a confirmação do evento depende da liberação das atividades que provoquem aglomeração de pessoas, por parte do governo alemão, e esta liberação, por sua vez, depende da queda do número de infectados pelo novo Coronavírus e da consequente liberação de eventos pelas autoridades alemãs.

TESTAMENT – THRASH METAL – ORIGEM: EUA – FORMADA EM: 1983

Release: Criado em 1983. na Califórnia, o TESTAMENT é uma das bandas precursoras do movimento Thrash Metal da Bay Area, Os guitarristas Eric Peterson e Derrick Ramires e o baterista Louie Clemente formaram a banda, que de início se chamou THE LEGACY. Após a entrada de Alex Skolnick, guitarrista que foi aluno de ninguém menos que Joe Satriani, em substituição a Derrick Ramires e a entrada de Chuck Billy, que veio a ocupar o lugar que outrora eta de SteveZetroSouza, que iria para o EXODUS, a banda se estabilizou e precisou mudar de nome, pois já havia outra banda homônima e que detinha os direitos. Então o nome TESTAMENT foi adotado. Em 1987, gravaram o primeiro álbum, o cultuado “The Legacy”, do qual SteveZetroSouza é creditado por escrever seis faixas. Após relativo sucesso nos anos 1980, a banda, bem como o Thrash Metal em si foram ofuscados por conta de outros movimentos musicais, mas em 1999, os caras voltaram com tudo no excelente “The Gathering”, Passaram pela banda nomes como James Murphy e Steve Smyth (guitarristas), Paul Bostaph, John Dette e Dave Lombardo (bateria), além do baixista Greg Christian. Hoje, a formação está estabilizada com Chuck Billy, Eric Peterson, Alex Skolnick, Steve DiGiorgio e Gene Hoglan. Lançou 12 álbuns de estúdio e até o ano de 2012, a banda tinha a marca de 14 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo.

Músicas de destaque: A banda é responsável por alguns clássicos do Thrash Metal como “Disciples of the Watch”, “Practice What You Preech”, “Trial by Fire”, “The Preacher”, “Souls of Black”, “DNR”, “3 Days in the Darkness”, “Elesctric Crown”, “Into the Pit”, entre tantas outras.

Opinião do redator: Como fã de Thrash Metal, eu não posso deixar de assumir a minha devoção pelo TESTAMENT. Acredito até que, ao ser criado o “The Big 4”, foi cometido uma injustiça muito grande, não só com a banda de Chuck Billy, mas também com outros nomes, como por exemplo, o DEATH ANGEL, ARMORED SAINT e o EXODUS, por exemplo. É inegável a grandeza e importância do TESTAMENT no cenário e certamente eles influenciaram as bandas que vieram depois. Eu tive a oportunidade de vê-los ao vivo em duas oportunidades e posso garantir que o poder de fogo dos caras nos palcos é incrível.

Novidades: A banda acabou de lançar seu décimo segundo álbum, o excelente “Titans of Creation”, que pôs fim a um jejum de 4 anos sem lançamento e certamente estrelará nas listas de melhores do ano,

TIME MACHINE – PROGRESSIVE METAL – ORIGEM: ITÁLIA – FORMADA EM: 1992

Release: No início dos anos 1990, os amigos Lorenzo Dehò (baixo) e Ivan Oggioni (guitarra) para montar uma banda com um som mais Progressivo e com letras que, no geral, tratam dos males que a religião exerce na sociedade. Sofreu diversas trocas na formação e no momento conta apenas com Lorenzo Dehò como membro original. A formação tem ainda o vocalista Marco Sivo, Gianluca Ferro e Gianluca Galli são os guitarristas e Siegfred Percich é o baterista. A banda se destacou durante os anos 1990, juntamente com outros nomes da cena Prog italiana, como o ELDRITCH, EVIL WINGS e BLACK JESTER, Tem quatro álbuns em sua discografia, com o debut, denominado “Act II: Galileo” tendo sido lançado em 1995 e o último play lançado no ano de 2004, “Reviviscence: Liber Secundus”, este que é considerado o auge da banda. O TIME MACHINE marcou presença em duas edições do festival “Gods of Metal” e em seu “currículo”, consta apresentação de abertura para o ANGRA em 1996, em Milão.

Músicas de destaque: “Behind the Cross”, “I Believe Again” (N. do R: esta conta com participação especial do nosso saudoso Andre Matos, que ficou grande amigo da banda desde os tempos em que ANGRA e TIME MACHINE tocaram juntos), “Eternity Ends”, “I, the Subversive Nazarene”, são algumas das músicas populares do grupo.

Opinião do redator: O TIME MACHINE é uma das tantas bandas que eu conheci através da extinta revista “Planet Metal”, lá no final dos anos 1990 (N. do R: o leitor que tem mais de 35 vai lembrar, já que não tínhamos ainda uma internet difundida como hoje e nem tampouco as plataformas de streaming), É uma banda que tem as suas qualidades e embora eu não seja tão fã assim, não posso deixar de reconhecer o talento e a importância que tiveram na cena, sobretudo na segunda metade dos anos 1990. Indicado para o fã de bandas como o DREAM THEATER, eles praticam um Prog Metal com direito a inclusão de instrumentos como o saxofone, por exemplo, e com elementos jazzísticos e de música flamenca em sua sonoridade, é uma ótima pedida.

Novidades: Poucas são as informações que temos sobre a banda, visto que eles não têm site oficial, nem perfil em sites como o Bandcamp, ou nas principais redes sociais, por exemplo. Mas segundo a versão em italiano da Wikipedia, a banda segue na ativa.

TUATHA DE DANANN – FOLK METAL – ORIGEM: BRASIL – FORMADA EM: 1994

Os mineiros do Tuatha de Danann. Banda é referÇencia quando o assunto é Folk Metal. Foto: divulgação

Release: Formada na cidade de Varginha, que ficou famosa pelo caso do “ET de Varginha”, nos anos 1990 (N. do R: quem tem mais de 30 anos sabe do que estou falando), o TUATHA DE DANANN inovou por trazer a fusão de ritmos como a música e cultura celta e irlandesa, se tornando pioneira no Brasil. O nome da banda foi inspirado em um grupo de personagens da mitologia escocesa e irlandesa, chamada Tuatha Dé Dannan, que, segundo essa mitologia, seriam o quinto grupo de habitantes da Irlanda. A banda ficou na ativa entre os anos de 1994 e 2012, retornando em 2013, permanecendo até os dias atuais. Lançou 4 álbuns de estúdio, sendo o primeiro datado de 2001, intitulado “Tingaralatingadun” e o mais recente, “Dawn of a New Sun”, de 2015. Em 2005, a banda fez sua primeira excursão fora do Brasil, se apresentando durante os meses de julho e agosto por diversas cidades da França e Alemanha. Hoje a banda se estabilizou como um power-trio, com Bruno Maia na guitarra, vocal, flauta, bandolim, banjo, Giovani Gomes no baixo, vocal e percussão e Edgard Britto no teclado. Para as apresentações ao vivo, a banda utiliza bateristas convidados.

Músicas de destaque: “Bella Natura”, “Trova di Danú”, “Believe: it´s True!”, “We´re Back, Tir Nan og (Land of Youth)” estão entre as faixas mais populares da banda.

Opinião do redator: Essa também faz parte do rol das bandas que conheci através da revista “Planet Metal”. Embora não seja o meu estilo preferido, admiro a técnica e criatividade dos músicos, que incorporaram ao bom e velho Heavy Metal elementos da cultura celta e irlandesa. Para quem curte esse tipo de som, eu super recomendo.

Novidades: A banda segue na ativa e como todas, ela também sofreu com os impactos da Covid-19. Mas em 2019, lançaram um EP, intitulado “The Tribes of Witching Souls” e foram a banda de abertura do ELUVEITIE, quando esta passou por terras brasileiras, também no ano passado.

TÝR – PROGRESSIVE/FOLK METAL – ORIGEM: ILHAS FAROE – FORMADA EM: 1998

Release: O TÝR foi formado em janeiro de 1998 nas Ilhas Faroe, por Heri Joesen (guitarrista e anos depois, seria também o vocalista) e o baterista Kári Streymoy, que voltariam a tocar juntos depois de certo tempo. O baixista Gunnar Thomsen completava o time. Três anos depois, a banda conseguia sucesso em seu país natal ao participar com a faixa “Ormurin Langi”, no festival bianual “Prix Føroyar”. A música entrou na coletânea do festival, chamada “Prix Føroyar 2001” e se tornou o maior Hit da história da terra natal deles, tendo inclusive, chegado à Islândia em 2002 e ampliando o nome da banda para fora de suas fronteiras. Lançaram 8 álbuns desde então e no momento a formação da banda estabilizou-se como um Power-Trio com os fundadores Heri Joesen e Gunnar Thomsen. Completando o time, o baterista Tadeusz Rieckmann. Um dos nomes que passaram recentemente pela banda foi o guitarrista húngaro Attila Vöros, que fez parte da última formação do NEVERMORE, tendo como parceiro ninguém menos do que Jeff Loomis. Suas letras são tanto em inglês, quanto em sua língua-mãe, o dinamarquês. Um ponto a se destacar é a posição anti-racista do grupo, o que é louvável em tempos de intolerância em nível global.

Músicas de destaque: “Blood of Heroes”, “Hold the Heatehen Hammer High”, “Ragnars Kvæði” . “Hel Hath no Fury”, “Fire and Flame” e a já citada “Ormurin Langi”, são algumas das músicas mais populares da banda.

Opinião do redator: Conheci a banda há pouco tempo, não me tornei um fã incondicional, mas achei muito interessante a misura de elementos folk ao som, que viaja entre o Power e o Prog, estilos que não raramente andam juntos. As músicas são bem produzidas e o que é melhor, bem executadas, agradando o fã que curte um tipo de música mais elaborada, sem perder o peso e a energia do Metal.

Novidades: A banda segue em atividade, lançou o álbum “Hel” no ano passado e como todas as bandas segue impossibilitada de seguir em turnê, devido a pandemia do novo Coronavírus.

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish