O Wheels of Confusion vem se destacando por mesclar com uma qualidade ímpar, elementos de Heavy e Stoner, gerando assim uma sonoridade forte e empolgante. Recentemente a banda lançou seu single de estreia, “The Sound of a Brazen Bell”, e no momento está preparando uma nova música, “Black Sky Coming Down”, para lançamento em breve. Formada por músicos com ótimos serviços prestados na cena do Sul do Brasil, tivemos a oportunidade de conversar com um deles, o baterista Bruno Neves, que nos contou um pouco a respeito de sua história na música pesada, e de como surgiu o convite para fazer parte do Wheels of Confusion.

Quando descobriu a bateria e se interessou pelo instrumento?

A bateria surgiu cedo na minha vida, através da influência familiar. Aos 5 anos, tentava executar músicas dos Ramones e AC/DC quando via os clipes na MTV, e fui aprendendo sozinho, até que iniciei aos 6 anos de idade os estudos com um professor.

Quais bandas e projetos você já participou e quantos registros já gravou como músico profissional?

 Como um músico profissional hoje no Brasil, é inevitável ter que participar de diversos projetos e bandas para poder ter um bom retorno. Houve épocas em que estive em 8 bandas ao mesmo tempo, sendo vários tributos, covers e algumas autorais. Em estúdio tenho registros de singles, discos e alguns clipes. Destaco o vinil “A máquina está grávida” lançado com os Bardos da Pangeia em 2018 e o EP “You” lançado com a Elixir Inc. em 2019 (produção com Adriano Daga e mix e master com Brendan Duffey), ambos com clipes disponíveis no YouTube e músicas nas plataformas digitais. Hoje, participo e gravo diversos projetos, mas a minha banda de trabalho é a Elixir Inc.

Como baterista, quais são suas grandes influências musicais e quais músicos você se inspira?  

Hoje me influencio por tudo que escuto, seja rock, pop, reggae, mpb, eletrônico até o metal! Ouço desde Pink Floyd, até música nativista gaúcha e metal extremo. Eu sou um grande fã do clássico e as minhas maiores referências passam por John Bonham, Keith Moon, Buddy Rich, Nicko McBrain e Lars Ulrich. Algumas influências nacionais que me inspiram posso citar Cláudio Infante, Kiko Freitas e no metal a nova “safra” com Bruno Valverde e Eloy Casagrande! Vale destacar também o Aquiles Priester, com quem pude estudar e é uma grande referência no quesito profissional da carreira.

Qual set de bateria você costuma usar para gravações e shows? Se existir diferenças entre um e outro, mencione elas e os motivos que o fazem escolher diferentes instrumentos para gravar e tocar.

Não tenho um set definitivo, procuro adaptar ele para cada projeto respeitando as necessidades musicais. Em estúdio procuro explorar sonoridade, já ao vivo, tento mesclar a sonoridade e também um visual bacana para quem está assistindo e é entusiasta da bateria como eu. Meu set ao vivo hoje com a Elixir é uma bateria luthier, feita sob medida, baseado em baterias antigas de rock, bumbo 24” e tambores grandes mesclados com outros sem pele de resposta. Em estúdio, exploro peles diferentes, tamanhos e medidas diferentes e claro que ajusto o set pensando na microfonação ideal para aquele projeto.

Como surgiu o convite para integrar o Wheels of Confusion?

O Felipe Carlesso, que é o idealizador do projeto, dividiu os palcos comigo num projeto cover de Motorhead chamado “Aftershock”. Desde então mantivemos contato e o Felipe me mostrou as demos desse projeto, que achei muito legal e já topei na hora.

Qual sua contribuição como compositor e arranjador musical na banda?

As demos já estavam bem encaminhadas quando entrei em estúdio, mas como em todo trabalho em equipe, surgiram situações em que tive ideias e sugestões de alteração conforme a coisa foi tomando forma. O arranjo de bateria foi todo elaborado em estúdio, por mim, já que o Felipe deu essa liberdade.

Após o lançamento do primeiro single “The Sound of a Brazen Bell”, o que você pode revelar aos fãs que está sendo preparado musicalmente pelo Wheels of Confusion?

O EP conta com músicas bem diferentes uma das outras, então com certeza o público vai se contentar com o quesito novidade nas próximas músicas. A sonoridade também está muito legal, em conjunto com o Matheus Carrer no Cosmic Music tiramos um som de bateria excelente.

Pra encerrar deixe uma mensagem para o leitor que ainda não conhece os seus trabalhos!

Procurem meu canal no YouTube: “Bruno The Last Neves Drummer”, onde tenho alguns drum covers e vídeos de gravações.  Outro projeto que gravo e faço mixagem e masterização, é uma banda de Collab surgida na pandemia e tem bastante material bacana com rock e metal progressivo: “ProgRam Music Productions”. E claro, pesquise Elixir Inc. nas plataformas digitais e mídias sociais, tem bastante material sendo produzido mesmo em período de pandemia!

Instagram:
@essebrunoneves
@elixirincorporated
@program.music
@wheelsofconfusionproject

Recentemente o Wheels of Confusion lançou o single “The Sound of a Brazen Bell”. A música já se encontra disponível nas plataformas de streaming, podendo ser ouvido no link abaixo.

Para se manter informado das novidades do Wheels of Confusion, fique ligado nas redes sociais da banda.

Wheels of Confusion é:

Felipe Carlesso (guitarras e baixo)

Vinicius Durli (vocais)

Bruno Neves (bateria)

Vini Tonello (teclado)

Mais informações:

Instagram: https://www.instagram.com/wheelsofconfusionproject/

Facebook: https://web.facebook.com/Wheels-of-Confusion-107066904552300

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC89GZDfnTrXP70xGGwGHW_Q?guided_help_flow=5

Encontre sua banda favorita