A banda Volúpia surgiu se uma reunião de amigos que eram apaixonados pelo Heavy Metal nos anos 80. A primeira formação foi em 1985 e era um power-trio formado por Victor Rosa (guitarra), Gustavo Canals (baixo) e César Louis (bateria). A necessidade de ter um vocal fez com que Alexandre Torres entrasse na banda. Em seguida, uma segunda guitarra era necessária e Ricardo Lampert assumiu o posto. A banda então ficou com 5 integrantes: Alexandre Torres (vocal), Victor Rosa e Ricardo Lampert (guitarras), Gustavo Canals (baixo) e César Louis (bateria). Nessa formação fez o seu show de estreia num festival estudantil no Colégio Santo Antônio e em seguida tocou no IPA (Instituto Porto Alegrense).

No final de 1985, Alexandre Torres saiu da banda e é substituído por Gérson Leal. Em 1986, a Banda Volúpia gravou uma participação no LP do IV FEMUVI (Festival da Música Viamonense) e também participou do Festival da UGES (União Gaúcha de Estudantes). A banda Volúpia foi a única banda classificada com 2 músicas entre as 20 finalistas do festival e teve “Rebelião” na segunda colocação geral. A banda seguiu participando de festivais estudantis até que por volta de 1987, Victor Rosa resolve deixar a banda e, logo em seguida, Gérson Leal também se retira voltando a banda a se tornar um power-trio instrumental com Ricardo Lampert (guitarra), Gustavo Canals (baixo) e César Louis (bateria).

Em 1988, Marco Canto (ex-Spartacus) é chamado para os vocais. O show de estreia ocorreu no Festival do Colégio Santo Antônio e em seguida a banda tocou no teatro da PUCRS e no lendário auditório Araújo Viana em Porto Alegre. O ingresso de Marco Canto provocou uma mudança no estilo musical da banda. Do tradicional Heavy Metal, que caracterizou a fase inicial, a banda passou a tocar um Hard Rock, característica essa presente nas novas composições da banda como “Brilho de Luz”, “Rolando no Asfalto” e “Filme Antigo”. Em 1989, Ricardo Lampert deixa a banda e Márcio Superti assume o seu lugar nas guitarras. A banda seguiu tocando até que, no final de 1989, resolveu terminar. Houve uma tentativa de retorno em 1990 com dois novos integrantes (Álvaro Balaca nos vocais e Marcelo Cougo no baixo). O fato curioso desse período foi que a banda ensaiava junto com outras bandas no porão da Igreja Nossa Senhora da Glória em Porto Alegre, cujo padre permitia que bandas de metal ensaiassem lá. Alguns meses depois, a banda Volúpia encerrou definitivamente as atividades depois de praticamente 5 anos na ativa.

Em 2016, após vários contatos entre César Louis e Ricardo Lampert, e tendo como motivo principal a participação no livro “Tá no Sangue: a História do Rock Pesado Gaúcho” a banda decidiu se reunir novamente. Algumas alterações foram feitas e Ricardo Lampert assume o baixo no lugar de Gustavo Canals que decidiu não retornar. A banda então retornou as atividades 26 anos depois com a seguinte formação: Marco Canto (vocal), Márcio Superti (guitarra), Ricardo Lampert (baixo) e César Louis (bateria).

 

Mais informações:

Facebook: https://www.facebook.com/BandaVolupia/