A primeira semana de Junho foi um tanto movimentada para a banda americana de metalcore The Ghost Inside, além de tudo que já está naturalmente complicando a vida de bandas e músicos mundo a fora.

Como você acompanhou nesse post, os últimos anos têm sido cheios de reviravoltas na vida dos membros da banda e, recentemente, haviam lançado o single “Aftermath” contando esta história, o que aumentou exponencialmente o hype pelo próximo lançamento completo da banda.

Clipe do single “Aftermath”, presente no álbum “The Ghost Inside”

No último dia 05, sexta-feira, finalmente a banda lançou “The Ghost Inside“, seu primeiro álbum desde 2014 e após o trágico acidente envolvendo a banda em 2015. Confira abaixo o álbum completo:

Álbum “The Ghost Inside”, lançado dia 05/06/2020

No dia seguinte, dia 06/06, a banda postou uma nota oficial em suas redes sociais onde anuncia o desligamento do baixista Jim Riley da banda por supostas falas racistas feitas por ele no passado, mas que haviam sido ignoradas pela banda como um boato até o momento. Confira a postagem abaixo:

https://www.instagram.com/p/CBGuWFBnSfh/

The Ghost Inside nasceu de uma cena com visão de futuro, compreensão e progressividade. Nossa música e mensagem sempre foi de esperança e encontrar a luz no fim do túnel. Racismo e intolerância de qualquer tipo reprime essa jornada até a luz. Ela fecha e tranca portas que precisam ser arrombadas.

Nós decidimos nos separar do baixista Jim Riley. Mesmo que não tenhamos ouvido essas palavras ditas diretamente de sua boca, nós ouvimos comentários sobre o incidente. Na época pensamos que era só um rumor, mas ofendeu e machucou uma comunidade. Uma comunidade que nós deveríamos unir. Nós deveríamos ter falado disso lá atrás, mas não fizemos, devíamos ter cavado mais fundo. Nós reconhecemos que ficamos em silêncio. Estamos nos auto educando e crescendo e aprendendo como indivíduos. Estamos aqui para dizer que a banda condena completamente racismo e apoia a comunidade negra na luta contra o racismo estrutural.

The Ghost Inside

Toda a situação envolvendo Jim Riley se iniciou em 2015, quando supostamente ele usou a “N-word” (palavra em inglês que é usada por brancos pejorativamente contra negros) para se referir a um motorista de ônibus que guiou a banda em uma de suas turnês. Na época, Rashod Jackson, baterista da banda Bracewar postou um tweet sobre o assunto, atacando diretamente Jim Riley, porém, ao que parece, ninguém deu muita atenção e o assunto foi enterrado.

https://twitter.com/painfulxbliss/status/1268919795778490368?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1268920976353394691&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.altpress.com%2Fnews%2Fthe-ghost-inside-jim-riley-accused-of-using-a-racial-slur%2F
Print do tweet de Rashod Jackson em 2015 em relação ao ocorrido

No entanto, no dia 04/06, a banda lançou uma linha de merch especial com a alcunha “O que você defende?”, a qual teria 100% de seus lucros destinados para a Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP), em apoio à causa negra devido a todo movimento Black Lives Matter após o assassinato de George Floyd nos EUA.

“Estamos olhando no espelho e perguntando o que defendemos. Amanhã nosso novo álbum será lançado. Isso esteve sendo movimentado por meses – os pacotes estão literalmente no correio. Mas não podemos ignorar o que está acontecendo ao nosso redor e fingir que é normal.”

Rashod Jackson, então, compartilhou a postagem ironizando o ocorrido em 2015:

https://twitter.com/RashodJackson/status/1268745821010485249?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1268745821010485249&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.altpress.com%2Fnews%2Fthe-ghost-inside-jim-riley-accused-of-using-a-racial-slur%2F
“Isso é fofo. Vocês realmente vão agir como se o escr*to do baixista de vocês não tivesse chamado o seu motorista de ônibus de ***** aquela vez? Eu não esquecerei dessa m*rda”

À medida que outras pessoas foram respondendo ao tweet, algumas dando mais detalhes sobre o assunto e outras criticando Jackson por acharem que ele estava zombando da causa Black Lives Matter, a pressão sobre Riley para ele se pronunciar foi aumentando.

No dia 05, finalmente, Riley pronunciou-se sobre o assunto no Twitter:

Rashod chamou minha atenção em 2015. Liguei para ele, ele realmente me deu uma bronca, eu mereci e me desculpei com ele. Ele me disse que isso não era suficiente e ele estava certo. É completamente vergonhoso. Eu me apresento como alguém que se importa com ideias e movimentos progressistas, mas não estava vivendo isso.

Por causa daquela conversa eu tive que dar uma grande olhada no espelho e reconhecer o monte de besteira que eu estava vendendo. Eu dei muitas desculpas por ter sido criado sem exposição à experiência negra, e eu deveria ter agido melhor. Eu fiz um esforço consciente para me livrar dessas coisas sobre mim que ainda são péssimas quando lembro, e de sempre lembrar que sou apenas um passageiro na vida de alguém em qualquer movimento relacionado a vidas negras

Me desculpe. Eu sei que isso não é suficiente. Eu vou continuar trabalhando. Isso ainda não deve ser suficiente. Vou fazê-lo mesmo assim.

Jim Riley, em sua conta do Twitter

No entanto, Rashod Jackson respondeu ao tweet de Riley, criticando sua postura mesmo com o pronunciamento:

https://twitter.com/RashodJackson/status/1269025395598331904?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1269025395598331904&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.altpress.com%2Fnews%2Fthe-ghost-inside-jim-riley-accused-of-using-a-racial-slur%2F
“Ei covarde… me mencione. Peça desculpas a MIM. Peça desculpas à p*rra do meu POVO. Você foi um covarde na época e mais covarde ainda agora. Enquanto você estiver nessa banda, eu vou garantir que você NUNCA MAIS toque um show. Guarde minhas palavras”.

Em outros tweets, Jackson justificou que somente um “me desculpe” não é suficiente quando se trata de racismo e que, aos que estavam ainda se questionando se realmente Riley havia feito o que foi relatado, pediu que se educassem e passassem a ser parte da solução e não do problema, que nunca se deve questionar uma pessoa de cor quando se trata de racismo.

Após isso, no mesmo dia, a banda se pronunciou, desligando Jim Riley. Por enquanto a banda ainda não anunciou um novo membro para seu lugar.