Hoje é dia de Tá Na Letra! No Tá Na Letra você fica por dentro de interpretações sobre o significado das músicas. Claro que interpretações distintas são válidas, afinal, a arte não possui verdade absoluta e cada um entende a mensagem de uma forma. Aqui nesta série tentamos colocar apenas mais uma possível compreensão da música. A música de hoje é Vossa Excelência da banda Titãs.

No Tá Na Letra você fica por dentro de interpretações sobre o significado das músicas. Claro que interpretações distintas são válidas, afinal, a arte não possui verdade absoluta e cada um entende a mensagem de uma forma. Aqui nesta série tentamos colocar apenas mais uma possível compreensão da música.

Titãs é uma banda de rock nacional fundada em São Paulo no ano de 1982. Mesmo tendo passeado por vários estilos ao longo das décadas de existência, a banda é essencialmente de Rock Alternativo, trazendo várias vertentes do Rock durante sua carreira. A banda já teve influências do Punk e do Rock N’ Roll, como no aclamado Cabeça Dinossauro (1986), mas também já experimentou fases mais voltadas para o New Wave, como no início da carreira e mais voltadas para o Pop Rock (anos 90 e 00).

A banda sempre aborda temáticas diferentes em seus mais variados trabalhos. O grupo passou por diversas formações ao longo dos anos e já passaram por lá grandes nomes da música nacional como: Arnaldo Antunes e Nando Reis. Atualmente a banda é composta por: Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Belotto.

No texto de hoje teremos a terceira música nacional escolhida para a série. Ela se chama Vossa Excelência, é dos Titãs e encontra-se no álbum MTV ao Vivo, de 2005.

Vossa Excelência

Estão nas mangas dos Senhores Ministros
Nas capas dos Senhores Magistrados
Nas golas dos Senhores Deputados
Nos fundilhos dos Senhores Vereadores
Nas perucas dos Senhores Senadores

Senhores! Senhores! Senhores!
Minha Senhora!
Senhores! Senhores!

Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Senhores! Corrupto! Ladrão!

Sorrindo para a câmera
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmeras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!

Estão nas mangas dos Senhores Ministros
Nas capas dos Senhores Magistrados
Nas golas dos Senhores Deputados
Nos fundilhos dos Senhores Vereadores
Nas perucas dos Senhores Senadores
Senhores! Senhores! Senhores!
Minha Senhora!
Bandido! Corrupto
Senhores! Senhores!

Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão!

-“Isso não prova nada
Sob pressão da opinião pública
É que não haveremos
De tomar nenhuma decisão
Vamos esperar que tudo caia
No esquecimento
Aí então!
Faça-se a justiça!”

Sorrindo para a câmera
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena

Sorrindo para as câmeras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!

-“Estamos preparando
Vossas acomodações
Excelência!”

Filha da Puta!
Bandido! Senhores!
Corrupto! Ladrão!

Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!

Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!

Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!

A música é bem direta e certeira em seu tema: corrupção no meio político. Ela chega sem “papas na língua” e retrata toda uma indignação de uma população cansada de ser roubada e que ainda tem esperança de que, um dia, a justiça seja feita e que os políticos que cometeram crimes sejam presos.

Além de tal indignação, falas repetidas de políticos aparecem no meio da música, onde tentam se livrar das punições que deveriam ser impostas a eles, dizendo que “isso não prova nada” e afins.

Há ainda uma terceira parte que pode ser interpretada como uma frase irônica: “Estamos preparando vossas acomodações, Excelência”, que pode ser interpretado como as acomodações de uma cadeia, por exemplo, lugar onde, segundo a música, deveriam estar.

Voltando ao início, a música relata que a corrupção está na maioria dos políticos, independente de qual cargo exerçam: de vereadores a ministros, passando por todos os outros, em todo o lugar há a corrupção. A música segue e o seu refrão é bem contundente, onde mostra a reação de uma população totalmente insatisfeita e indignada com seus representantes. Seu ápice é quando o refrão simula uma manifestação onde a população profere xingamentos aos seus representantes, tamanha é sua indignação perante as falcatruas que os mesmos insistem em cometer em seus trabalhos.

Em seguida, a música retrata a observação de uma população que não é mais enganada como já fora no passado e que já sabe o que é praticado nesse trabalho público dos políticos. A letra fala de sorrisos e choros diante das “câmeras”, mostrando a insistência dos políticos ao tentarem enganar o povo. Este trecho encerra-se com “Um dia o sol ainda vai nascer quadrado”, apresentando a esperança que a população tem de que um dia a justiça seja feita e que os que cometeram tais crimes, paguem na prisão.

A letra da música é uma repetição, apresentando a indignação da população, “martelando” as mesmas palavras para que a mensagem seja muito bem fixada, tanto para o povo, quanto para os políticos.

A letra dela, apesar de ter 13 anos desde sua primeira gravação, ainda é perfeita para os dias atuais, tendo em vista que a população ainda espera a justiça ser feita e espera ver esses políticos que praticam a corrupção e roubam o dinheiro da população, sendo presos.