Em uma recente entrevista para uma rádio de Miami, o guitarrista Kerry King deu algumas declarações sobre seus prognósticos a respeito do fim do Slayer. Questionado se ao montar a banda em 1981 ele ainda estaria na ativa depois de 35 anos, King foi categórico:

“Decididamente não, porque, naquela época, o termo ‘velho’ tinha um significado diferente. ‘Velho’ era a pessoa com 55 anos e eu já passei essa idade e não me sinto velho. O corpo dói mais do que quando eu tinha 25 anos, mas os shows do Slayer ainda são épicos. Se o Jeff estivesse velho ele falaria que a gente fazia por garotas e cerveja. E eu não tomava cerveja então eu só fazia pelas garotas”.

E sobre qual o capítulo final do Slayer, King complementa:

“Eu não tenho um fim de jogo em mente. Tendo dito isso, eu também não quero morrer no palco. A boa notícia é que nós temos sete ou oito músicas sobrando do último álbum. As letras não vão mudar as músicas. Elas estão feitas, gravadas, com o som do ‘Repentless’. Nós temos muitas coisas e agora é achar um tempo pra entrar no estúdio novamente. A gravadora já está me pedindo isso mas eu não vejo isso acontecendo até o fim do ano que vem ou começo do ano seguinte”.

Encontre sua banda favorita