O veterano músico britânico Roger Waters se defendeu das críticas sobre seus shows na semana passada em Berlim, durante os quais o ex-líder do Pink Floyd exibiu um simbolismo nazista e fez o que algumas pessoas descreveram como comentários ofensivos sobre a vítima do Holocausto, Anne Frank. Durante os shows na Mercedes Benz Arena, Waters apareceu no palco como o personagem Pink, da ópera rock The Wall, durante uma apresentação da música “In The Flesh”, vestindo um sobretudo de couro preto com uma braçadeira vermelha com dois martelos cruzados em vez de uma suástica. Posteriormente, foi relatado que Waters estava sob investigação por possível incitamento pela polícia alemã, além de possivelmente ter cometido abuso de marca registrada pelo uso do nome de Frank sem o consentimento da Fundação Anne Frank, que registrou o nome. Waters projetou o nome de Frank em uma tela gigante durante os shows, junto com vários outros nomes de figuras contemporâneas, incluindo George Floyd e Shireen Abu Akleh. Em um comunicado postado por Waters, nesta sexta-feira, 26 de maio, ele disse:

"Minha atuação recente em Berlim atraiu ataques de má-fé daqueles que querem me difamar e me silenciar porque discordam de minhas opiniões políticas e princípios morais. Os elementos de minha performance que foram questionados são claramente uma declaração em oposição ao fascismo, injustiça e fanatismo em todas as suas formas. As tentativas de retratar esses elementos como algo mais são dissimuladas e politicamente motivadas. Tem sido uma característica dos meus shows desde 'The Wall' do Pink Floyd, em 1980. Passei minha vida inteira falando contra o autoritarismo e a opressão onde quer que os veja. Quando eu era criança depois da guerra, o nome de Anne Frank era frequentemente falado em nossa casa, ela se tornou um lembrete permanente do que acontece quando o fascismo é deixado desmarcado. Meus pais lutaram contra os nazistas na Segunda Guerra Mundial, com meu pai pagando o preço final. Independentemente das consequências dos ataques contra mim, continuarei a condenar a injustiça e todos aqueles que a cometem."

Simon Wiesenthal Center criticou os shows em Berlim e pediu que as autoridades alemãs processassem Waters por invocar e distorcer imagens do Holocausto. Um tweet do SWC declarou:

"Que vergonha para as autoridades de Frankfurt e a Mercedes Benz Arena em Berlim - um lugar de onde os judeus foram deportados pelos nazistas - por fornecer ao anti-semita #RogerWaters este local para seu show sem preocupação/cuidado com a comunidade judaica".

O porta-voz da polícia de Berlim, Martin Halweg, disse mais tarde ao The Guardian que a polícia na Alemanha iniciou uma investigação criminal sobre Waters por causa do uniforme de estilo nazista que ele usava nos shows de Berlim. Enquanto uniformes nazistas, bandeiras e outros símbolos são proibidos na Alemanha, Waters está sendo investigado sob uma lei separada de “incitação do povo”.

Assista abaixo um vídeo trazendo a performance de Roger Waters no show realizado em Berlin:

https://youtu.be/UE3zyMpxN3Y

Crédito da foto de capa: https://purepop.com.br/

Fonte: Blabbermouth.net

“Baixe nosso aplicativo na Play Store e tenha todos os nossos conteúdos na palma de sua mão.
Link do APP: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.roadiemetalapp
Disponível apenas para Android”

Encontre sua banda favorita