Hoje teremos mais uma edição do quadro “Roadie Metal na Fronteira do Desconhecido”, que tem o intuito de trazer mais informações sobre os mais diferentes subgêneros existentes, de forma a tirar dúvidas sobre estilos pouco conhecidos, acabar com informações enganosas sobre outros, ou simplesmente indicar algumas bandas para quem quiser se aventurar em gêneros novos. O quadro vai ao ar toda quarta-feira!

Na edição de hoje, falaremos sobre o Red and Anarchist Black Metal!

História

Red and Anarchist Black Metal, ou em sua forma abreviada RABM, é um termo genérico para descrever qualquer projeto de Black Metal com ideologias de esquerda e ambientalista, como comunismo, anarquismo, socialismo e o anarquismo verde.

Esse tipo de ideologia política mais à esquerda não costuma ser muito comum no mundo do metal, sendo relevante no Grindcore, Crust, Punk e Hardcore, mas com o crescimento cada vez maior de ideologias de extrema direita, principalmente o fascismo e o nazismo em muitas bandas de Black Metal, criando um sub gênero dentro do estilo, fez-se mais que necessário aparecerem várias bandas, selos e gravadoras voltadas ao movimento contrário, ou seja, tentando levar para os ouvintes do metal extremo alguns temas que até então não costumavam ser muito comum no gênero.

O termo Red and Anarchist Black Metal é novo, mas pode ser rastreado já em 1997 com a banda Profecium da Argentina com o lançamento do álbum “Socialismo Satánico”, alguns nomes das músicas nesse álbum já mostram que a Profecium não cai no senso comum de 10 entre 10 bandas de Black Metal dos ano 90, que em todas letras apenas bradam um Hail Satan, eles contestam a sociedade contemporânea em músicas como “Proletarios Uníos”, “Cruz Fascista”, “Terrorismo de Estado” e “Impalando Burgueses”, mas não deixam as influências do satanismos de lado.

Após o lançamento de “Socialismo Satánico a banda se separou em 1998, voltando em 2014 para o lançamento de dois novos álbuns “Ensayo de Victoria” e “En Los Albores de la Extionción Humana”.

Características

As características musicais das bandas Red and Anarchist Black Metal são as mesmas do Black Metal, o que caracteriza o estilo são as letras, que diferente do Black Metal, não ficam preso apenas ao satanismo, que muitas vezes se mostram algo bem infantil, as bandas RABM prezam por letras mais politizadas buscando levar aos apreciadores uma a maior conscientização em temas como luta de classes, exploração do trabalho, ecologia, etc.

Muitas bandas que praticam o Red and Anarchist Black Metal tem evitado participar de festivais em boicote a participação de bandas ligadas a movimentos neonazistas, mas bandas como Dawn Ray’d passou a tocar em diversos festivais levantando a bandeira antifascista.

Cena Brasileira

No Brasil, algumas bandas podem ser consideradas como membros desse gênero libertário no Black Metal,  Nuclear Frost, de São Paulo, Corubo, de Ji-Paraná- Rondônia que aborda principalmente o massacre sofrido pelos povos indígenas, Nunca, de Araras-SP, Hereticae, de Londrina-PR, Tiffo e Pessimista, ambas de São Paulo, além de diversas outras bandas e que vem aumentando cada vez mais.


Bandas e álbuns indicados

Entre as principais bandas dentro do Red and Anarchist Black Metal atualmente, podemos citar Dawn Ray’d e Panopticon.

O Dawn Ray’d foi formado em Liverpool, Inglaterra, em 2015, lançaram no mesmo ano o EP “A Thorn, A Blight”, em 2017 lançaram  o álbum “The Unlawful Assembly” e em 2019 “Behold Sedition Plainsong”. Suas músicas possuem bastante passagens com violino e suas letras são focadas na luta de classes e no antifascismo.

Panopticon surgiu em 2007 no estado do Kentucky, nos EUA, tem bastante influência do Folk Metal americano, em suas letras abordam temas como natureza, história do trabalho, política, filosofia e paganismo. Possuem uma extensa discografia com 10 álbuns, o mais recente lançamento foi o “Live Migration”, de 2020. Os álbuns mais indicados para conhecer a banda são “Kentucky”, lançado em 2012, “Roads To The North” (2014) e Autumn Eternal” (2015).


Outras bandas indicadas

Ancst
Iskra
Feminazgûl

Na playlist abaixo você pode (deve) ouvir, além das bandas aqui citadas, muitas outras bandas, são quase 2 mil músicas e mais de 170 horas de som

Encontre sua banda favorita