Roadie Metal Cronologia: My Dying Bride – 34.788%… Complete (1998)

by Jessica Mar

“34.788%… Complete” é o quinto álbum de estúdio da banda de doom metal My Dying Bride, lançado em 1998 pela Peaceville Records. Como todo álbum, este possui algumas curiosidades importantes: O álbum foi dedicado à memória de Richard Jackson, pai do baixista Adrian e a versão japonesa apresenta a faixa bônus “Follower”, que também está no digipak de relançamento de 2003 do álbum.

Falando sobre a banda em si, eu gosto muito do estilo Doom Metal, mas nunca parei para ouvir com calma My Dying Bride, que ao lado de bandas como Anathema e Paradise Lost – que eu adoro – é um precursor do gênero death/doom metal. Ouvindo atentamente este álbum, que me despertou muito interesse, pode ser que algum dia eu pare para ouvir os outros. além disso, a voz do vocalista Aaron Stainthorpe me lembrou muito a do Billy Corgan, do Smashing Pumpkins.

Três coisas chamaram minha atenção neste disco: A mistura na composição com referências ao trip hop e elementos eletrônicos, um ar sombrio e distorcido, melodias flutuantes do teclado, os vocais de Aaron são limpos e melódicos, às vezes distorcidos e acompanhados dos vocais femininos dando uma sensação obscura da atmosfera. Não posso deixar de citar os riffs marcantes e característicos junto da batida do baixo.

A outra coisa que me chamou atenção foi o nome do disco, que foi derivado de um sonho que o guitarrista Calvin Robertshaw teve, onde disseram a ele que a raça humana tinha uma vida útil limitada na Terra, onde 34,788% dos já haviam expirado – como eu gosto dessas coisas bizarras. Este álbum em si caiu como uma luva para mim, nesta cronologia.

E por fim, as letras… Este álbum chamou atenção na época pela primeira faixa “The Whore, the Cook and the Mother”, baseada no método de simulador de entrevistas do filme “Blade Runner” (Mas com a voz do Aaron, em um momento em que ele estava sendo entrevistado) e com incríveis 12 minutos de duração com o vocal arrastado e intenso. “Heroin Chic” com uma viagem louca de quem usa substâncias ilícitas sendo apresentada com o Aaron semi-recitando indiferentemente por toda parte, sem realmente cantar com aquele vocal feminino por trás como se fosse o efeito da droga na cabeça – repare nas batidas que lembram a música “Bela Lugosi’s Dead”. “Base Level Erotica”. Além das outras músicas com letras bem psicodélicas com uma pitada de pornografia junto a essas melódias bizarras do álbum.

A banda apostou em acrescentar um estilo diferente neste disco, totalmente contrário do que os fãs estavam acostumado, tiveram críticas negativas e decidiram não continuar com esse método nos álbuns seguintes. Toda banda tem um álbum desses: fracasso criticado comercialmente e pelos fãs, mas eu, Jéssica Mar, gostei bastante desse mix de bizarrices. Tudo se encaixou bem neste trabalho e ele merece sim um lugar na sua estante de coleção.

Faixas:

01. The Whore, The Cook And The Mother
02. The Stance Of Evander Sinque
03. Der Überlebende
04. Heroin Chic
05. Apocalypse Woman
06. Base Level Erotica
07. Under Your Wings And Into Your Arms
08. Follower [Japanese bonus]

Formação:

Aaron Stainthorpe (Vocal)
Andrew Craighan (Guitarra)
Calvin Robertshaw (Guitarra)
Adrian Jackson (Baixo)
Bill Law (Bateria)

  • 8.5/10
    My Dying Bride - 34.788%... Complete (1998) - 8.5/10
8.5/10

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish