Após a separação do Mercyful Fate em 1985 devido a divergências musicais entre os integrantes e Hank Shermann, que queria levar a banda a um direcionamento comercial, cada um dos membros cuidou de projetos pessoais. O próprio Shermann fundou a banda Fate, onde gravou dois álbuns de estúdio antes de se juntar novamente a Michael Denner na banda Lavina em 1988. Esta banda foi fundada por Denner após sua saída da banda solo de King Diamond, a quem acompanhou após o fim do Mercyful Fate juntamente com o baixista Timi Hansen. Neste período em que o Mercyful Fate esteve em diáspora, a gravadora Roadrunner lançou duas coletâneas trazendo material raro do grupo.

A volta do Mercyful Fate em sua formação clássica, a menos do baterista Kim Ruzz, se deu em 1992. King, Denner, Shermann e Hansen, juntamente com o baterista Morten Nielsen, entraram nos estúdios Dallas Sound Lab, no Texas, EUA, para registrar o terceiro full-length da banda, intitulado In The Shadows. Em pouco mais de 53 minutos, a banda voltou mostrando seu Heavy Metal intacto, com os guitarristas Hank Shermann e Michael Denner provando que funcionam muito melhor juntos.

No que concerne às letras de King Diamond, elas se afastaram do satanismo explícito característico do dois primeiros discos e ganharam uma aproximação de horror, como o artista costuma abordar em seu trabalho solo. Mais diferenciada ainda é a temática da clássica Egypt, que fala dos deuses do subterrâneo panteão egípcio. O pedal duplo que esmaga em Egypt continua seu trabalho destruidor na cadenciada e variada The Bell Witch. A longa e épica The Old Oak mostra que King Diamond é um ótimo cantor também nas regiões graves. Shadows é simples e eficiente, criando a linha que A Gruesome Time seguirá, com um magnânimo trabalho dos guitarristas.

https://www.youtube.com/watch?v=2udilIRTD9Y

A cozinha não fica atrás em termos de destaque; vide Thirteen Invitations, que trás toda a aura de horror que cerca a persona de King Diamond. A instrumental e não menos sombria Room Of The Golden Air continua a aumentar o clima pavoroso criado pela faixa anterior. Legend Of The Headless Rider é variada e maléfica. A fim-de-mundo Is That You, Melissa? trás de volta a personagem que dá nome ao debut da banda, lançado em 1983. O álbum se encerra com uma nova versão para a música Return Of The Vampire, aqui batizada acrescentando-se o ano corrente e com a bateria gravada por Lars Ulrich, baterista daquela banda.

Em suma: temos em In The Shadows um retorno com o que melhor se esperava, com a assinatura do Mercyful Fate e de seus integrantes. Apesar de ter gravado a bateria do álbum, Morten Nielsen não foi creditado e também não saiu em turnê com a banda. Seu lugar na banda e seu nome nos créditos foram substituídos pelas credenciais do baterista de King Diamond, Snowy Shaw. Este grande retorno serviu de motivação para que o Mercyful Fate lançasse mais trabalhos ao longo da década de 90. Mas isso fica para os próximos dias.

In The Shadows – Mercyful Fate (Roadrunner, 1993)

Tracklist:
01. Egypt
02. The Bell Witch
03. The Old Oak
04. Shadows
05. A Gruesome Time
06. Thirteen Invitations
07. Room Of Golden Air
08. Legend Of The Headless Rider
09 Is That You, Melissa?
10. Return Of The Vampire… 1993

Line-up:
King Diamond – vocais
Michael Denner – guitarras
Hank Shermann – guitarras
Timi “Grabber” Hansen – contrabaixo
Morten Nielsen – bateria
Lars Ulrich – bateria em Return Of The Vampire… 1993

https://www.youtube.com/watch?v=c_oYFiSWZDk