O controverso rótulo death metal melódico… Ao surgir com trabalhos de Arch Enemy, Dark Tranquility e do In Flames (entre outros), gerou no mínimo estranhamento por destoar MUITO do gênero matriz.  O estilo permeou a relação direta entre o metal tradicional e o extremo, porque sonoramente é muito mais próximo às estruturas musicais das raízes do heavy-metal, só que com vocal gutural. Obviamente não é tão óbvio, mas ajuda parcialmente no entendimento. Na verdade, os fãs de estruturas mais extremas, sempre torceram o nariz para a denominação. Um grande parâmetro, é justamente o quarto álbum dos suecos do In Flames, e que iremos analisar nessa cronologia: “Colony”!

Lançado em 1999 e considerado uma das obras-primas do estilo, eu prefiro chamar de metal alternativo, som de Gotemburgo, como queiram… Tirando o vocal gutural, não consigo vislumbrar quase nenhuma referência que remeta ao death metal old school. A sonoridade bebe na fonte do que de mais atual tínhamos na época como influência, modernidade era a palavra de ordem. Tanto que é considerado um dos pilares para o que viria a se constituir o metalcore. O álbum representou a entrada do In Flames nos EUA com turnê própria e automaticamente a expansão pelo planeta. Uma coisa que impressiona é a evolução da banda percebível nos três discos anteriores. É louvável a inquietação dentro do conceito musical do grupo até a chegada de “Colony”.

Inclusive, a versatilidade dentro desse universo é o que temos de mais positivo nesse registro, como na faixa “”Zombie Inc.””. As “modernosas”, faixa-título e “Scorn” se destacam, assim como o single “Ordinary Story”, que figuram entra as preferidas dos fãs, sempre com essa alternância constante entre peso, cadência e BASTANTE senso melódico. Os solos curtos também acabam sendo uma característica marcante a se acentuar. Destaco bastante a acústica “Pallar Anders Visa” (infelizmente muito curta), propensa a agradar um público mais abrangente.

Os refrões “colados” do rock alternativo vigente, também sobressaem bastante para o sucesso dessa obra. As letras abordam temas recorrentes a religião, sociedade e espiritualidade. O final contundente com a tríade “Behind Space”, “Insipid 2000” e “The New World”, representam a gênese da popularização dessa sonoridade que seria proeminente no novo milênio. “Colony” é fundamental nesse processo!

In Flames – “Colony”
Lançamento: 21 de maio de 1999
Gravadora: Century Media Records

Formação:
Anders Fridén – vocal
Björn Gelotte – guitarra
Jesper Strömblad – guitarra
Peter Iwers – baixo
Daniel Svensson – bateria

Tracklist:

1 – “Embody the Invisibley”
2 – “Ordinary Story”
3 – “Scorn”
4 – “Colony”  
5 – “Zonbie Inc”
6 – “Pallar Anders Visa”
7 – “Coerced Coexistence” 
8 – “Resin”
9 – “Behind Space ’99”  
10 – “Insipid 2000”
11 – “The New World”
12 – “Clad In Shadows ’99”  
13 – “(Man Made God”

“Baixe nosso aplicativo na Play Store e tenha todos os nossos conteúdos na palma de sua mão. Link do APP: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.roadiemetalapp Disponível apenas para Android”