Resenha: The Night Flight Orchestra – Amber Galactic (2017)

Se por um lado o ano de 2017 ficou marcado por grandes acontecimentos trágicos por outro foi sem dúvida um grande ano para o Rock e Metal, com incontáveis lançamentos por todo o mundo fica até difícil definir qual o melhor, evidentemente tudo fica limitado a uma questão de gosto pessoal, da linha abordada e é claro do estilo seguido. Como você leitor pode conferir por aqui na Roadie Metal durante o ano as novidades vão de uma ponta a outra e a escolhida de hoje fica por conta do excelente “Amber Galactic” da banda multi-facetada The Night Flight Orchestra.

Lançado em 19 de maio deste ano(2017) pela Nuclear Blast o álbum, o terceiro na história do grupo, trás membros de bandas nada convencionais para o estilo como Soilwork e Arch Enemy e foi gravado em Handsome Hard Studios, Kävlinge, Suécia e Nordic Sound Lab, Skara, Suécia, em 2016.  O ponto aqui é que o rock melódico / AOR, que pode não ser tão abertamente popular quanto nos dias em que as bandas estavam vendendo milhões e milhões de unidades, mas a “cena” parece ser tão forte e saudável como sempre.

A banda, formada por Bjorn Strid e David Andersson do Soilwork juntaram-se com Sharlee D’Angelo, Jonas Källsbäck, Sebastian Forslund e Richard Larsson para levar a frente este projeto mirando a linha setentista/oitentista do estilo e com certeza foi um tiro certeiro e o que era pra ser apenas um projeto se fundamentou em banda.

O álbum que trás dez faixas(onze na versão digipak e digital, além de uma música exclusiva na versão japonesa – “Fly Tonight/Never Rewind) trás um misto muito interessante entre Journey, Toto e Kansas, somados a The Police, Supertramp e Steely Dan, durante o álbum várias nuances aos amantes do AOR ficaram extremamente evidentes, partindo logo da fraca mas bem medida faixa de abertura “Midnight Flyer”, mas a partir dai a coisa fica realmente interessante, ainda mais se tratando de faixas como “Star Of Rio”, “Gemini” e a deliciosa “Domino”com um tanto de ELO, 10cc e Alan Parsons Project.

E se por sua vez já encontramos tantos pontos de influência até aqui por outro vamos acrescentar uma boa dose de Led Zeppelin em ” Space Whisperer” e “Something Mysterious” onde o misto de guitarra e teclados nos levam por uma viagem a galaxia em um clima quase romântico e ao mesmo tempo alucinante.

“Josephine” no entanto seria uma trilha perfeita para os filmes dos anos 80 com Stallone ou Schwarzenegger, assim como “Jennie”, uma power ballad de arrepiar.

Confesso que demorei a entender o conceito que pairava sobre este projeto mas “Amber Galactic” certamente deixa claro o nível de profissionalismo do grupo que tem capacidade de sobra para aderir qualquer nuance.

Sem sombra de dúvida uma das grandes recomendações deste ano!

Tracklist

1 – Midnight Flyer

2 – Star Of Rio

3 – Gemini

4 – Sad State Of Affairs

5 – Jennie

6 – Domino

7 – Josephine

8 – Space Whisperer

9 – Something Mysterious

10 – Saturn In Velvet

11 – Just Another Night BONUS TRACK (edição limitada a digipak, vinil)

12 – Fly Tonight (Never Rewind) BONUS TRACK (Apenas na versão japonesa)

Membros da banda

  • Björn Strid – Vocal
  • Sharlee D’ Angelo – Baixo
  • David Andersson – Guitarra
  • Richard Larsson – Teclados
  • Jonas Källsbäck – Bateria
  • Sebastian Forslund – Guitarra e percussão

Conheça a banda:

Facebook Oficial

Compartilhe:

Tags

Sobre: Tatianny Ruiz

Tatianny Ruiz

Tatianny Ruiz, 31 anos, paulistana até o osso, apaixonada por música desde menina, musicista por devoção, divide o tempo entre a família e seu amor pelo Heavy Metal, mas procura acompanhar todas as vertentes, pois considera que o Rock’N Roll se tornou muito amplo para limitações.

Você talvez também goste...

Comentários

Inscreva-se em nosso Feed

Esteja atualizado com tudo que acontece na cena Rock/Metal!

Siga-nos!

Comentários Recentes

Siga-nos os bons!