O nome do mais recente álbum da banda goiana Sunroad é “Wing Seven”. Pelo título, fica fácil perceber que se trata do sétimo trabalho do grupo e, a intenção de deixar isso em evidência, mostra que essa é uma marca especial para eles. Tão especial, que foi coroada com uma capa absurdamente bela, a mais bonita de sua discografia, diga-se, em um trabalho digno de nota, feito por Rogério Paulo Menezes.

A banda existe desde 1996, mas apenas o baterista Fred Mika restou da formação original. Hoje, acompanham-no o baixista Akasio Angels, o guitarrista Netto Mello, com quem dividiu os trabalhos de produção, e o vocalista e tecladista André Adonis, que faz sua estreia nesse álbum.

O som do Sunroad é um Hard Metal extremamente bem tocado, feito por grandes músicos, com produção impecável e que soa na linha dos maiores nomes desse estilo ao redor do mundo, como Europe e Dokken, e cujos cuidados de composição vão além da estrutura musical, estendendo-se para a temática lírica. A criação das letras é assumida, em sua quase totalidade, pelo baterista Fred Mika, e a sua abordagem é sobre o lado positivo da vida, tentando passar uma mensagem, mas fazendo-o de forma leve, sem sermões ou pregações. O fato, porém, é que mesmo que você não tenha qualquer fluência em inglês, vai absorver esse sentido que as canções possuem, pois as suas melodias já lhe trazem esses sentimentos sem precisar de palavras. São músicas bastante lúdicas e basta um rápido contato para que você comece a acompanhar os refrões junto com André Adonis, que, necessário dizer, encaixou-se perfeitamente na proposta da banda.

Contando com a vinheta “Tempo (What Is Ever)”, o disco possui 13 faixa, das quais a trinca inicial já irá lhe absorver, com o peso de “Destiny Shadows”, a pegada mais dinâmica de “White Eclipse” e a melodia cativante de “In The Sand”. Um disco dessa natureza não estaria completo sem algumas baladas, que se fazem presentes em “Last Sunray In The Road” e, na minha preferida, “Skies Eyes”, onde a banda obteve um timbre acústico muito bonito e agradável.

Depois de uma balada suave, é recomendável algo que reconduza o disco de volta ao peso, e o que o Sunroad faz na instrumental “Day By Day (Delaying)” é abusar do direito de ser habilidoso! Faixas como “Misspenth Youth”, “Brighty Breakdown” e “Craft Of Whirlwinds” também se destacam, pela variedade que cada uma apresenta dentro do álbum, sendo que essa última possui um refrão que lembra as composições mais recentes do Scorpions.

Como já vimos pelo seu histórico, o Sunroad é uma banda que trabalha bastante e o resultado disso está bem explícito. A coesão e o sentido de objetivo são percebidos aqui de forma clara e, na coerência do que suas letras repassam, deve mantê-los ainda por um bom tempo na estrada.

Formação

André Adonis – vocal/teclados

Netto Mello – guitarra

Akasio Angels – baixo

Fred Mika – bateria

Músicas

  1. Destiny Shadows
  2. White Eclipse
  3. In the Sand
  4. Misspent Youth
  5. Tempo (What Is Ever)
  6. Whatever
  7. Skies Eyes
  8. Day by Day
  9. Craft of Whirlwinds
  10. Drifting Ships
  11. Brighty Breakdown
  12. Pilot of Your Heart
  13. Last Sunray in the Road