Quatro anos depois do lançamento de “Carved In Time”, os veteranos do Sunroad, de Goiânia, retornam com seu novo álbum de estúdio, “Wing Seven”. Atualmente, da formação original, apenas o baterista Fred Mika segue na banda. André Adonis (vocal e teclado), Netto Mello (guitarra) e Akasio Angels (baixo) fortalecem o grupo com um Hard Rock de primeira linha que ressoa magistralmente ao longo das 13 faixas do disco.

A empolgante “Destiny Shadows” faz a abertura com o astral lá em cima e um refrão bastante grudento. Valem também os destaques para André Adonis e Netto Mello, cada um com sua excelência nas respectivas funções. O solo de teclado, também executado por Adonis, cai muito bem com a música num todo.

Mantendo o clima positivo da anterior, “White Eclipse” possui bons riffs de guitarra e uma performance bastante competente de Fred Mika na bateria. Na sequência, “In the Sand” é mais trabalhada no groove em alguns momentos e tem outra prova de que André Adonis é um dos grandes vocalistas do Rock ‘n’ Roll nacional, além do baixo bem postado de Akasio Angels, que conduz muito bem o ritmo mais “balançado” da música.

Já “Misspent Youth” é mais lenta que as três primeiras e dá ainda mais espaço para as grandes vocalizações de André Adonis. Porém os quatro têm seus momentos particulares para receberem as atenções, tanto pelas viradas de bateria de Fred Mika, quanto pelos solos de guitarra de Netto Mello, ou ainda por outra boa linha de baixo de Akasio Angels.

A introdução “Tempo (What is Ever)” até que é interessante, mas a letra ser cantada em português com um sotaque gringo é muito esquisito. Prosseguindo, “Whatever” é uma das mais Hard Rock do disco, com um refrão “acessível” e de muito bom gosto. O Sunroad pisa no freio com a bela balada acústica “Skies Eyes” e depois acelera novamente com a instrumental “Day By Day (Delaying)”, uma pausa para os solos de guitarra de Netto Mello, e a seguinte, “Craft of Whirlwinds”, uma das melhores do álbum e que parece ter seu refrão inspirado no Scorpions.

“Drifting Ships” tem uma pegada mais lenta, mas explode em um refrão pesado e outra performance espetacular de André Adonis em parceria com o guitarrista Netto Mello. Já em “Brighty Breakdown” o baixista Akasio Angels se destaca junto com o baterista Fred Mika, formando uma cozinha coesa e que pavimenta muito bem o caminho para um dos melhores solos de guitarra do disco.

As baladas “Pilot of Your Heart” e “Last Sunray in the Road” fecham o disco com conduções de teclado realizadas lindamente por André Adonis, além da ótima performance do guitarrista Netto Mello, encerrando “Wing Seven” com extrema competência e chave de ouro.

O Sunroad acertou demais com este álbum. Não seria nenhum absurdo colocá-lo nas listas de melhores do ano. A banda já está bem mais cascuda, afinal já são 21 anos de estrada, e mostra que ainda tem muita lenha para queimar.

Formação:
André Adonis – vocal e teclado
Netto Mello – guitarra
Akasio Angels – baixo
Fred Mika – bateria

Faixas:
01. Destiny Shadows
02. White Eclipse
03. In the Sand
04. Misspent Youth
05. Tempo (What is Ever)
06. Whatever
07. Skies Eyes
08. Day By Day (Delaying) (instrumental)
09. Craft of Whirlwinds
10. Drifting Ships
11. Brighty Breakdown
12. Pilot of Your Heart
13. Last Sunray in the Road