O período de pandemia que estamos atravessando há quase 1 ano é terminantemente trágico nos mais variados níveis econômicos e sociais. Mas, como nem tudo são trevas, essa tem sido uma época bastante frutífera e interessante para a arte, visto que diversos profissionais do ramo buscaram modos de inovar e se reinventar, seja por necessidades pessoais ou financeiras.

Dentre as coisas positivas que aconteceram nos últimos tempos está o Lockdown, supergrupo tupiniquim de Death Metal formado João Gordo (vocal, Ratos de Porão), Antonio Araújo (guitarra, Korzus e Matanza Ritual), Rafael Yamada (baixo, Claustrofobia) e Bruno Santin (bateria, Endrah), que dificilmente teria alguma chance de sair do papel em tempos ‘normais’. Após o lançamento de 3 singles no YouTube e plataformas de streaming – muito bem recebidos, diga-se de passagem – o quarteto finalmente disponibilizou seu EP de estreia, batizado de “Unholy Ceremony Heretic“, que teve sua distribuição pela Blood Blast, subsidiária digital da gravadora Nuclear Blast.

O som do Lockdown realiza a façanha de ser, ao mesmo passo, direto e intrincado. As músicas são curtas e ‘na cara’, mas também carregam elementos técnicos complexos e de difícil execução, um reflexo da inquestionável qualidade dos músicos envolvidos, em especial o guitarrista Antonio Araújo, que é o idealizador e a grande mente criativa por trás do projeto.

Unholy Ceremony Heretic” foi gravado de forma inteiramente remota – cada músico em sua própria casa ou estúdio – e conta com 7 músicas, distribuídas em pouco mais de 15 minutos. O trabalho se inicia pela densa introdução “Umbral“, com barulho de chuva, dedilhado intimista no violão e tons sinistros, que rapidamente descamba na violenta “Archangel“, primeiro single divulgado. Intensa, brutal, alternando velocidade e precisos ‘breakdowns’, a canção mostra a que a banda veio e serve como um ótimo cartão de visitas, além de evidenciar bem as pulsantes 5 cordas de Rafael Yamada, enquanto a faixa-título “Unholy Ceremony Heretic” é ainda mais variada e abstrusa que a sua predecessora, contando com performances memoráveis de João Gordo e Antonio Araújo. Dando continuidade ao repertório, “Mordor” se trata de um breve interlúdio fúnebre que prenuncia “Hymn Of Hate“, porrada mais ‘reta’ e tradicional que as demais – mas não menos forte – e então temos “Desprezo“, único som cantado em português, que possui uma poderosa levada cadenciada e letra impactante. Encerra a audição “Black Demons Reign“, bastante extrema e recheada de mudanças de andamento, com absoluto destaque para as insanas linhas de bateria de Bruno Santin.

Provando seu valor através desse excelente primeiro registro, o Lockdown plenamente detém um enorme potencial de ir além da simples alcunha de projeto. É complicado, sim, sejamos sinceros. Mas, a nós resta apenas torcer para que o grupo continue lançando novos trabalhos e possa, quem sabe, tomar os palcos Brasil afora depois que toda essa loucura viral estiver no passado.

Nota: 9,5

Lockdown – Unholy Ceremony Heretic (EP, 2021)
Gravadora: Blood Blast
Data de lançamento: 05/02/2021

Tracklist:
01 – Umbral
02 – Archangel
03 – Unholy Ceremony Heretic
04 – Mordor
05 – Hymn Of Hate
06 – Desprezo
07 – Black Demons Reign

Formação:
João Gordo – voz
Antonio Araújo – guitarra
Rafael Yamada – baixo
Bruno Santin – bateria

Baixe nosso aplicativo na Play Store e tenha todos os nosso conteúdos na palma de sua mão.
Link do APP: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.roadiemetalapp
Disponível apenas para Android

Encontre sua banda favorita