Resenha: Concept Of Hate – Black Stripe Poison (2015)

Guitarra, baixo, bateria e vocal. Essa é, provavelmente, a melhor composição que uma banda pode ter. O básico para gerar barulho, com cada um executando a sua parte, tabelando com os demais.

Quando pegamos um disco de uma banda que traz, em seu nome, a palavra “hate”, não nos sobra muita margem de dúvida sobre o que iremos escutar, e o Concept Of Hate não decepciona. É o Metal grooveado que fez escola nos anos 90, com bastante influência de Pantera e Sepultura, embora, em relação a esse último, a proximidade de estilo esteja mais alinhada, provavelmente, com o que vem fazendo o Cavalera Conspiracy.

Quando a primeira faixa, “Black Stripe Posion”, que dá nome ao EP, começa a tocar, percebe-se de imediato uma banda segura na execução das músicas. A capa do disco, que traz um desenho muito bem bolado, em preto e branco, tira qualquer dúvida sobre o que seria o tal black stripe poison, fazendo referência ao consumo desordenado de remédios de tarja preta, e já esclarecendo de imediato que, a vida real, é a fonte de inspiração para as letras de suas canções.

A segunda faixa, “In Human Nature” foi inteligentemente colocada nessa sequência, pois sua rapidez faz com que o disco vá evoluindo em dinâmica e, é bom aconselhar: se você estiver em uma apresentação da banda durante a execução dessa música, ou você se afasta ou se prepara para a quebradeira na roda de mosh, pois a música é um convite explícito para que o público enlouqueça!

“Chaospiracy”, com seu andamento mais moderado, lhe dará a falsa sensação de repouso, mas não se engane: é uma música pesadíssima, que faz o seu pescoço se mover sozinho, acompanhando seu ritmo.

Nesse ponto do álbum, já deu para ficar claro que um dos pontos fortes da banda é o duo da cozinha formada pelo baixista Rafael Biebrach e o baterista Takashi Maruyama, segurando com precisão a base das músicas, que, por serem curtas, sem enrolação, na faixa de três ou quatro minutos cada, fazem com que o CD termine muito rápido. “Sanity Is Not An Opinion”, a última, fecha trazendo novamente uma pegada mais rápida e o riff de seu refrão faz com que nos lembremos das bases que o Anthrax costuma executar.

Tendo nascido em Santo André, no estado de São Paulo, e complementada por Flavio Giraldelli, no vocal, e Daniel Pereira, na guitarra, o “Conceito de Ódio” ainda tem mais músicas em seu repertório que necessitam, e assim esperamos, ser registradas logo, mas esse primeiro EP já é um excelente ponto de partida para que possamos esclarecer, para o resto do mundo, do que se trata esse conceito!

Formação:
Flávio Giraldelli (vocal);
Daniel Pereira (guitarra);
Rafael Biebrach (baixo);
Takashi Maruyama (bateria).

Faixas:
01 – Black Stripe Poison
02 – In Human Nature
03 – Chaospiracy
04 – Sanity is Not an Option

Compartilhe:

Tags

Sobre: Anderson Frota

Anderson Frota

"Anderson Frota é baixista da banda Asmodeus, de Fortaleza, e escuta rock e metal desde os 14 anos, indo desde os Beatles até o Napalm Death, desde o Yes até o Cannibal Corpse"

Você talvez também goste...

Comentários

Inscreva-se em nosso Feed

Esteja atualizado com tudo que acontece na cena Rock/Metal!

Siga-nos!

Comentários Recentes

Siga-nos os bons!