Resenha: Broken & Boned – Hypocrisy Hymns (2018)

Formado em 2012, o Broken & Boned é uma grata revelação vinda da cidade de Marabá, no estado do Pará. Estado com proporções de continente que tem inúmeras bandas e onde a cena Metal é muito forte. A diferença é que a Broken & Boned é do lado sul do Pará e aqui, apesar de contar com excelentes bandas, poucas chegam a lançar de fato um trabalho completo como esse.

“Hypocrisy Hymns” traz uma banda que está estabilizada com Romulo Portela (vocais), Lucio de Paula (baixo), Carlos Nava (guitarra/vocais), Marcelo “Marshall” Alencar (guitarra) e Carlos Cerqueira (bateria) desde 2015 e esse tempo somado com as várias apresentações ao vivo (a banda já abriu duas vezes para o Nervochaos, tocou com o Torture Squad, Nevercell, Into The Darkness, em várias cidades da região) deu a experiência necessária para que a banda chegasse ao nível profissional apresentado aqui.

Uma primeira amostra foi dada em meados de 2016, quando a banda divulgou o lyric video de “False Divinity”, sexta faixa do CD, que conta com outras seis e mais um intro que abre muito bem o trabalho.

O som da banda é muitíssimo influenciado por Sylosis e Machine Head. Dá pra perceber também que os caras curtem Opeth e principalmente Pantera. O que se ouve é um Groove Metal com pitadas de Thrash, Death e Prog Metal, guitarras com afinações baixas, vocais agressivos (como canta esse Romulo Portela) e refrões cheios de energia que nos remetem aos melhores momentos das bandas citadas acima. Todos os elementos modernos do Metal estão aí.

A produção de Marcos Saraiva no Legacy Studio (Belém) é excelente, tornando o som ainda mais pesado e agradável de se ouvir. Destaco as faixas “A Fable”, a já citada “False Divinity”, “Vengeance”, que tem a participação de outro monstro nos vocais, Leon Ferreira, vocalista da banda A Red Nightmare, e “Rage”. A Broken & Boned conseguiu com esse seu debut um resultado final muito bom e que se destaca e diferencia do que vem sendo feito pela maioria das bandas brasileiras, não devendo em nada para as bandas estrangeiras. Pelo que eu já conhecia da banda, principalmente pelo bom gosto de seus membros, não me surpreende. Aqui temos um grupo que tem tudo para construir uma carreira sólida e duradoura.

“Hypocrisy Hymns” deve estar chegando às mãos da banda hoje. Entre em contato para conseguir sua cópia @BrokenBonedMetal.

Me resta aqui dar os parabéns e desejar boa sorte. Que esse seja o primeiro de uma discografia extensa, de uma carreira sólida e duradoura. 2018 já tem seu primeiro grande álbum.

Formação:
Romulo Portela – vocal
Carlos Nava – guitarra, vocal
Marcelo Alencar – guitarra
Lucio de Paula – baixo
Carlos Cerqueira – bateria

Faixas:
01. Peaceless/Hopeless
02. Transcending Faith
03. A Fable
04. Vengeance
05. Puz Of A Sick World
06. False Divinity
07. Rebirth
08. Rage

Compartilhe:

Sobre: Cirez Waldez

Cirez Waldez

Começou a ouvir Metal aos 13 anos e o primeiro contato foi com as bandas Benediction e Sepultura através dos álbuns Subconscious Terror e Beneath the Remains e passou por todas as fases do Metal pesado desde então. Com o tempo aprendeu a ouvir outras vertentes dentro do Heavy Metal e hoje tem no ecletismo uma de suas principais virtudes, sendo capaz de ouvir Aerosmith e Dissection no mesmo dia.

Você talvez também goste...

Comentários

Inscreva-se em nosso Feed

Esteja atualizado com tudo que acontece na cena Rock/Metal!

Siga-nos!

Comentários Recentes

Siga-nos os bons!