Coloquei uns três álbuns para rodar enquanto executava um trabalho e eis que um deles começa a me chamar a atenção pois vinha apresentando algumas belas melodias e uma alternância muito criativa e cativante entre vocais guturais, partes cantadas e sinfônicas notas de um belo vocal feminino. Parei o que estava fazendo para ver qual era a banda e me surpreendi em saber que este trabalho é de um quinteto carioca. É trabalho nacional galera!

A capa de Songs from Celestial Shperes, do Quintessente, é muito bonita, combinando com a proposta da banda que é apresentar um Metal sinfônico misturando estruturas de Doom e Black Metal. As linhas vocálicas, teclados e alguns riffs são magistralmente lindíssimos. Alguns me emocionaram e arrepiaram “literalmente” minha espinha. É um som intenso e profundo. Outro destaque é o belo logotipo que a banda carrega e que tem uma personalidade muito bacana.

Musicalmente vocês precisam parar e ouvir o álbum do início ao fim, porque ele é muito bem gravado, mixado e as músicas estão muito bem estruturadas. Todas as faixas são muito boas.  É perceptível que tudo foi feito cuidadosamente, pensado em cada nota, em cada melodia. É um trabalho que tem forte sensibilidade e aflora emoções muito intensas com suas partes entre a fúria e a calmaria. Se eu tiver de destacar uma faixa, é “Essente”. Não é a melhor do trabalho, mas é a que mais me encantou.

André Carvalho, vocalista, mostra bastante versatilidade e qualidade vocal. Com o apoio do vocal feminino da tecladista Cristina Müller, o Quintessente demonstra que vem para se firmar como uma das maiores bandas no estilo dentro do Brasil e com grande potencial de atingir patamares internacionais frente aos grandes nomes do segmento. Recomendadíssimo do início ao fim.

Faixas

The Belief of the Mind Slaves
Delirium
A Sort of Reverie
My Last Oath
Essente
Eyes of Forgiveness
L’Eternità Offerto
Unleash Them
Reflections of Reason
Matronæ Gaia (Chapter II)

Formação

André Carvalho – Vocal
Cristiano Dias – Guitarra
Cristina Müller – Teclado/ Vocal
Leo Birigui – Bateria
Luiz Fernando de Paula – Baixo