Metal Além da Música é um quadro criado pelos redatores Jéssica da Mata e Renan Soares com o objetivo de falar sobre os principais estilos dentro do Rock, Metal e outros. A proposta é abordar características peculiares, estilo visual, ideais e mais. Como diz o título desta coluna: Metal Além da Música.

O Rock e o Metal são dois dos maiores gêneros musicais que surgiram com o propósito de “protesto”, marcando a sociedade através das décadas com seu visual e atitude. Com o passar dos anos, foram aparecendo novos estilos e vestimentas específicas e com eles outras idéias sobre diversos assuntos como política, sociedade, e religião.

Punks, grunges, góticos, emos, são alguns dos estilos que você vai conhecer por aqui, desde o seu surgimento, características, convicções e curiosidades.

Na edição de número 3 deste quadro, falamos sobre os punks e seus ideiais. O punk surgiu com seus exageros nos anos de 1970, mas nos anos de 1980, surgiu um outro movimento insatisfeito com a cultura Punk, mas ainda influenciados pelo som, o Straight Edge.

Ian Mackaye e Jeff Nelson eram adolescentes em meados de 1980, mas para eles, ser “Punk” não era necessário consumir drogas, se envolver em brigas e desmaiar em shows. Nesta época, as autoridades de Washington (E.U.A) queriam proibir os jovens com idade inferior a 21 anos de frequentar casas de shows e bares, isso os motivou a escreverem uma letra de música, onde partilhavam suas insatisfações com as atitudes de alguns punks. Para eles, a proibição era injusta, pois eles queriam apenas curtir o som. O título dessa música era “Straightedge”,que segundo os idealizadores significa uma “postura retilínea”. É nada mais que uma mensagem direcionada aos jovens, para eles mesmos serem os principais responsáveis por suas vidas, a liberdade é conquistada mediante a autogestão sobre seus corpos e mentes, sendo assim, a ingestão de substâncias que altera os estados de consciência para eles é uma prisão e não liberdade.

Depois dessa canção, a ideia começou a se espalhar em poucos grupos, mas isso mudou com a presença da banda Minor Threat. Após pequenas turnês realizadas nos Estados Unidos, esse estilo de vida começou a se popularizar.


O movimento Straight Edge considera a abstinência de álcool, drogas e cigarros seja a melhor forma de viver, sem deixar de se divertir. Um dos maiores símbolos do movimento é um “X”, sendo usado como tatuagem, raspado na cabeça ou nas roupas. Além disso, para alguns isso não é o suficiente, há ainda grupos que acrescenta o veganismo, cristianismo, proteção ao animais e até mesmo a proibição do sexo promíscuo. Há também outros grupos radicais, gangues que agridem pessoas que fazem atitudes considerada por eles como erradas.

A partir de 1996, iniciou o Festival Verdurada em São Paulo aqui no Brasil. Este evento ainda acontece trimestralmente com bandas brasileiras e de outros países. Mas o festival não é apenas shows com bandas de Punk e Hardcore, são realizadas palestras e debates sobre assuntos políticos, exposição de vídeos e artes. Durante o festival é proibido o consumo de álcool e drogas, além de não serem vendidos. Ao final do show é distribuído um jantar vegetariano. Os principais objetivos de Verdurada são mostrar que é possível fazer sucesso em eventos sem patrocínio de grandes empresas e se divertir sem álcool e drogas.

Alguns artistas se dizem adeptos ao movimento, como Max Cavalera (Soufly), Juninho (Ratos de Porão), Tommy Green (Sleeping Giant), Angela Gossow (Arch Enemy), Alissa White-Gluz (Arch Enemy), Doyle Wolfgang (Misfits), entre outros.