“Assim como todos, tive muita dificuldade em lidar com 2020. Todos nós sofremos com uma enorme falta de diversão este ano, então, assumi a missão de fazer música agradável, que eleva o nível de serotonina, do mais alto padrão, coisas que, com sorte, vão chutar vocês, e com força! Fazer o álbum durante uma pandemia teve seus desafios infernais, mas todo mundo está enfrentando dificuldades no momento, então, fiquei grato por ter um trabalho tão catártico para fazer”, postou o lendário guitarrista Marty Friedman em suas redes sociais, para anunciar as boas novas: a primeira, o lançamento de seu novo álbum solo, Tokyo Jukebox 3, no dia 21 de Outubro. Lançados no mercado nipônico, respectivamente em 2009 e 2011, Tokyo Jukebox Tokyo Jukebox 2, apresentavam versões instrumentais de canções japonesas, evidenciando o amor de Marty pela rica diversidade sonora do país em que adotou como moradia.

Provável capa de Tokyo Jukebox 3

“Os fãs de guitarra notarão (e espero que gostem) algumas atualizações bem legais nos sons da minha guitarra. Descobri que quando você remove todos os efeitos espaciais como reverbs e delays, suas expressões de solo podem muitas vezes viver e respirar mais, e têm uma urgência e um ataque único para elas, que realmente estou curtindo”, enfatiza Friedman sobre Tokyo Jukebox 3. E a outra GRANDE novidade, é o aguardado documentário Spacefox, que será lançado em 2021. O filme está sendo dirigido por Jeremy Frindel, e acompanha a reinvenção de Friedman, que foi de guitarrista principal do Megadeth à uma das personalidades mais famosas da TV no Japão. Realmente são notícias bombásticas para os muitos admiradores dessa lenda viva da guitarra, e considerado um dos caras mais legais do show buziness.