Jason Newsted acredita merecer algum crédito pela ‘estabilização’ do Metallica

by Marcos Gonçalves

Jason Newsted diz que “gostaria de receber algum crédito” pela “estabilização” do Metallica após a morte de Cliff Burton.

Burton tocou nos três primeiros álbuns de estúdio do Metallica — “Kill ‘Em All“, “Ride The Lightning” e “Master Of Puppets” — e co-escreveu canções clássicas como “Ride The Lightning“, “For Whom The Bell Tolls“, “Fade To Black“, “Creeping Death” e “Master Of Puppets“. Sua vida foi tragicamente interrompida aos 24 anos, em um acidente de ônibus de turismo em 27 de setembro de 1986 na Suécia.

O substituto inicial de Burton no grupo foi Newsted, que permaneceu na equipe até 2001. Robert Trujillo entrou em 2003 e permanece na banda até hoje.

Em uma nova entrevista à estação de rádio WZZR da Flórida (Real Radio 94.3), Newsted disse que sua adição ao Metallica há 33 anos atrás possibilitou à banda escalar novos patamares em sua carreira, enquanto os membros estavam sofrendo por seu amigo falecido.

A estabilização da banda pela qual eu gostaria de ter algum crédito“, disse Newsted (veja o vídeo abaixo). “Sim, foi um trabalho árduo; sim, não é para todos; mas, caramba, o que fomos capazes de realizar. Porque tínhamos a combinação certa de pessoas na hora certa e a quantidade certa de pessoas para tocar no mundo. Foram todos os dados demográficos, políticos e todas as coisas que nos levaram aonde estávamos.

O trabalho duro envolvido nisso, a base e a estabilidade que isso criou após uma fratura por causa da morte de Cliff… Eles logo não teriam feito mais nada após o ocorrido“, Jason continuou. “Mas eles continuaram e eu tive que entrar e ser essa propulsão, ser o novo motor que ajudou esse ser fraturado. Porque é algo maior do que todos nós. É uma entidade em si mesma. Então, aqueles anos que eu fiz isso foram apenas estabilizando a coisa toda. Quinze anos depois, era estabilização. Então era isso que eu era capaz de ser. Eu apareci — primeiro a entrar, último a sair. Eu sempre tive esse tipo de mentalidade. É por isso que chegou aonde chegou. Foi assim que o Heavy Metal daquele dente afiado foi capaz de entrar no rádio.

Nós lideramos essa coisa“, acrescentou. “Havia bandas diante de nós. Se não houvesse AC/DC e não houvesse Iron Maiden, não poderíamos fazer uma turnê da maneira que fizemos; não teríamos sido capazes de realizar o que fizemos nesses cantos e recantos do universo. Mas o fato é que esses caras continuaram hasteando a bandeira. Eles têm 36 anos de carreira e ainda podem lotar qualquer estádio em qualquer país — com música que ruge agressivamente. Você pode entender que Whitney Houston pode fazer isso, ou UB40, ou alguém que é tão mundano dessa maneira, ou uma vibração do tipo Bob Marley. Pessoas negras, verdes, roxas, todas as pessoas que falam todas as línguas do universo ainda vêm e aprendem inglês com nossas músicas.

De acordo com Newsted, sua decisão de deixar o Metallica há mais de 18 anos “permitiu que” seus colegas de banda continuassem. “Eles não estariam fazendo o que estão fazendo agora se eu não tivesse tomado essa decisão e soubesse o que era melhor para todo mundo na época“, explicou. “Se eu era profético e vi essas coisas com antecedência, que conhecia os estrondos internos, o que aconteceria… eu sabia sobre os problemas e as coisas pessoais“, disse Newsted, referindo-se ao fato de que sua saída foi seguida pelos três anos mais turbulentos da longa carreira do Metallica, durante os quais eles lutaram com vícios, reações de fãs, problemas pessoais e a quase desintegração do grupo durante a gravação do álbum “St. Anger“. “‘Temos que nos afastar por um segundo, pessoal, para garantir que todos possam …’ ‘Não. Não queremos nos afastar. Queremos ir e detonar.’ Então eu escolhi me afastar e eles escolheram continuar. Mas então eles afundaram por alguns anos e não fizeram nada por causa disso. Então, se eles tivessem escutado o que eu disse, teríamos tirado uma folga juntos que eu queria tirar, poderíamos ter voltado e feito aquilo. Mas não era isso que deveria acontecer. E agora, o que aconteceu, fisicamente, ombros, todas essas outras coisas, eu não poderia estar na banda deles da maneira que eu quero“, aparentemente aludindo ao fato de que suas doenças físicas nas últimas duas décadas o teriam impedido de poder fazer turnês por longos períodos de tempo.

Embora Newsted diga que “sempre será um membro do Metallica“, são seus ex-colegas de banda que “farão o trabalho eles vão lá e fazem as coisas deles, e eu vou apenas arvorar a bandeira e sempre ter orgulho deles“, disse ele.

Há cinco anos, Newsted, agora com 56 anos, cancelou uma aparição no festival Soundwave da Austrália com sua banda Newsted, citando “circunstâncias pessoais e privadas“. O cancelamento seguiu mais de um ano de intensa atividade promocional e de turnê em torno do lançamento do EP “Metal” e do álbum de acompanhamento, “Heavy Metal Music“, ambos recebidos positivamente pela crítica e pelos fãs.

Depois de ficar em grande parte fora dos olhos do público por alguns anos, Newsted se juntou ao Voivod no palco durante o concerto de Junho de 2016 no Slim’s em San Francisco, Califórnia. Desde então, ele formou alguns novos projetos acústicos, um dos quais completou uma curta turnê pela Costa Oeste.

Jason foi introduzido no Rock And Roll Hall Of Fame, juntamente com o guitarrista/vocalista do Metallica, James Hetfield, o baterista Lars Ulrich, o guitarrista Kirk Hammett e o homem que o substituiu, Robert Trujillo, em 2009.

Jason Newsted is LIVE with The Love Doctors!

Posted by Real Radio 94.3fm on Thursday, 3 October 2019

Fonte: Blabbermouth

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish