Hidden Treasures – Calhamblack (Brasil)

by Helton Grunge

País de Origem: Brasil
Ano de Atividade: 2002 – 2008
Gênero: Rock and Roll

Hidden Treasures é um quadro semanal feito para mostrar bandas do Underground que poderiam perfeitamente ter entrado para o mainstream. No texto de hoje falaremos de uma banda nacional que encerrou suas atividades em 2008 e que poderia ter alçado voos ainda mais altos, atingindo de vez o mainstream. O nome da banda que está no quadro hoje é Calhamblack

Calhamblack foi uma banda de Rock and Roll/Rock Alternativo formada em Matão – SP em 2002.

A banda iniciou seus trabalhos com uma reunião de amigos que passaram a ensaiar para tocarem as músicas que sempre gostaram. Com o tempo, resolveram trabalhar em composições próprias que os integrantes estavam escrevendo. Assim, o interesse no trabalho autoral começou a fluir mais intensamente e a banda seguiu seus ensaios.

Porém, depois de algum tempo, apenas o Tchago Cecchetto (que era guitarrista no início do trabalho) decidiu levar adiante o projeto e colocar em prática a ideia de trabalhar nas músicas autorais. Sendo assim, ele decidiu ir até Araraquara – SP, cidade vizinha, e gravou sozinho o primeiro trabalho da banda, o álbum Carpe Diem (2002).

Carpe Diem (2002)

01. Outra Vez
02. Apenas Brinquedos
03. Tão Simples
04. Tangos e Tragédias
05. Fazendo Dez8ito

Neste primeiro álbum, o músico gravou as vozes, a guitarra, o baixo e a bateria de todas as faixas. O fato de o músico ter iniciado sua carreira musical na bateria permitiu que isto fosse possível.

Tchago acreditava tanto no trabalho que mergulhou de cabeça e investiu tudo o que pode para que o projeto não parasse por ali.

Após a gravação do primeiro trabalho, Tchago Cecchetto foi em busca de parceiros para trabalhar no projeto da banda ao seu lado. Encontrou Serginho D’Avassi (baixo) e Bruno Beraldo (bateria), formando assim o power trio da formação clássica da banda Calhamblack.

Os ensaios foram rendendo bem e a banda começou a ir para a estrada divulgar seu trabalho autoral.

Depois de um tempo na estrada fazendo shows, participando de festivais da região do interior de São Paulo, o power trio resolveu entrar em estúdio para gravar seu segundo trabalho de estúdio.

3×4 – Tudo Agora e ao mesmo tempo (2005)

01. Intro
02. 10 de Maio
03. Tudo agora e ao mesmo tempo
04. Oh Lua
05. Wolverine Song
06. Velhas Lixeiras
07. A Montanha e o Sol
08. Aquilo que se fez, aquilo que se faz
09. Vice-versa
10. Tu me dizia
11. As vezes, 10 vezes
12. Quando Eu Quiser
13. Oh Lua (Versão violão)

Este foi o trabalho que mais rendeu frutos para a banda. Aqui, a banda já estava fazendo vários shows e estava bem entrosada, com uma sonoridade bem definida. Sendo assim, a obra soou muito interessante para o público e alguns dos maiores sucessos da carreira da banda ficaram registrados aqui.

Para impulsionar ainda mais o alcance do trabalho, a banda foi vencedora do prêmio Demo Hits, uma parceria da Claro com a MTV. A premiação foi a produção de um videoclipe no valor de R$50.000,00 e um tempo de assessoria feita pela Claro, que ajudava bastante na divulgação dos trabalhos da banda para jornais, revistas especializadas e rádios. Além disto, a faixa Tudo Agora e ao mesmo tempo virou ringtone, toque de celular que poderia ser baixado na época pelo site oficial da Claro.

Esta foi a época mais promissora da banda, onde chegou a ter seu videoclipe veiculado na MTV e chegou a sair em algumas revistas e jornais da época, falando sobre o álbum e a música vencedora do quadro, a Tudo agora e ao mesmo tempo. Confira abaixo a estreia do videoclipe na MTV.

A banda chegou a abrir shows de grandes nomes do Rock Nacional: Velhas Virgens, Capital Inicial, Raimundos e Frejat foram algumas destas bandas.

Para a divulgação do seu trabalho a banda utilizava o Fotolog e o Flogão, mídias alternativas muito utilizadas pelas bandas para divulgar novidades e datas de shows. Além disso, os músicos pegavam os discos prensados e distribuíam pelas rádios da região do interior de São Paulo, a fim de que elas colocassem seus trabalhos para tocar em suas programações.

“A gente fazia cópias do nossos CD`s e ia até as feiras das cidades. Lá, enquanto pedíamos para ver os CD’s das barracas, colocávamos o nosso ali no meio para a galera comprar. A gente pirateava nosso próprio trabalho para divulgar ainda mais”.

Tchago Cecchetto

Nesta época, a banda fazia shows de quinta-feira a domingo, todos os fins de semana, além de sempre estarem dando entrevistas em rádios, para revistas especializadas e até na TV. Aquele sonho adolescente de se viver da música estava sendo realizado e a banda estava a um passo do mainstream.

“Meu pai sempre me falava ‘Esse negócio de banda vai atrapalhar seu trabalho’, quando a banda começou a dar certo, ele me disse ‘esse seu trabalho vai atrapalhar a banda’”.

Tchago Cecchetto

Porém, com o passar do tempo e as mudanças da vida, o baixista Serginho D’Avassi e o baterista Bruno Beraldo resolveram deixar a banda e seguiram outros caminhos. Mesmo assim, Tchago Cecchetto não desanimou e encontrou o baixista Digão e o baterista Matheus Carvalho para seguirem com ele na Calhamblack.

Os ensaios continuaram a todo vapor e os shows também seguiam. Com o tempo, foram surgindo novas composições que a banda estava fazendo.

Cada um cada um, cada dois já dá problema (2009)

01. A Queda
02. Ditamoda
03. Filme B
04. Deixe Estar (Let it Be)
05. Que?
06. No Mesmo Eixo
07. Por Essas e Outras
08. Dando a Cara Pra Bater
09. Baleado
10. Cadaumcadaum, cadadoisjádáproblema
11. Rotina Matina
12. Fim do Jogo

A banda encerrou as atividades em 2008 após o guitarrista e vocalista Tchago Cecchetto ter se mudado para São Paulo – SP. A ideia inicial era que esta mudança abrisse caminho para que toda a banda estivesse na capital em seguida para poder seguirem carreira e investirem ainda mais no projeto. Porém, pelas mudanças da vida e das circunstâncias, os amigos decidiram encerrar as atividades.

O disco ficou pronto apenas um pouco depois, mas as faixas da banda ainda podem ser conferidas pela internet no Youtube e no Palco MP3.

Um grande marco para a banda foi o fato de ter influenciado outras da cidade e até da região a seguirem com seu trabalho autoral, uma vez que foram pioneiros no trabalho no seguimento a levarem o nome da cidade pelos shows.

A banda chegou a se apresentar em festivais pelo Brasil tocando seu trabalho autoral. Dentre estes festivais, estão: FACIMA, de Matão – SP; FACIRA, de Araraquara – SP e Electro Beer, de Montes Claros – MG.

Atualmente o guitarrista e vocalista Tchago Cecchetto toca em uma banda cover do Rolling Stones chamada Rockin Stones; na banda ele toca guitarra e faz backing vocals.

Formação:

Tchago Cecchetto – Guitarras e vocais
Serginho D’Avassi – Baixo
Bruno Beraldo – Bateria

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish