Hoje nossa seção Heavy Metal Pelo Mundo desembarca em um dos mais encantadores países da Europa: a Espanha! Engana-se quem pensa que a Espanha é conhecida apenas pelas touradas, pelos grandiosos clubes de futebol como Real Madrid e Barcelona, ou pelos vinhos, a culinária cheia de particularidades; a Espanha também tem muito Rock/Heavy Metal de inegável qualidade. Se a Espanha ainda não faz parte do primeiro time de grandes bandas, possivelmente o será dentro em breve, já que cada vez mais, despontam talentos por lá.

A Espanha ou Reino de Espanha é um país europeu localizado na Península Ibérica. Seu território limita-se com Portugal, com o Mar Mediterrâneo, França e o oceano Atlântico. Geograficamente, o território espanhol encontra-se parte no hemisfério norte e parte no hemisfério ocidental. O país tem como capital a cidade de Madrid. O território do país abrange uma área de 504 782 km², onde está dispersa uma população de aproximadamente 45 milhões de habitantes. A moeda é o euro. O idioma oficial é espanhol e cooficiais, o basco, catalão, valenciano e galego.

Mas como o que interessa aqui, é música pesada, vamos ver abaixo o que temos de bom nesse encantador país:

LORDS OF BLACK

Dizer que o Lords of Black é apenas a banda que revelou ao mundo o vocalista Ronnie Romero (Rainbow, The Ferrymen, Vandenberg) é uma tremenda injustiça. Com 4 trabalhos de estúdio executados em seus 6 anos de carreira, a banda já é uma referência. Romero não apenas se contenta em ser mais um na cena metálica: já executou covers de vocalistas como Freddie Mercury, Ronnie James Dio e Bruce Dickinson, todos com extrema maestria. Romero deixou a banda em 2019, e felizmente, retornou no ano seguinte para alegria dos fãs. Altamente indicados para fãs de Power Metal e bandas como Masterplan e Circle II Circle. Seu mais recente trabalho é “Alchemy of Souls Pt. I” lançado em 2020.

Lords of Black – Into the Black (2020)

VHÄLDEMAR

Mais Power Metal passando por aqui, porém desta feita, algo mais voltado ao chamado ‘Metal Espadinha’. O lado épico das letras (mas sem exageros), os arranjos ousados e pomposos, são a marca registrada do Vhäldemar. Os solos da banda são bem elaborados e encaixados, e ficam a cargo do grande guitarrista Pedro J. Monge. As capas e a parte gráfica do trabalho são das mais bem elaboradas que já vi. Com mais de 20 anos de carreira e 6 trabalhos completos, a banda nunca interrompeu suas atividades, tendo lançado este ano, o ótimo “Straight to Hell”. Apesar do nome ‘levemente esquisito’, o Vhäldemar merece destaque.

Vhäldemar – Death to the Wizard! (2020)

AVALANCH

Não é tão comum na Espanha, bandas que cantem em espanhol e o Avalanch foge à essa regra, já que a maioria das letras, é no idioma nativo. Nascida no final dos anos 80 sob o nome de Speed Demons, no ano seguinte Avalancha e uns anos após veio a mudança para o nome definitivo, a pegada da banda pende mais para o progressivo, não tão comum no país. Em 2012, encerraram as atividades retornando 4 anos depois, já chegando em 2019, ao seu 13º trabalho de estúdio, “El Secreto”. Uma verdadeira bandeira do metal espanhol!

Avalanch – Malefic Time: Apocalypse (2012)

STRAVAGANZZA

Nascida Dyosh, a banda passou a assinar o nome Stravaganzza em 2003, fazendo aquele som cheio de sentimento, melodia e cheio de arranjos sinfônicos e orquestrados. As letras são um dos pontos fortes, cheias de emoção, citações filosóficas e que combinam harmonicamente com o som. Em 2010 encerraram as atividades e retornaram com o mesmo line up pouco tempo depois, porém ainda nenhum lançamento inédito de estúdio ocorreu, porém, o trabalho ao vivo “La Noche del Fénix”(2020) mostra que definitivamente, a banda ressurgiu das cinzas. Fãs de bandas como Angra e Kamelot, podem conferir.

Stravaganzza – Hijo de la Luna (2006)

TIERRA SANTA

Mais uma banda com letras em espanhol e com uma história de dar inveja a muitas bandas grandes. Nascida sob o nome de Privacy, gravaram seu primeiro trabalho em 1997 já grafando o nome atual. Participaram do tributo ao Iron Maiden lançado em 2002 gravando o hit “Flight of Icarus”. Guardadas as devidas proporções, a banda é o Iron Maiden espanhol! O mais recente trabalho é “Quinto Elemento” (2017). Mais uma banda que mostra, literalmente, a força do Power Metal na Espanha. Se não são tão clássicos e famosos como os alemães, o país tem uma fortíssima cena do estilo.

Tierra Santa – Caín (2017)

KTULU

Também há na Espanha, Heavy Metal além do Power Metal. Não é coincidência: a banda batizou-se com a clássica faixa instrumental do Metallica, “The Call of Ktulu”. Com fortes influências de Metal Industrial, como o Fear Factory por exemplo, a banda é energética, brutal, com o vocalista Willy sendo um diferencial. Sua voz, lembra, e muito, a de Max Cavalera. O mais recente trabalho de estúdio é Makinal (2012). Fãs de Soulfly e até Brujeria, vão adorar!

Ktulu – Kontra_Adicción (2012)

NOCTEM

Talvez o principal nome do Metal Extremo espanhol. Black/Death, aqui você encontra tudo em doses nada homeopáticas. É tudo extremo, brutal e bem produzido, e nisso, ponto para a banda. O vocal é tão rasgado e extremo, que me faz pensar que é uma banda norueguesa lá dos anos 90. Em relação aos primeiros trabalhos, a banda está cada vez mais soando Black tradicional e menos Death Metal. Pessoalmente falando, minha banda preferida do país, ao lado do Lords of Black. Com 5 álbuns de estúdio, desde 2009, seu mais recente trabalho é “The Black Consegration” (2019). Fãs do lado mais obscuro das trevas, Noctem é especialmente para vocês!

DARK MOOR

Voltamos ao Power Metal espanhol! Não dá pra deixar de citar o Dark Moor, uma das bandeiras nacionais. Lá em 1999, lançaram seu 1º trabalho, “Shadowland” e destacaram-se por ter uma voz feminina, da cantora Eliza C. Martín que deixou a banda em 2003 e de lá para cá, estabilizaram-se com Alfred Romero, que não possui parentesco com Ronnie Romero. O Dark Moor é uma espécie de Tuatha de Danann da Espanha: música folclórica, temas locais, históricos, instrumentos de sopro como flautas e gaita de fole, tudo como manda o figurino. Ainda nos primórdios, gravaram um cover da clássica “Halloween” e apresentaram-se ao mundo. Com 11 álbuns de estúdio, seu mais recente trabalho é “Origins” (2018), que curiosamente, foi lançado de forma independente.

Dark Moor – Birth of the Sun (2018)

ANGELUS APATRIDA

A intensa onda Thrash que invadiu a Europa nestas duas últimas décadas, com nomes como Suicidal Angels, a volta de bandas tradicionais como Exumer, Onslaught, etc…, teve a imensa colaboração do Angelus Apatrida, um dos principais nomes do estilo na atualidade. Tive a oportunidade de assisti-los ao vivo em uma tradicional casa de shows em São Paulo e fiquei boquiaberto com o poder de fogo dos caras. Thrash Metal virtuoso, sujo, cru, tipicamente Old School, o fará bangear sem parar. Seu mais recente trabalho é “Cabaret de la Guillotine” (2018), e para 2021, teremos o lançamento do 7º disco, auto-intutulado. Para ouvir no volume máximo!

Angelus Apatrida – Bleed the Crown (2020)

Ficamos por aqui. Na próxima sexta feira, um novo destino para a seção Heavy Metal Pelo Mundo. Nos vemos lá!