Dia Mundial do Rock: 32 anos da História mal contada e o reflexo sobre o Metal

 A data é esta, 13 de julho, o Dia Mundial do Rock. Mas até onde o público se recorda do motivo pelo qual foi criado?

Passou-se 32 anos desde que, sob organização de Bob Geldof (Pink Floyd-The Wall), ocorreu um dos maiores concertos solidários da história, o Live Aid. Com propósito de levar auxílio e combater a fome na Etiópia, a iniciativa trouxe aos olhos do mundo as tragédias humanitárias e comoveu as massas disseminando em grande escala a solidariedade em meio a uma época em que a Alemanha seguia dividida e o Muro de Berlim ainda existia.

Organizado em apenas 19 semanas o mega festival foi dividido em dois locais levando 90 mil pessoas a Filadélfia (Estados Unidos) e mais 72 mil a Wembley (Inglaterra). Ao todo cerca de dois bilhões de pessoas se envolveram com o festival que arrecadou milhões alem de reunir potentes nomes como Status Quo, Queen, Led Zeppelin, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Black Sabbath e Phill Collins que tocou nos dois lugares.

View post on imgur.com

E os números seguiram extraordinários para a época com mais de dois bilhões de pessoas assistindo no mundo todo, num total de 500 milhões de TVs, via 14 satélites. A ideia de ajudar a Etiópia apareceu em novembro de 1984, quando Geldof viu uma reportagem na BBC. Como sabia que sozinho não conseguiria fazer nada, pediu ajuda a Midge Ure, dos Ultravox, e juntos escreveram “Do They Know It’s Christmas?“. Depois de marcar entrevista com Richard Skinner, da BBC Radio 1, Geldof publicitou a ideia de editar um single de caridade. Assim, formou-se o grupo Band Aid, formado por: Adam Clayton (U2), Phil Collins (Genesis), Bob Geldof (The Boomtown Rats), Steve Norman (Spandau Ballet), Chris Cross (Ultravox), John Taylor (Duran Duran), Paul Young, Tony Hadley (Spandau Ballet), Glenn Gregory (Heaven 17), Simon Le Bon (Duran Duran), Simon Crowe (The Boomtown Rats), Marilyn, Keren Woodward (Bananarama), Martin Kemp (Spandau Ballet), Jody Watley (Shalamar), Bono (U2), Paul Weller (The Style Council), James “J.T.” Taylor (Kool & the Gang), George Michael (Wham!), Midge Ure (Ultravox), Martyn Ware (Heaven 17), John Keeble (Spandau Ballet), Gary Kemp (Spandau Ballet), Roger Taylor (Duran Duran), Sara Dallin (Bananarama), Siobhan Fahey (Bananarama), Pete Briquette (The Boomtown Rats), Francis Rossi (Status Quo), Robert ‘Kool’ Bell (Kool & the Gang), Dennis J. T. Thomas (Kool & the Gang), Andy Taylor (Duran Duran), Jon Moss (Culture Club), Sting (The Police), Rick Parfitt (Status Quo), Nick Rhodes (Duran Duran), Johnny Fingers (The Boomtown Rats), David Bowie, Paul Stanley (Kiss), Roger Daltrey (The Who), Steven Tyler (Aerosmith), Michael Jackson, Boy George (Culture Club), Holly Johnson (Frankie Goes to Hollywood), Paul McCartney, Stuart Adamson (Big Country), Bruce Watson (Big Country), Tony Butler (Big Country) e Mark Brzezicki (Big Country). O single foi editado para antes do Natal e passou a ser o mais vendido da história do Reino Unido.

View post on imgur.com

 

Passados 32 anos, o sonho de ajudar ao próximo pela música parece ter definhado na mesma proporção uma vez que a data é apenas comemorada no Brasil como o “Dia Mundial do Rock”, decorrente do discurso inflamado de Phill Collins durante o mega concerto, um simbolismo que nunca foi levado a sério pelos demais países e que apenas surtiu algum efeito por aqui após duas rádios paulistanas (89FM e 97FM) passarem a mencionar anualmente a data que foi amplamente aceita pelos ouvintes e passou a ser popular em todo o Brasil.

Embora muitas bandas, eventos, rádios e lojas por aqui tenham adotado a data como estratégia de marketing e muitas outras com o intuito de promover solidariedade arrecadando alimentos, agasalhos e remédios, o assunto divide opiniões e não nos traz nenhum acréscimo a não ser recordar alguns dos grandes shows daquele dia, mesmo com a BBC tendo feito a transmissão ao vivo pouca coisa foi gravada, mas o pouco é realmente gratificante.

Em meados de 2005, 20 anos depois do primeiro evento, Bob Geldof organizou o Live 8, uma nova edição com estrutura muito maior e shows em mais países, mas desta vez o objetivo foi pressionar os líderes do G8 a perdoar a dívida externa dos países mais pobres e erradicar a miséria do mundo. Mesmo assim, 32 anos depois, os problemas persistem e o que fica é a certeza de somas astronômicas mal aplicadas e governos que impõem barreiras para a dissolução de problemas tão graves para a humanidade.

E o metal?

Com exceção do Black Sabbath com Ozzy Osbourne, Led Zeppelin (com Chester Thompson e Phil Collins como bateristas) e Judas Priest, o Live Aid renegou o metal apostando em nomes do cenário pop e coringas dos anos 70, o que foi rebatido em 1986 com uma resposta rápida encabeçada por Ronnie James Dio que também se propôs a ajudar a combater a fome na África com o projeto Hear’n Aid.

View post on imgur.com

Com o auxilio de dois integrantes de sua banda na época, o guitarrista Vivian Campbell e o baixista Jimmy Bain, o projeto foi gravado nos dias 20 e 21 de Maio de 1985. Reuniu a nata do rock pesado da época, com mais de 40 artistas entupindo os estúdios da A&M Records, em Los Angeles. Todos estiveram presentes nas gravações da música “Stars”, entre eles:

Tommy Aldridge (Ozzy e Whitesnake), Carmine Appice (Beck, Bogert and Appice, King Kobra), Vinnie Appice (Dio e Black Sabbath) e Frankie Banali (Quiet Riot); o vocalista Eric Bloom (Blue Oyster Cult), Vivian Campbell, o guitarrista Carlos Cavazo (Quiet Riot), Ronnie James Dio, Don Dokken (guitarra e vocal do Dokken), os guitarristas Brad Gillis (Ozzy), Craig Goldy (Dio), Chris Holmes (W.A.S.P.), Yngwie Malmsteen, Dave Murray e Adrian Smith (ambos do Iron Maiden), George Lynch (Dokken e Lynch Mob), Neal Schon (Journey), Ted Nugent e os vocalistas Rob Halford (Judas Priest), Kevin Dubrow (Quiet Riot), Blackie Lawless ((W.A.S.P.), Dave Meniketti (Y&T), Vince Neil (Motley Crue) e Geoff Tate (Queensryche), entre outros.

Tracklist:

1 – Vários – “Stars” – 7:18

2 – Accept – “Up To The Limit” – 5:05

3 – Motörhead – “On The Road” – 4:57

4 – Rush – “Distant Early Warning” – 5:09

5 – Kiss – “Heaven’s On Fire” – 4:24

6  – Jimi Hendrix – “Can You ‘See Me” – 2:29

7 – Dio – “Hungry For Heaven” – 4:47

 8 – Y&T – “Go for The Throat” – 4:35

8 – Scorpions – “The Zoo” – 6:15

Apesar de o projeto ter arrecadado apenas US$ 1 milhão considera-se um grande marco para o estilo que crescia e hoje se vê consolidado e pai de diversas variações.

Muitas foram as tentativas de novas reuniões, em diferentes segmentos do metal, em prol de fins filantrópicos. No entanto até hoje os projetos se limitam a efeitos temporários e sem muito mérito, concluindo que o tal “Dia Mundial do Rock” foi apenas uma miragem que sucumbiu no horizonte!

Compartilhe:

Tags

Sobre: Tatianny Ruiz

Tatianny Ruiz

Tatianny Ruiz, 31 anos, paulistana até o osso, apaixonada por música desde menina, musicista por devoção, divide o tempo entre a família e seu amor pelo Heavy Metal, mas procura acompanhar todas as vertentes, pois considera que o Rock’N Roll se tornou muito amplo para limitações.

Você talvez também goste...

Comentários

Inscreva-se em nosso Feed

Esteja atualizado com tudo que acontece na cena Rock/Metal!

Siga-nos!

Comentários Recentes

Siga-nos os bons!