O ano de 2017 foi repleto de bons lançamentos no cenário underground do metal. O metal extremo sempre bem representado, trouxe excelentes registros, e como é impossível listar todos os ótimos lançamentos, aqui está a primeira parte da lista que conta com os 15 álbuns que mais se destacaram no cenário Death Metal.

15. Immolation – “Atonement”

A banda americana Immolation sempre traz expectativa quanto aos seus lançamentos.

No início de 2017 anunciaram que logo menos estariam lançando seu novo registro, “Atonement” que sucede o bem acolhido “Kingdom of Conspiracy” (2014).

A banda passou por mudanças em sua formação, tendo a saída do guitarrista Bill Taylor e em seu lugar foi recrutado  Alex Bouks (Ex-Goreaphobia/Ex-Incantation). O novo registro mantém a marca registrada do grupo, um Death Metal cadenciado, com riffs densos, vocais marcantes e principalmente linhas de bateria totalmente técnicas.

O Immolation conseguiu apresentar um excelente álbum, mais um para a carreira irretocável dos mestres americanos.

Selo: Nuclear Blast

14. Hour of Penance – “Cast The First Stone”

Temos aqui um representante italiano entre os melhores de 2017.

Para quem não conhece, a banda Hour of Penance coroou seus fãs no ano passado com seu sétimo registro de estúdio, “Cast The First Stone” que traz a banda em seu melhor momento, apresentando um Brutal/Technical Death Metal de qualidade, mostrando que não há limites nem patamares pra criatividade do grupo.

Para quem gosta de bandas como Nile, Dying Fetus e Obscura, pode ouvir este novo registro sem receio, brutal, agressivo e herege.

Selo: Prosthetic Records

13. Genocídio – “Under Heaven None”

Eis que uma das bandas mais tradicionais do Death Metal underground nacional lançou seu novo álbum.

O Genocídio é um grupo que sempre consegue se reinventar e trazer excelentes registros. “Under Heaven None” é o oitavo registro de estúdio dos paulistas e apresenta um Death Metal cru, que em momentos flerta com o Black Metal da velha escolha exemplificado por bandas como Rotting Christ, Varathron e Venom.

Temos aqui uma evolução do antecessor “In Love With Hatred” lançado em 2014. Em se tratando de Genocídio, a garantia é de um álbum pesado, agressivo e principalmente com a personalidade única dos mestres do Death Metal brasileiro.

Selo: Wikimetal Music

12. Cytotoxin – “Gammageddon”

Os alemães do Cytotoxin apresentaram em 2017 seu terceiro registro de estúdio.

Para quem não conhece a banda traz em seu DNA uma mescla de Death Metal e Gore, tendo vocais totalmente sujos e agressivos muito próximos ao GoreGrind com linhas instrumentais técnicas e agressivas. Temos em “Gammageddon”um excelente registro que consegue trazer o lado mais brutal e agressivo do Death Metal mesclado com a violência desenfreada do GoreGrind.

Selo: Unique Leader Records

11. Suffocation – “…Of The Dark Light”

Um dos pilares do Old School Death Metal lançou em 2017 seu novo álbum de estúdio.

“…Of The Dark Light”  é o oitavo registro de estúdio dos americanos e traz como de praxe uma aula de Brutal Death Metal. É incrível como mesmo com mudanças de formação constantes, a banda não perde a essência e nem o andar da carruagem, conseguindo superar-se a cada disco.

Nesse atual lançamento temos uma demonstração de como o Brutal Death Metal tem que ser, uma sonoridade suja, densa, com quebras de tempo e viradas técnicas, vocais graves ao extremo com personalidade e  DNA únicos, características que fazem do Suffocation um dos nomes mais respeitados dentro do gênero.

Selo: Nuclear Blast