Dado o histórico de parceria entre Cameron Crowe e o Pearl Jam, até perguntamos porque não há mais clipes produzidos em conjunto pelas duas partes. Não que se possa reclamar, afinal, há um bom material de colaborações realizadas, mas clipe, apenas um.

“The Fixer” foi o primeiro single retirado do álbum “Backspacer”, de 2009, e traz uma letra carregada de proatividade. A produção do vídeo foi pensada de forma a colocar a banda tocando frente a uma plateia, fazendo também a inserção dos sons desta que, no material original do álbum, não existem. O efeito obtido foi de um acréscimo na empolgação natural que a canção possui por si só. Para amplificar ainda mais esse objetivo, a banda aparece cercada por telões gigantes que reproduzem imagens, tanto dos músicos, quanto do público, gerando um efeito bem dinâmico, onde temos por vezes a impressão de que a plateia está espalhada em todo o entorno do palco e não apenas posicionada na frente.

A única outra experiência de Crowe em clipes foi no comando da gravação de “Would?”, do Alice In Chains. Percebe-se que o diretor fincou os pés dentro de sua área de conforto aqui, afinal já havia trabalhado com integrantes de ambas as bandas quando realizou “Singles” (“Vida de Solteiro”, no Brasil), de 1992, uma espécie de filme símbolo daquele momento da música na geração de Seattle, com Matt Dillon e Bridget Fonda no elenco. Mas a jornada musical do ex-jornalista da Rolling Stone não terminou aí. O diretor do premiado “Jerry Maguire” e de “Vanilla Sky”, ambos com Tom Cruise, e de “Compramos um Zoológico”, com Matt Damon, dirigiu o já clássico e semi-autobiográfico “Quase Famosos”, com Kate Hudson e Billy Crudup, carregado de referências ao cenário de Rock’n’Roll dos anos setenta, com mais ênfase no Led Zeppelin.

Com o Pearl Jam, especificamente, realizou o documentário “Pearl Jam Twenty”, em comemoração aos vinte anos do grupo, e foi produtor executivo de “Single Video Theory”, dirigido por Mark Pellington, que aborda a gravação do álbum “Yield”, de 1998. Embora a banda esteja em plena atividade, tendo lançado o álbum “Gigaton”, em 2020, o cineasta não tem dado notícia de seus novos projetos, sendo o seriado “Roadies”, de 2016, produzido para a Showtime, com Luke Wilson e Carla Gugino, e a produção do documentário “David Crosby: Esse é Meu Nome”, de 2019, suas mais recentes realizações. Torcemos para que Crowe ressurja logo com mais algum filme, pois é um grande contador de histórias e, se envolver o Rock’n’Roll no roteiro, melhor ainda!

Baixe nosso aplicativo na Play Store e tenha todos os nossos conteúdos na palma de sua mão.
Link do APP: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.roadiemetalapp
Disponível apenas para Android

Encontre sua banda favorita