A obra de Ronnie James Dio passou por tantas fases que pareceria ser mais simples dividi-la e analisar cada parte separadamente.
Mas não seria o correto. A aura, o talento, a voz do cantor sempre foi o ponto convergente, atraindo tudo para si com a força gravitacional de um sol! O Black Sabbath com Ronnie era outra banda. O Rainbow com Ronnie era outra banda…
Assim, esquentamos os neurônios para escolher o melhor de toda a sua carreira. O resultado está abaixo.

10ª. The Sign of the Southern Cross (Black Sabbath, do disco Mob Rules, 1981) – 33,5 pontos
A mais longa e épica faixa de “Mob Rules” é o ponto alto deste álbum, sendo o mais preciso ponto de conexão entre o repertório deste e o de “Heaven and Hell”.

9ª. Long Live Rock’n’Roll (Rainbow, do disco Long Live Rock’n’Roll, 1978) – 39 pontos
Irônico que um álbum, com o lema “Long Live” estampado na capa, seja o canto do cisne de uma das mais criativas parcerias musicais já registradas. A canção título está entre as mais vibrantes e pegajosas do catálogo do Rainbow.

8ª. Dont Talk to Strangers (Dio, do disco Holy Diver, 1983) – 40 pontos
Não falar com estranhos é, em muitas vezes, um bom conselho. Para reforçar o aviso, a música lhe surpreende com impacto, no momento que você menos espera, em sua parte introdutória.

7ª. Die Young (Black Sabbath, do disco Heaven and Hell, 1980) – 46,5 pontos
A versão sabática para o lema “Quero morrer antes de ficar velho”, consagrado pelo The Who, e transformado aqui em uma música de velocidade e alternância para climas melódicos.

6ª. The Last in Line (Dio, do disco The Last in Line, 1984) – 55 pontos
A faixa título do segundo álbum da banda Dio mostrou a força desta e consolidou os novos rumos de Ronnie, confirmando o sucesso atingido com a estreia em “Holy Diver”.

5ª. Children of the Sea (Black Sabbath, do disco Heaven and Hell, 1980) – 65,5 pontos
Poucas notas são necessárias para identificar essa poderosa canção, que tem início com Ronnie cantando de forma suave, até a entrada do riff de Tony Iommi e o emocionante refrão.

4ª. Stargazer (Rainbow, do disco Rising, 1976) – 71,5 pontos
“Stargazer” é, certamente, uma das mais primorosas composições já criadas dentro do Heavy Metal. O ápice da parceria de Ronnie com Ritchie Blackmore, enriquecido com a presença dos tambores de Cozy Powell e a produção de Martin Birch.

3ª. Rainbow in the Dark (Dio, do disco Holy Diver, 1983) – 72 pontos
Um arranjo maravilhoso, com uma melodia inesquecível de teclado sobrevoando por cima do riff pesado. “Rainbow in the Dark” é emocionante e luminosa como se fosse, literalmente, um arco-íris rompendo a escuridão.

2ª. Heaven and Hell (Black Sabbath, do disco Heaven and Hell, 1980) – 82 pontos
Ronnie acumulou clássicos em todos os momentos de sua carreira, mas algumas canções tornaram-se mais simbólicas. “Heaven and Hell” é a representativa desse aspecto dentro do acervo de sua participação com o Black Sabbath e sua letra, sob certa forma, resume as principais escolhas temáticas de Dio como compositor.

1ª. Holy Diver (Dio, do disco Holy Diver, 1983) – 98 pontos
Tendo passado por tantas bandas, Dio finalmente assumia a liderança de seus projetos, e o fez de forma arrebatadora. “Holy Diver”, o álbum, tornou-se um grande sucesso, e sua faixa título é a canção que mais rapidamente vem à memória quando se fala de DIO!

Redatores responsáveis pela votação: Gleison Jr., Marcos Gonçalves, Alexandre Temoteo, Helton Grunge, Vitor Sobreira, Anderson Frota, Daniela Farah, Renan Soares, Jessica Alves, Jessica da Mata, Alexandre Veronesi, Pedro Henrique, Mauro Antunes, Giovani Turazi, Alessandro Iglesias, Caio Cesar, Jennifer Kelly, Rafael Sgroi, Carlos H. Silva, Diego Reis, Geize Ester e Guilherme Costa

Encontre sua banda favorita