Hoje pela manhã, enquanto ouvia umas músicas da minha banda (Steel Hands) no Spotify e tentava rearranjar algumas para violão clássico, lembrei-me de um trecho do livro mais vendido da história (sim, vou citar a bíblia sagrada, se não tiver gostado, me processe!), que tratava do semeador. Diz o exemplo dado por Jesus, que o homem que atira suas sementes em solo pedregoso, certamente não terá uma boa colheita e as plantas que porventura conseguirem frutificar, darão frutos fracos e poucos. Pois bem, ter uma banda de Metal no Brasil, especialmente no Nordeste, poderia muito bem ser comparado ao ato de atirar suas melhores sementes em solo pedregoso. Poucos serão os frutos colhidos e boa parte das sementes será desperdiçada e plantada em vão. Mas, se é assim… por qual motivo ainda plantamos? O que nos leva a ficarmos trancados no quarto estudando nossos instrumentos ou aprimorando nossa técnica vocal por horas a fio, se a possibilidade de nos tornarmos grandes rockstars é quase nula? Bom, a resposta dessa pergunta fica aberta a qualquer um dos amigos leitores que queiram opinar, nosso site é livre e aberto a todos.  E como é livre, vou deixar aqui meu pensamento para discussão e reflexão. O homem que seleciona suas melhores sementes, vai sempre procurar o solo mais fértil para ter certeza de retorno. Sendo assim, não lhe importa trocar de semente conforme o solo ou trocar de campo conforme o cultivo. Já o sujeito que resolve, dentro do ambiente mais inóspito, montar um projeto musical juntamente a amigos que compartilham de suas mesmas paixões e anseios, o faz pelo mais puro, simples e sincero amor. Amor este que não espera grandes retornos, que se conscientiza de que cada pequena vitória deve ser recebida com os louvores de um grande feito, e que tem certeza de que mesmo sendo poucos, os que apreciam seu trabalho o levarão à posteridade, junto a seus filhos e netos. AVANTE!

Encontre sua banda favorita