O ex-vocalista do Anthrax, Neil Turbin, entrevistou para o The Metal Voice o guitarrista do Accept, Wolf Hoffmann, em Pasadena, Califórnia, no The Rose em 29 de setembro. Wolf Hoffmann falou sobre os planos da banda de fazer turnê com orquestra pelo mundo, atualizações a respeito do novo álbum ao vivo, Symphonic Terror Live at Wacken 2017, que será lançado em 23 de novembro pela Nuclear Blast.

Veja abaixo (em inglês):

Quando perguntado sobre o novo álbum ao vivo, Symphonic Terror Live at Wacken 2017:

“Vai ser um CD/DVD do show incrível que fizemos no Wacken com uma orquestra. Eu sempre quis fazer isso e finalmente aconteceu quando tocamos no Wacken um setlist de 2 horas. Eu também toquei algumas coisas do meu álbum solo, ‘Headbangers Symphony’, e tocamos muitas músicas do Accept que nunca havíamos feito com orquestra. Eu sempre fui fã de música clássica, mas nunca fui um músico treinado na área. Meu álbum solo foi mais como um tributo de um intruso. Eu cresci querendo fazer barulho com uma pilha de (amplificadores) Marshall. Muitas dessas peças clássicas são bonitas e sempre pensei que seria legal ter vários violinos no palco e combinar os dois mundos.”

Quando perguntado se a banda planeja fazer turnê com uma orquestra:

“A orquestra no Wacken foi concebida para ser algo isolado, mas todo mundo gostou tanto e nós adoramos tanto que decidimos levar para a estrada conosco de alguma forma porque era o que devia ser. Nós vamos tocar com uma orquestra ano que vem pelo mundo todo. Vai começar na Europa, depois Rússia e depois o resto do mundo.”

Quando perguntado sobre detalhes de um próximo álbum de estúdio:

“Estamos tão ocupados fazendo turnês e com o álbum clássico perto de sair que ainda não tivemos tempo de trabalhar nisso. Sim, nós vamos fazer um novo álbum, mas ainda não sei quando vamos começar. Não consigo escrever na estrada. Será um momento quando eu deixar o tempo de lado e focar nisso. O direcionamento musical não vai mudar drasticamente, não queremos isso. Nós não mudamos nosso estilo nos quatro últimos álbuns.

Quando perguntado sobre seu estilo de composição:

“Eu não estou tentando escrever nada diferente. Eu tento escrever de acordo com o estado de espírito que tivermos no dia, como nos sentimos e resgatar isso, mesmo que seja algo de 40 anos atrás. Acho que nós criamos nosso estilo e estamos tentando escrever músicas que poderiam ter sido escritas há 30 anos. Nós estamos tentando compor à moda antiga com ferramentas modernas e tecnologia. Parece simples, mas não é. Não estamos tentando reinventar a roda, nós queremos construí-la com o que temos.”

Fonte: The Metal Voice

Encontre sua banda favorita