Roadie Metal Cronologia: Venom – Calm Before the Storm (1987)

by David Torres

Mudanças de sonoridade ou direcionamento musical de uma banda são normalmente polêmicas e sempre geram discussões infinitas entre seus fãs, principalmente fãs de Rock e Metal, alguns dos fãs mais xiitas que existem – quiçá os maiores. Dito isso, é interessante pontuar que nem mesmo bandas mais extremas e viscerais se isentam de sofrerem tais modificações em algum momento de suas carreiras.

Extremamente respeitados por terem concebido as obras primas monumentais “Welcome to Hell” (1981) e “Black Metal” (1982), os ingleses do Venom são considerados uma das bandas mais influentes do Metal. Possuindo uma sonoridade suja, crua, rápida e estupidamente insana, esses discos são legítimas clássicos não apenas da música extrema, como da música pesada mundial, repercutindo tanto no Metal como no Hardcore Punk. Após o lançamento desses materiais, o baixista e vocalista Cronos, o guitarrista Mantas e o baterista Abaddon ainda conceberam juntos os igualmente ótimos “At War with Satan” (1984) e “Possessed” (1985), trabalhos que possuem tanta qualidade quanto seus anteriores.

Depois que “Possessed” foi lançado, Mantas abandona o barco e retornaria apenas anos mais tarde, em “Prime Evil” (1989). Enquanto isso, Cronos recrutou a dupla de guitarristas Mike H. e Jim C. e agora como quarteto, lançaram “Calm Before the Storm”, em 07 de novembro de 1987, pelo selo Filmtrax. Trazendo uma capa menos original do que as anteriores, que se resume a foto de um céu negro com raios caindo, além do logo da banda e título do álbum, esse quinto álbum de estúdio é um divisor de águas na carreira do grupo.

Cronos e cia. pisaram no acelerador e entregaram composições mais cadenciadas e menos cruas do que de costume, apostando num direcionamento mais voltado ao Metal tradicional. Vale mencionar que até mesmo o visual dos integrantes mudou nessa ocasião, deixando de lado um pouco aqueles apetrechos mais carregados de outrora. Tal proposta desagradou alguns fãs mais ortodoxos, entretanto, embora esse disco seja um ponto fora da curva na vasta discografia desse ícone do Metal, será que trata-se de uma empreitada negativa? Nesse novo capítulo do Roadie Metal Cronologia vou destrinchar essa obra de ponta a ponta, portanto não deixem de ler as próximas linhas fanfarrônicas!

“Black Xmas” é a faixa encarregada de abrir o disco e já demonstra um direcionamento sonoro mais “clean” e com harmonias mais acessíveis. O andamento da composição é cadenciado e mais Heavy Metal, porém não deixa de ser bem feito e empolgante. Uma ótima forma de abrir o disco, sendo certamente um dos destaques desse trabalho. Também é importante mencionar que, embora a sonoridade tenha mudado um pouco, o conteúdo lírico permanece o mesmo. Na sequência, vem “The Chanting of the Priests”, que deixa ainda mais evidente a proposta desse disco em se diferenciar dos anteriores. Novamente temos um som que mais se assemelha ao Metal tradicional do que ao som mais visceral e veloz anteriormente produzido pelo grupo.

A terceira faixa, por sua vez, resgata um pouco da velocidade característica do Venom, ainda que em doses mais moderadas. “Metal Punk”, cujo título é auto-explicativo, traz linhas de bateria inquietantes de Abaddon, acompanhadas por riffs precisos da dupla Mike H. e Jim C., além do baixo e vocais tipicamente rasgados de Cronos. Muito bom! Em contrapartida, “Under a Spell” é igualmente empolgante, com uma levada que certamente incentiva o ouvinte a “banguear” no ritmo do som.

Na sequência, surge a faixa título, que certamente é outro dos destaques do disco. A composição se inicia com uma introdução instrumental progressiva e instigante e possui um refrão harmonioso e que gruda na mente com facilidade. Baita som! Em seguida, a banda acelera novamente com “Fire”, som incendiário e que conta com arranjos relativamente crus e uma pegada “Metal Pünx” contagiante.

“Krackin Up”, a sétima faixa, já se inicia com uma levada rápida de bateria, depois sofre uma cadenciada e retoma essa pegada no refrão. Não é um som que considero um destaque, entretanto também não deixa de ter qualidade. “Beauty and the Beast” também não é uma faixa que me chama tanto a atenção, porém não deixa de ser bem executada e com um desempenho acima da média de todos os membros da banda, novamente trazendo uma proposta de Metal mais tradicional e cadenciado.

Logo após surge “Deadline”, faixa mais acelerada e empolgante, recheada de palhetadas cortantes, uma “cozinha” moderadamente selvagem e vocais raivosos que caem com uma luva. A mesma pegada é mantida em “Gypsy”, outro petardo. Finalizando o álbum, temos “Muscle”, composição novamente cadenciada, mas que jamais abandona o seu peso.

Em poucas palavras, o veredicto final é que “Calm Before the Storm” pode não ser um clássico essencial como os trabalhos anteriores do Venom e pode até dividir as opiniões dos fãs, entretanto não deixa de ser uma obra de qualidade. Todas as faixas são boas em algum aspecto e tem algumas que se destacam facilmente devido a alguns atributos específicos. Cronos e cia. podem ter se aventurado por um caminho mais próximo do Metal tradicional, contudo essa mudança é agradável e não dilui o valor desse registro. Recomendo esse trabalho não apenas aos fãs do Venom que nunca o ouviram, como também a todo fã de Metal de forma geral. Ouça de mente e ouvidos abertos, certamente tornará a experiência ainda mais agradável.

Venom – Calm Before the Storm
Data de Lançamento – 07 de novembro de 1987
Gravadora – Filmtrax

Faixas:
1. Black Xmas
2. The Chanting of the Priests
3. Metal Punk
4. Under a Spell
5. Calm Before the Storm
6. Fire
7. Krackin Up
8. Beauty and the Beast
9. Deadline
10. Gypsy
11. Muscle

Formação no disco:
Cronos (Conrad Lant) – vocal e baixo
Abaddon (Anthony Bray) – bateria e vocal de apoio
Mike H. – guitarra e vocal de apoio
Jim C. – guitarra, teclados e vocal de apoio

  • 8/10
    Roadie Metal Cronologia: Venom - Calm Before the Storm (1987) - 8/10
8/10

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish