Resenha: Viletale – From the Depths ov Mind (2017)

by Vitor Sobreira

O Death Metal foi um estilo que me conquistou aos poucos com o passar dos anos, me fazendo saber – moderadamente – apreciar o que de bom tem a oferecer. Sendo o Brasil uma considerável sede do estilo, bandas e mais bandas não faltam para cada apreciador, e hoje falaremos um pouco sobre os catarinenses do Viletale e sua sombria sonoridade.

Como se gravado em uma lápide, 2016 é o ano onde tudo começou e sem perder tempo, os rapazes de Blumenau já liberaram o EP ‘Initiation’ como aperitivo, até que chegasse a vez do motivo do texto em questão, ‘From the Depths ov Mind’, em janeiro de 2017.

Bruno Jankauskas (vocal e guitarra), Alan Ricardo (guitarra e backing vocals), Filipe Oliveira (baixo) e Matheus Lunge (bateria) entregam ao ouvinte sete composições distribuídas em menos de meia hora de música. Se a arte de capa chama a atenção, com seu aspecto lúgubre em interessantes tonalidades de verde e o símbolo ocultista que você certamente já se cansou de ver no logo de King Diamond, a “cruz satânica” (o simbolo do enxofre, ou algo do tipo), o lado sonoro também pode lhe assegurar algumas surpresas, bem como se também for apreciador de um certo escritor estadunidense de temas fantasiosos e de horror.

Após a instrumental “Innsmouth”, “Shattered Existence” finalmente desvenda os olhos de seus neófitos com uma faixa urgente, meio confusa e com uns vocais que parecem ter sido inspirados – por vezes – num Dani Filth (Cradle of Filth) de décadas atrás. “Reign of Ulthar” fala sobre um conto de 1920, chamado “Os gatos de Ulthar”, do tal escritor dito mais acima, ninguém menos que H. P. Lovecraft (1890 – 1937)! Porém, no aspecto musical, a mesma deixou a desejar, buscando no Gore/Grind vocais mais graves (e embolados) e outros estranhamente esganiçados, além da qualidade de produção não ter contribuído em nada com o instrumental – o solo de guitarra ficou totalmente abafado! -, no estilo de uma antiga demo.

Com a esperança de melhorias, “Chant of the Mountain” surge como uma nuvem negra no horizonte, já se apresentando melhor que a anterior e se valendo de passagens mais trabalhadas e até melodiosas. Não sei se as composições têm grande diferença no período em que foram compostas e gravadas, ou se a banda quis apostar na diversidade, mas verdade seja dita, existe uma melhora significativa, até mesmo nos vocais! Como brinde, algumas passagens instrumentais podem lembrar um pouco o Death, com direito a um breve assombro Doom Metal. “O Espasmo e a Sabedoria” não passa de uma curta narração, mas infelizmente, o encarte não apresenta nenhuma informação sobre (ou mesmo outras, como a ficha técnica e coisas do tipo…).

“Tentacle God” é uma referência ao monstruoso Cthulhu, em um Death Metal direto e coeso, que tem uma sensível mudança de andamento em seus instantes finais, servindo como prelúdio para o inesperado encerramento “Arise, O Guardian”. Longa e épica, essa ficou do jeito que uma faixa nessa posição deve ser, incrementada com algumas notas de teclado e gritos agonizantes clamando pelo tal “Cthulhu”.

Para um registro no estilo seguido pelo Viletale, os cuidados com a gravação e demais processos em estúdio, precisam ser tratados com bastante cuidado (leia-se BASTANTE MESMO) e atenção. Aqui, infelizmente esse quesito ficou abaixo do esperado e não posso dizer que a qualidade final tenha ficado aceitável, mas em se tratando apenas de um segundo EP, é preciso dar algum desconto, ainda mais levando em consideração a desenvoltura dos músicos. Outra ressalva fica por conta dos vocais, onde o músico não se decidiu por qual caminho seguir – muito menos a hora certa de fazer isso – e por algumas composições, que na (possível) vontade da banda em soar diversificada, conseguiu a proeza da confusão em alguns momentos – poucos, mas, que não passaram despercebidos. Apesar disso, é fato que também existem os pontos interessantes, onde acredito terem sido melhor explorados nos trabalhos que sucederam a este.

Faixas:
01. Innsmouth (Instrumental)
02. Shattered Existance
03. Reign upon Ulthar
04. Chant of the Mountain
05. O Espasmo e a Sabedoria
06. Tentacle God
07. Arise, O Guardian.

6,5

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish