Produtor de Shout at the Devil, do Mötley Crüe, fala sobre as gravações

by Julian Barg

Em entrevista à SiriusXM, Tom Werman, o produtor do lendário álbum Shout at the Devil, do Mötley Crüe, falou sobre as gravações e cada um dos integrantes. Werman, que hoje está aposentado do show business, foi franco em seus comentários.

“A banda era muito jovem e essa energia pode ser sentida no álbum. No geral, foi bem tranquilo e a criatividade rolou principalmente com Tommy Lee e Mick Mars. Tommy era praticamente um adolescente, mas era o único que dominava totalmente seu instrumento. Apesar de Mick ser um grande músico, tivemos um certo trabalho ao encontrar o timbre certo e fazer com que os fills de guitarra fizessem sentido. Me lembro bem disso.

“Nikki Sixx era o cara mais focado e sabia exatamente o que queria. Apesar de ter composto praticamente o álbum todo, ele não sabia tocar direito e não parecia ter talento como instrumentista. Eu até me perguntava ´Por que esse cara quis tocar baixo?’. Com o passar dos anos, porém, tenho que admitir que ele se tornou um bom baixista. Básico, porém sólido. Vince Neilera o cara que passava a noite em festas bebendo e chegava no fim da madrugada para gravar os vocais. Não me lembro dele se envolver no conceito do álbum”.

Shout at the Devil é até hoje considerado o álbum que catapultou a carreira da banda, apesar de Dr. Feelgood ter sido o álbum mais vendido do Mötley Crüe.

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish