Obituary: os 29 anos de “Cause of Death”

by Flávio Farias

Em 19 de setembro de 1990, o OBITUARY lançava o segundo disco de sua carreira. Os três primeiros lançamentos da banda são considerados como os clássicos pelos fãs do material mais old-school que a banda produziu em seus primórdios. E “Cause of Death” de fato, é um clássico.

A banda vinha do excelente disco de estreia, “Slowly We Rot” e os caras queriam manter o pique no alto, coisa que não seria tão difícil para o OBITUARY. Este seria o único disco em que o guitarrista James Murphy participaria, E ele será muito citado neste texto pelo seu trabalho executado em “Cause of Death“.

Os caras foram novamente ao “Morrisound Recording“, famoso estúdio localizado em Tampa, Flórida e mais uma vez com Scott Burns na produção, tendo a própria banda co-produzindo a obra. E de lá saíram com essa pedrada sonora.

Temos a abertura com “Infected“, com sua intro linda e pesada. Com riffs mais cadenciados nas estrofes e ficando veloz e agressiva no refrão, ela tem um solo bem trabalhado. Belo início.

Body Bag” é uma que nasceu clássica e sempre está presente no setlist atual da banda. Ela tem um início mais cadenciado, com os bumbos duplos de Donald Tardy se destacando e no meio ela fica veloz, descambando para o Death Metal brutal, sendo convidativa a um moshpit. Perfeita.

Chopped in Half” é outra clássica e obrigatória ao vivo até os dias atuais. Aqui ela tem uma levada bem Thrash Metal. A versão de estúdio é ótima, mas particularmente eu prefiro a versão ao vivo, ficou mais brutal com um andamento menos rápido. Mas aqui é tudo old-school e funciona bem deste jeito.

Circle of Tyrants” é um cover do CELTIC FROST e uma das primeiras músicas que eu escutei o OBITUARY tocando. Uma excelente versão Thrash Metal onde as palhetadas da dupla Trevor Peres e James Murphy mandam muitíssimo bem.

Dying” é outra música clássica, que também conheci tocada ao vivo, ela é praticamente instrumental, tendo o vocal de John Tardy adentrando a música somente na parte final. E a parte que cabe aos músicos é bem dividida, tendo a primeira parte com riffs mais carregados e a segunda parte descambando para o Thrash Metal bem rápido, nos lembrando o SEPULTURA da fase “Beneath The Remains“, e na parte vocal o som se arrasta, com influencias Doom Metal. Excelente som.

Find the Arise” é a minha segunda faixa favorita de toda a carreira da banda (perde apenas para “Bloodsoaked“, do álbum anterior) e aqui ela é suja, tosca, mal produzida. Ao vivo os caras melhoraram ainda mais a música, que segue rápida e agressiva como no disco, mas muito melhor executada. 

Temos a faixa título que começa com um solo bastante melódico de James Murphy. Uma música mais arrastadona na sua primeira parte, ganhando riffs mais modernosos a partir da segunda parte. Uma boa música.

Memories Remain” é comandada pelas palhetadas da dupla PeresMurphy, com quebradas repentinas no andamento, ficando algumas partes mais Doom.

Turned Inside Out” fecha a obra de maneira espetacular e é outra das minhas favoritas da carreira do “Bitu“. Com riffs cavalgados e ultra pesados, ficando rápida em duas oportunidades:  na parte do primeiro solo e mais a frente, ela é outra que se faz obrigatória ao vivo. E eu também prefiro a versão ao vivo, obviamente, os caras ganharam rodagem e ficaram mais técnicos com o passar do tempo.

E assim se dá este excelente play, que juntamente com o anterior e o sucessor formam a santíssima trindade do OBITUARY. Temos pouco mais de 41 minutos de muita agressividade, peso e músicas bem executadas , num disco que tem sim muitos méritos. Chegou a ocupar a honrosa 15ª posição na “Billboard 20“. E vamos celebrar esta data, desejando uma longa vida ao “Bitu“.

Lineup:
Jonh Tardy – Vocal
Donald Tardy – Bateria
Trevor Peres – Guitarra
James Murphy – Guitarra
David Watkins – Baixo

Tracklisting:
01 – Infected
02 – Body Bag
03 – Chopped in Half
04 – Circle of the Tyrants
05 – Dying
06 – Find the Arise
07 – Cause of Death
08 – Memories Remain
09 – Turned Inside Out

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish