Arch Enemy: os 18 anos do lançamento de “Wages of Sin”

by Flávio Farias

Em 25 de abril de 2001, o ARCH ENEMY lançava o seu quarto full-lenght. E este é especial, pois além de ser considerado por muitos como o melhor da carreira da banda, marca a estreia de uma mulher nos vocais. E não era qualquer mulher, era nada mais, nada menos do que Angela Nathalie Gossow.

A moça que tempos atrás, fazendo entrevista com o guitarrista Michael Amott, deixou uma demo com sua performance. E após a saída do vocalista Johan Livia, que havia gravado os três discos anteriores, Angela fez um teste e foi aprovada, pouco tempo antes de a banda entrar em estúdio para gravar o cd homenageado de hoje.

E em dezembro de 2000, na companhia do produtor Fredrik Nordstörm (N. do R: Michael Amott foi co-produtor) , a banda adentrou ao “Studio Fredman“, em Gotemburgo. O disco foi mixado pelo mago Andy Sneap.

Colocando a bolacha para rodar, temos em “Enemy Within“, um piano com tons dramáticos da introdução logo cede espaço para essa mistura maravilhosa que é o som dos caras: um pouco de Thrash Metal, com muitas partes melódicas e o vocal gutural de Angela Gossow. Era a prova de que a loira era a escolha ideal. Uma música épica.

Burning Angel” chega densa, pesada, mas sem deixar de lado as partes melódicas. Outra excelente música.

https://www.youtube.com/watch?v=8A5I16obsBQ

Heart of Darnkess” começa com riffs simplesmente maravilhosos, talvez em minha modesta opinião só comparados aos riffs de “My Apocalypse“, que seria lançada no álbum “Doomsday Machine“, o mais brutal lançado pelo ARCH ENEMY. Tudo aqui nesta música é perfeito, inclusive a quebrada no meio da música, com a guitarra sem distorção, mas logo retomando o peso e o som moderno que Mr. Michael Amott sabe fazer como ninguém.

E “Ravenous” é uma música que significa muito para mim. Além de ser uma excelente música, rápida, pesada e com direito a duetos de guitarra, esta foi a primeira música do ARCH ENEMY que eu escutei. Isso foi lá nos idos de 2004 e eu me lembro que pirei naquele som e isso me fez buscar material da banda. Aqui eu destaco a performance do baterista Daniel Erlandsson, o cara destrói tudo.

Está difícil escolher a melhor música deste álbum, mas quando “Savage Messiah” toca, eu já não tenho mais dúvidas acerca da minha escolha. E é ela, por todo o clima sombrio, pelo peso, pelo timbre das guitarras, pelos riffs sensacionais, pelo fato de ser densa. E o refrão urrado pela linda e competente Angela não me saem da cabeça.

Dead Bury Their Dead” traz de volta a pancadaria e velocidade da banda. Novamente eu destaco a performance de Daniel Erlandsson, ainda que Micahel Amott faça de tudo nas guitarras para não ficar atrás. É cada riff mais cavalar que o outro. E o que dizer do solo, simplesmente estupendo.

Web of Lies” é outra que faz o disco permanecer com nota 10 em meu conceito. Aquela virada de bateria de Daniel Erlandeson é tudo de bom. O andamento da música não tão rápido quanto da anterior, ela é até mais cadenciada, mas gigantesca. O refrão, espetacular.

The First Deadly Sin” tem o riff da introdução que me lembra muito o riff da música “Diva Satanica“, digo isso porque conheci a segunda música antes. Mas as semelhanças param ai, porque do ponto de vista da criatividade, “The First Deadly Sin” é muito, mas muito superior do que todas as outras deste álbum. Ela fica veloz, tem várias quebradas no seu andamento, volta a ser veloz e assim ela vai até o final. E como eu citei a música “Diva Satanica“, esta se encontra presente no cd bônus deste disco aniversariante.

Behind the Smile” é uma música que eu conheci antes de escutar este álbum, pois, como o leitor já sabe, eu conheci a banda quando escutei, na verdade, eu assisti ao vídeo de “Ravenous” e o primeiro disco da banda que eu comprei, fora o sucessor deste, “Anthems of Rebellion” e no CD bônus, tem uma versão ao vivo desta música. E ela é sensacional, tem um ar melancólico, mas é pesada e ganha aquele solo repleto de melodias, como a banda faz com maestria ímpar.

Pausa para nossos pescoços, “Snoubound” é uma música instrumental bem bonitinha e inofensiva, tocada apenas na guitarra. Depois de tanto barulho, era hora de dar uma pequena relaxada. E logo chega a música que fecha a versão original do disco, “Shadows and Dust” que é uma música ok, não é ruim, só é um pouco abaixo das demais.

E como bônus track, entra “Lament of Mortal Soul“, que eu já conhecia do disco bônus do “Anthems of Rebelllion“. Outra música fantástica, poderosa, com um peso imenso, densa e com riffs que se destacam pela qualidade. Aliás, Michael Amott com certeza está entre os melhores riffmakers da cena Metal, não só da atualidade, mas de todos os tempos. Fechando assim, um disco nota mil.

Temos ainda o cd bônus que conta com covers de JUDAS PRIEST (“Starbreaker“), IRON MAIDEN (“Aces High“), EUROPE (“Scream of Anger“) e outras músicas autorais. Vale a pena conferir.

A minha relação com este álbum é ótima, porém, vergonhosa. Explico o porque do “vergonhosa”: eu simplesmente não tenho a versão física do CD, somente a digital, a qual eu tenho uma cópia no meu cartão SD e um backup no HD externo. Por diversas razões, sempre adiei a compra deste disco, mas em breve prometo comprar e guardar junto a minha coleção de CD’s, mesmo que isso implique em eu escutá-lo poucas vezes, pois a nossa vida corrida não nos permite tal “luxo”. Por ora, vou escutando mesmo pelo smartphone. Foi um disco que eu escutei muito durante um determinado tempo e por isso, eu me sinto bem a vontade para escrever sobre ele, que merece e muito todos os louros. Ainda está bem novinho, 18 aninhos somente, mas claramente vai envelhecendo bem, obrigado. E ele é digno de cada palavra escrita por este redator.

Lineup:

Angela Gossow – Vocal

Michael Amott – Guitarra

Cristopher Amott – Guitarra

Sharlee D’Angelo – Baixo

Daniel Erlandsson – Bateria

Tracklisting:

01 – Enemy Within

02 – Burning Angel

03 – Heart of Darkness

04 – Ravenous

05 – Savage Messiah

06 – Dead Bury Their Dead

07 – Web of Lies

08 – Fisrt Deadly Sin

09 – Behind the Smile

10 – Snow Bound

11 – Shadows and Dust

12 – Lament of a Mortal Soul (bônus track)

DISC 2:

01 – Starbreaker (JUDAS PRIEST cover)

02 – Aces High (IRON MAIDEN cover)

03 – Scream of Anger (EUROPE cover)

04 – Diva Satanica

05 – Fields of Desolation

06 – Damnation’s War

07 – Hydra

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish