5th Machine: Lançado 3º single “5th Machine”. Conheça o conceito lírico.

by Jennifer Kelly

A banda paulista de Hard Rock 5th Machine lançou seu álbum de estreia, “Back in Time”, no dia 29 de junho, pela gravadora dinamarquesa Lions Pride Music, mostrando um trabalho forte, pesado e coeso. O primeiro single lançado foi “The Song of a Beggar”, em formato de lyric vídeo, em maio e o segundo “The Wind”, seu primeiro vídeo clipe, às vésperas do lançamento do debut . Agora, a banda disponibiliza o terceiro single “5th machine”, a faixa homônima, que abre o álbum, sendo este o segundo vídeo clipe da banda.

Vamos conhecer a agora a história por trás da canção. O vocalista Fábio Cabral nos conta sobre ela: “Quando o Guma enviou o riff da introdução, pesado, poderoso,  direto e com andamento crescente, a imagem de uma locomotiva saltando à frente dos nossos olhos foi inevitável. O riff já nascia clamando por ser a música homônima. Já era madrugada, quando o Tiago na hora se levanta e pega em sua guitarra indo direto para frente do computador dar andamento àquilo que de maravilhoso iniciou! O Tiago escreveu os primeiros versos da letra: “Rails”! (trilhos!) “que precisava ser um brado”. 

Um álbum de estreia, com uma música homônima ao nome da banda deveria soar, no mínimo grande, no sentido de seguir os trilhos dos gigantes da história da 5th Máquina que cediam o nome a nossa banda”. 

Fábio Cabral continua: “A energia contida, por si só na ideia, já era combustível suficiente para a inspiração, pois a “5th Machine” – assim como a “Back in Time” – fala sobre a realização de um sonho, mas de uma maneira palpável. Trata-se da metalinguística: “A banda falando sobre a banda”, sobre o seu surgimento!”

De acordo com o guitarrista Tiago Fusco, faltava algo: “Surgindo a todo vapor, como um trem que corre nas veias de quem a puder ouvir, nela materializamos o símbolo da nossa cápsula do tempo, onde buscando as influências dos anos 80 e 90 e trazendo-as para o nosso universo com as nossas expressões musicais”.

“5th Machine” foi a primeira música enviada ao produtor Thiago Bianchi, para avaliação, nascendo durante a produção do álbum, sendo portanto, o carro chefe.

Nesta faixa é onde ocorre o maior diálogo entre todos os instrumentos: vocal agressivo, com viradas fortes de bateria, solos de baixo, solos de guitarra compartilhados e feitos em harmonia, em um jogo de perguntas e respostas. O solo de teclado traz um timbre de órgão, inspirado em Jon Lord, fornecendo um clima fantasmagórico fazendo alusão às lendas do vilarejo de Paranapiacaba, lugar de inspiração para a concepção do Álbum, ser mal assombrado – Um trem Fantasma viajando através do tempo!

5th Machine – 5th Machine

Rails!
Trilhos!
Running through my veins
Correndo em minhas veias
No time to feel the pain
Não há tempo para sentir dor
No time to lose the game
Sem tempo para perder o jogo
Or any kind of bullshit
Ou qualquer tipo de besteira

Rails!
Trilhos!
Slashing like a blade
Cortando como uma lâmina
Through the dancing haze
Através da névoa da dança
Steaming hot I´ve came
Fumegante eu vim
It’s time to face this train!
Está na hora de enfrentar este trem!

In the middle of the night
No meio da noite
The thunderbolt will cut the sky
O raio cortará o céu
And the flashes will remain
E os flashes permanecerão
And then it will rise again
E então ele subirá novamente

5th Machine
5ª Máquina
Vapor, coal and flames
Vapor, carvão e chamas
5th Machine
5ª Máquina
Faster heavy n’louder
Mais rápido, pesado e mais alto
Like a locomotive we shall ride
Como uma locomotiva, cavalgaremos

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish