Six Feet Under: 19 anos de “True Carnage”

by Flávio Farias

Em 06 de agosto de 2001, o SIX FEET UNDER lançava o seu quarto disco de inéditas e o quinto no geral. E hoje vamos tratar de “True Carnage”, um disco em que a violência e a brutalidade corre pelas veias.

A banda tinha acabado de lançar o álbum de covers, “Graveyard Classics”, no qual bandas como EXODUS, JIMI HENDRIX, SCORPIONS, DEAD KENNEDYS, AC/DC, DEEP PURPLE, VENOM, entre outras foram homenageadas. E era hora de apresentar um disco de inéditas para suceder o excelente “Maximum Violence”, de 1999.

Com a formação estabilizada já há alguns anos, o quarteto foi ao “Criteria Studios”, em Miami, com produção de Brian Slagel e da própria banda. Ice-T gravou sua parte a partir do estúdio “The Hit Factory”, em Nova Iorque. Vamos discorrer sobre o resultado que tivemos com “True Carnage”.

Impulse to Dismembowel” é música em puro estado bruto. Se alguém me pedir para apontar a música mais brutal do Metal, eu aponto esta, que é uma das minhas favoritas do SIX FEET UNDER em toda a carreira. Ela é arrastadona por quase toda sua extensão, tendo um breve momento mais rápido. Espetacular.

Outro petardo é a música que vem a seguir: “The Day the Dead Walked“, que tem um andamento mais rápido, porém, bem rústico, como o som da banda de Chris Barnes se especializou. “It Never Dies” dá sequência a playlist simplesmente matadora que é o aniversariante de hoje. Este som é um desafio ao ouvinte manter o pescoço inerte a essa desgraceira sonora.

The Murders” começa com uma levada de bateria carregada de Groove, mas quando o vocal brutal de Mr. Barnes entra, tudo fica mais sombrio e é neste clima que a música se desenvolve. “Waiting for Decay” chega alternando partes rápidas com outras mais cadenciadas e brutalidade aqui não faltam. E bons riffs também.

One Bullet Left” chega trazendo alguns dos melhores riffs do play e uma parceria inusitada: o rapper Ice-T participa e muito embora o rap seja um estilo abominável para este redator que vos escreve, até que não ficou ruim. Talvez seja pelo esforço do restante da banda tenha ofuscado a participação do rapper. Uma verdadeira pedrada no ouvido.

Knife, Gun, Axe” nos brinda com mais riffs matadores em uma música densa, pesada… E brutal!
Quer mais riffs impressionantes? Então escute a música a seguir, “Snakes“. Outra música mais arrastadona, onde a brutalidade come solta. Chega a ser absurdo, no bom sentido da palavra, a pancadaria que os caras conseguiram tirar de som neste play. E esta música é só um dos pontos altos.

Sick and Twisted” começa bem arrastada, com muito peso, mas em certo momento tem riffs que muito se parecem com os da faixa anterior. Não chega a ser ruim, mas também não contagia. A curiosidade desta música [e a participação da vocalista Karyn Crisis, no que acabou sendo o primeiro dueto entre um homem e uma mulher na história do Death Metal.

Cadaver Mutilator” começa arrastada e logo logo a velocidade toma conta de tudo e a música vai intercalando nestes dois andamentos. “Necrosociety” é bem arrastadona, quase Doom, com clima bem sombrio e assim fechamos um play sensacional.

Em 34 minutos mortais temos uma banda inspirada e que destila um Death Metal de altíssima qualidade. E que merece todos os elogios nesta data de celebração. Por isso desejamos uma longa vida ao SIX FEET UNDER e que possamos vê-los em ação tão logo essa pandemia nos deixe viver normalidade, ainda que seja um “novo normal”.

True Carnage – Six Feet Under
Data de lançamento – 06/08/2001
Gravadora – Metal Blade

Tracklisting:

01 – Impulse to Dismembowel
02 – The Day the Dead Walked
03 – It Never Dies
04 – The Murderers
05 – Waiting for Deacy
06 – One Bullet Left
07 – Knife, Gun, Axe
08 – Snakes
09 – Sick and Twisted
10 – Cadaver Mutilator
11 – Necrosociety

Lineup:
Chris Barnes – Vocal
Steve Swanson – Guitarra
Terry Butler – Baixo
Greg Gall – Bateria

Special Guests:
Ice-T – Vocal em “One Bullet Left”
Karyn Crisis – Vocal em “Sick and Twisted

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish