Roadie Metal Na Fronteira do Desconhecido #35: Gothic Metal

by Jéssica Da Mata

Nesta edição do Roadie Metal na Fronteira do Desconhecido você irá conhecer melhor sobre o controverso “Gothic Metal”. Afinal o que faz uma banda ser considerada gótica? Talvez uma vocalista linda vestida de preto com maquiagem? Na verdade, não é bem assim.

Antes de começar a falar sobre o Gothic Metal, é necessário citar a subcultura gótica, também conhecida como “Dark”, que é uma das várias tribos urbanas. O início foi no final década de 1970 e início da década de 1980 no Reino Unido. O gótico está associado a gêneros musicais com temas que envolvem melancolia, romantismo sombrio, literatura gótica, entre outros. Surgiu no Underground no início de 1980 em clubes noturnos da Inglaterra e se consolidou como pós-punk. Além disso, o visual é muito importante e tem vários estilos como gótico tradicional, lolita, cyber, entre outros.

Histórico

Em 1970, o Black Sabbath lançou o disco de estreia, que alguns consideram como o primeiro de “rock gótico” pela temática e efeitos sonoros. Outras bandas como Deep Purple, Mercyful Fate e os vocalistas King Diamond e Danzig também tem algumas músicas com esse tipo de temática.

A banda Celtic Frost, parece que também trouxe de uma certa influência para a onda gótica e sinfônica no Metal, principalmente no disco “Into The Pandemonium”. Eles foram a primeira banda de Metal extremo com vocal feminino em suas músicas. O álbum “To Mega Therion”, é brutal, sombrio e sinfônico. Algumas faixas tem vocais femininos operísticos que pode ter sido muito importante para o início do Gothic Metal.

O nome “Gothic” entrou para o Metal com o lançamento do álbum “Gothic” do Paradise Lost em 1991. Podem ser considerados os pioneiros deste estilo bandas como My Dying Bride, Anathema, Paradise Lost, Tiamat, Type O’ Negative, Lacrimosa (provavelmente a mais fiel do estilo), The Gathering, Tristania, Cradle Of Filth e Theatre Of Tragedy, que combinou vocal feminino limpo e vocal masculino agressivo, que posteriormente foi adotado por inúmeras bandas.

Características

O Gothic Metal é um estilo abrangente. As bandas tem características comuns e distintas ao mesmo tempo. A Allmusic definiu o gênero como uma fusão da atmosfera gótica com a agressividade do Heavy Metal. Mas em bandas de Gothic Metal você sempre irá encontrar uma temática e atmosfera sombria. A banda que une perfeitamente os elementos da cena Gótica e o Metal é a banda Lacrimosa, que na minha opinião é a principal referência deste estilo.

Existe também uma grande variedade de estilos de vocais, como os de Dani Filth (Cradle Of Filth), Morten Veland (Tristania) que são influenciados pelo Black Metal, os vocais limpos de Johan Edlund (Tiamat), Peter Steele (Type O’ Negative), Tilo Wolff (Lacrimosa) e os diversos vocais femininos como de Liv Kristine (Theatre Of Tragedy), Anneke Van Giersbergen (The Gathering), Vibeke Stene (Tristania) e muitos outros.
As letras combinam temas dramáticos, românticos e sombrios.

Algumas bandas bem sucedidas como por exemplo (Evanescence, Within Temptation, Nightwish, Lacuna Coil e After Forever) não podem ser consideradas uma banda de Gothic Metal, mesmo que haja algumas características, sendo que algumas dessas citadas acima pertencem ao gênero Symphonic Metal.

Em uma entrevista para o site Hall Of Metal, Tuomas Holopainen (tecladista e líder da banda Nightwish disse: “Eu não considero o Nightwish uma banda de Gothic Metal. Esse estilo musical é característico do Paradise Lost, Type O’ Negative ou Lacrimosa no começo de suas carreiras. Talvez pudéssemos ser Gothic Metal pelo conteúdo de nossas letras, mas mesmo assim eu penso que não temos nada a ver com o estilo.”

Cenário Brasileiro do Estilo

Há algumas bandas brasileiras que podem ser consideradas Gothic Metal ou Gothic Rock, esses são alguns nomes:
– Silent Cry
– Aldren Liebe
– Seeds of Destiny
– Angel’s Fire
– Lilium Vitae
– Plastique Noir
– Arte No Escuro

Recomendação de álbuns

Lacrimosa: todos os álbuns
Tiamat: The Astral Sleep (1991), Clouds (1992), Wildhoney (1994), Prey (2004)
Moonspell: Wolfheart (1995), Second Skin (1997), Sin/ Pecado (1998), The Butterfly Effect (1999), Darkness and Hope (2001)
Paradise Lost: todos os álbuns
Theatre Of Tragedy: Velvet Darkness They Fear (1996), Aégis (1998)
Tristania: Widow’s Weeds (1998), Beyond The Veil (1999), World Of Glass (2001), Midwintertears (2005)
The Sins Of Thy Beloved: Lake Of Sorrow (1998), Perpetual Desolation (2000)
Type O’ Negative: Bloody Kisses (1993), October Rust (1996), Life is Killing Me (2003)
The Gathering: Mandylion (1995), Nighttime Birds (1997), If Then Else (2000)

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish