Resenha: Tygers of Pan Tang – Ritual (2019)

by Tatianny Ruiz

Uma das lendas da New Wave of British Heavy Metal está de volta com um novo lançamento, TYGERS OF PAN TANG, a banda inglesa, acaba de lançar um novo álbum, RITUAL, pela Mighty Music.

O décimo segundo álbum da banda é um trunfo da gravadora liberado neste último dia 22 de novembro, experientes em seus mais de quarenta anos de carreira, Tygers of Pan Tang atualmente conta apenas com Robb Weir da formação original mas o quarteto que o acompanha é apenas uma hélice impulsionando energia ao eixo e três anos após o último lançamento RITUAL é recebido agora com alegria pelo público do heavy metal tradicional.
Um resgate as raízes e uma renovação e TYGERS OF PAN TANG renasce em “Rescue Me” e a alquimia hard/heavy sendo literalmente recuperada, sim, isso ainda soa maravilhosamente bem e as melodias, riffs e vocais na linha oitentista ainda estão tão frescos como deve ser.

Eu não costumo estar muito entusiasmada com lançamentos das bandas da “New Wave…”, muitas coisas apenas entregam uma reprise sem vida em nome do bom e velho dinheiro mas TYGERS OF PAN TANG está exorcizando os maus espíritos e maldito seja você se não acreditar, “Damn You!” é uma faixa tão eletrizante ao ponto de espantar qualquer presença ruim, isso heavy metal puro sangue e Jacopo Meille elevará o vocal ao topo para ressuscitar o que essa elite do metal faz de melhor.

Siga um pouco mais a frente e abra as portas do inferno em “Raise Some Hell” e esta banda estará em seu esplendor soando cortante como uma navalha. O ritual está aberto mas aqui não há nada para temer, entre breves solos e jogos de tempo das guitarras de Robb e Michael acompanhados pelas enfáticas linhas do baterista Craig Ellis este é um dos melhores momentos do álbum e um aperitivo saboroso aos paladares exigentes do gênero. Mas fique mais um pouco, ainda existem alguns demônios para serem degustados e “White Lines” trará luz iluminando uma nova rota para TYGERS OF PAN TANG. Revigorados e tão vivos como nunca esta é uma banda disposta a renascer, mas não para apenas serem um fantasma do passado mas altamente preparados para parear a mesma altura com bandas mais jovens sem perder por um minuto a qualidade de quem entrou neste jogo para ganhar.

Do ritual a guerra e você deverá elevar o volume para “Spoils of War” e ao instrumental sensual desta faixa, baixo e bateria estão em ebulição aqui e Gav Grey gera um peso brutal dando densidade ao contexto de forma inteligente, fato que se repete em “Sail On” com mais cadência, aliás “Sail On” possui um dos mais belos solos deste trabalho.
Outro detalhe que deve ser mencionado sobre RITUAL é a produção, este é um álbum cristalino, os níveis de volume para todos os elementos soam absolutamente perfeitos e não há nada que sobreponha o outro em nenhum aspecto, a arte da capa também é bastante simplista comparado ao passado mas honestamente aquele ditado “quem fala menos faz mais” pode ser severamente empregado neste ponto, TYGERS OF PAN TANG mostra que ainda é possível ser tradicional sem estar ultrapassado e este álbum pode facilmente entrar na lista dos melhores lançamentos do gênero em 2019 sem nenhuma dificuldade.
Destaque para “Destiny” e “Words Cut Like Knives“.

Nota: 10/10

Track listing

1 – Worlds Apart
2 – Destiny
3 – Rescue Me
4 – Raise Some Hell
5 – Spoils of War
6 – White Lines
7 – Words Cut Like Knives
8 – Damn You!
9 – Love Will Find A Way
10 – Art of Noise
11 – Sail On

Membros da banda
Robb Weir – Guitarras
Jacopo Meille – Vocais
Michael Crystal – Guitarras
Gav Grey – Baixo
Craig Ellis – Bateria e Percussão

Facebook|Website|Instagram|Spotify

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish