Top 5: álbuns que marcaram 1986

by Gustavo Troiano

O ano de 1986 com certeza traz discos memoráveis em minha iniciação no Rock. Trago no dia de hoje esses clássicos que com certeza contribuíram em muito, e fizeram de 1986 um ano com muitas inovações e mudanças para muitas bandas.

Metallica – Master of Puppets

Em minha opinião a banda atinge a “perfeição” com esse álbum, certeiro e muito bem produzido, traz o que considero o essencial para um bom disco de Rock; poucas faixas (no caso aqui oito) mas que te dá vontade de ao final do LP, colocar novamente para curtir. Disco essencial para qualquer fã do bom e velho Thrash Metal e Speed Metal da década de 80.

Data de Lançamento: 3 de março de 1986

Gravadora: Elektra

Faixas: “Battery”, “Master of Puppets”, “The Thing That Should Not Be”, “Welcome Home (Sanitarium)”, “Disposable Heroes”, “Leper Messiah”, “Orion (Instrumental)”, “Damage, Inc.”.

Formação:
James Hetfield – vocal e guitarra base
Lars Ulrich – Bateria
Cliff Burton – Baixo e backing vocal
Kirk Hammett – guitarra solo

Van Halen – 5150

Esse sétimo álbum de estúdio do Van Halen realmente é outra obra prima. Foi o primeiro álbum gravado com o novo vocalista Sammy Hagar, que substituiu David Lee Roth, que para ser sincero, prefiro mais o Hagar que o Roth. Apesar da controvérsia associado à substituição de um vocalista lendário, o álbum foi o primeiro da banda a chegar ao topo no ranking de vendas.

Data de Lançamento: 24 de março de 1986

Gravadora: Warner Bros. Records

Faixas: “Good Enough”, “Why Can’t This Be Love”, “Get Up”, “Dreams”, “Summer Nights”, “Best of Both Worlds”, “Love Walks In”, “5150”, “Inside”.

Formação:
Sammy Hagar – vocal, guitarra rítmica
Eddie Van Halen – guitarra, guitarra acústica, teclados, vocal de apoio
Michael Anthony – baixo, vocal de apoio
Alex Van Halen – bateria, percussão

Motörhead – Orgasmatron

Outro petardo de 1986 com certeza esse play de Lemmy & Cia. Esse sétimo álbum de estúdio da banda foi o primeiro com a nova gravadora, além de ser o único a contar com Pete Gill (ex-Saxon) na bateria, embora ele também tenha tocado nas novas faixas gravadas no álbum de compilação anterior de 1984, No Remorse. Esse play traz a banda com um poder de fogo enorme.

Data de Lançamento: 9 de agosto de 1986

Gravadora: A GWR Records Faixas:”Deaf Forever”, “Nothing Up My Sleeve”, “Ain’t My Crime”, “Claw”, “Mean Machine”, “Built for Speed”, “Ridin’ with the Driver”, “Doctor Rock”, “Orgasmatron”.

Formação:
Lemmy – vocal, baixo
Phil Campbell – guitarra
Würzel – guitarra
Pete Gill – bateria

Megadeth – Peace Sells… but Who’s Buying?

Realmente esse fez parte da adolescência, o conheci em 1991, ou seja, cinco anos após seu lançamento. Na época eu, com 13 anos, fiquei fissurado nesse som, primeiro disco do Megadeth que ouvi. Peace Sells… but Who’s Buying? é altamente considerado um clássico e um marco do movimento Thrash Metal, que juntamente com outros álbuns lançados no mesmo período, foi crucial em dar avanço ao que seria o Metal Extremo.

Data de Lançamento: 19 de setembro de 1986

Gravadora: Capitol Records

Faixas: “Wake Up Dead”, “The Conjuring”, “Peace Sells”, “Devil’s Island”, “Good Mourning/Black Friday”, “Bad Omen”, “I Ain’t Superstitious” (Cover de Willie Dixon), “My Last Words”.

Formação:
Dave Mustaine – vocal, guitarra
Chris Poland – guitarra
David Ellefson – baixo, vocal de apoio
Gar Samuelson – bateria

Iron Maiden – Somewhere In Time

Ah, meu disco preferido da fase “Bruce Dickinson”, sexto álbum de estúdio da banda, ele veio um ano após o lançamento do primeiro disco ao vivo, o Live After Death. A temática principal do encarte é baseada no filme Blade Runner estrelado pelo ator Harrison Ford, e as músicas falam sobre as relações do ser humano com o tempo. O álbum é conhecido por ser o primeiro da banda a usar sintetizadores, e quer saber: ficou sensacional. Todo mês ouço esse disco pelo menos uma vez.

Data de Lançamento: 29 de setembro de 1986

Gravadora: EMI

Faixas: “Caught Somewhere in Time”, “Wasted Years”, “Sea Of Madness”, “Heaven Can Wait”, “The Loneliness of the Long Distance Runner”, “Stranger in a Strange Land”, “Déjà Vu”, ” Alexander the Great”.

Formação:
Bruce Dickinson – vocal
Adrian Smith – guitarra, sintetizador, voz de apoio
Dave Murray – guitarra, sintetizador
Steve Harris – baixo, sintetizador e voz de apoio
Nicko McBrain – bateria

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish