The OverAlls: Banda austríaca em apresentação no Smoke Lounge

0
0

THE OVERALLS (Áustria)

O The OverAlls foi formado por Thomas Schrempf e Andi Meller no verão de 2007. Em junho de 2009, eles ganharam o segundo lugar do “Ostrocktrophy”, que é um concurso de bandas na Áustria. No mesmo ano, a banda tocou cerca de 15 shows.
Em 2010, eles foram pra fora da cena regional e tocaram em um dos maiores locais de shows em Graz, na Áustria. Com quase 20 shows naquele ano, a banda começou a criar uma base de fãs no leste da Áustria. No outono europeu, a banda começou a gravar seu primeiro álbum de inéditas num estúdio.
No ano seguinte, o The OverAlls começou a fazer turnês fora do país de origem, a Áustria, e tiveram a oportunidade de ser a banda de abertura para o “Lord Bishop”. A turnê os levou para a Alemanha, os Países Baixos, o Reino Unido e a Hungria. No dia 24 de setembro, a banda lançou seu primeiro álbum “Suit Up” (lançado pela Showtime/Office 4 Music). 2012 foi o ano mais bem sucedido na história da banda até então. A agenda de turnê os levou para Croácia, Hungria, República Tcheca e Brasil. O videoclipe de “Theory of Conspiracy” foi votado entre os 30 melhores vídeos pelo Sessions.de, Drumhead e Soundcheck. O destaque de 2012 foi a primeira visita deles à América do Sul, o Brasil mais especificamente, com o Lord Bishop. 17 shows, nas cidades de São Paulo, Barretos, Marília, Londrina e outras cidades do outro lado do Atlântico. Eles também tocaram em um dos maiores festivais independentes do Brasil, o “Goiânia Noise Festival”, para mais de 2 mil pessoas. A banda então foi destaque na edição brasileira da revista Rolling Stone. Depois da turnê “City Lights” em 2013, na Europa, a banda tirou um tempo pra gravar o próximo álbum.
Depois de shows no Gasometer em Viena e do terceiro lugar no maior concurso de bandas da Áustria, eles começaram a gravar para o próximo álbum. Com o produtor Norbert Leitner, eles criaram o “City of Illusion”, lançado em maio de 2015. Com o segundo álbum, a banda assinou um contrato com o maior selo de música independente do Brasil, a Monstro Discos. Shows no Festival “Two Days a Week” com Hatebreed, Flogging Molly e muito mais foram destaques daquele ano. No fim do ano de 2015, a banda voltou ao Brasil para sua primeira turnê própria na América do Sul.
No verão europeu de 2017, foi oferecida à banda uma oportunidade de fazer outra turnê própria na Hungria, Romênia, Ucrânia, Rússia, Letônia e Lituânia. O The OverAlls também tocou no maior festival de rock da Áustria chamado “Nova Rock”.
No começo de 2018, o baterista Niki Garnter decidiu sair do grupo. Leon Lederer, que já havia feito algumas substituições para o Niki, entrou para a banda como integrante fixo. Com a mudança no line up, a banda começou a trabalhar em novo material. Juntos com o produtor Alexander Schuster, a banda criou o seu terceiro álbum, “SOUL”, no verão europeu de 2018. Ele será lançado em 2019.

Quem, senão o The OverAlls, está fazendo seu caminho por casas de shows e estações de rádio ao redor do mundo todo. Um passo à frente não é longe o suficiente. Então, após dois álbuns de inéditas bem sucedidos, agora é a hora de um novo capítulo para o The OverAlls. O terceiro álbum “SOUL” vem com um som forte e significativo, tocando também a arte visual e o desejo de cantar junto, o que é sem precedentes na história do The OverAlls.

Miracle Cure
https://www.youtube.com/watch?v=__Ny0Mw9klc
Reunion
https://www.youtube.com/watch?v=3Yg–xczPYYbaixista
Parasite
https://www.youtube.com/watch?v=zXXP8eJzdcY
Envy
https://www.youtube.com/watch?v=Apu4aXeqH34
Salvation
https://www.youtube.com/watch?v=AGT7D_osgUk
Tourdocumentation
https://www.youtube.com/watch?v=NtfYHnB_vTM

MALVINA

“A polêmica nova cara do Hardcore nacional. A banda carioca mostra qualidade mesmo no underground e não tem receio de criticar abertamente o cenário Rock brasileiro”
* Érica Mendes (Revista Comando Rock)

Original de Nova Friburgo, interior do Rio de Janeiro, o trio é composto pelos irmãos Vinícius (Voz e Baixo), Bernardo (Voz e Guitarra) e Renato Avellar (Bateria).

Nas influências, além de constar o “ABC” do Punk Rock e Hardcore (Ramones, Bad Religion, Descendents e NOFX) incluem-se bandas como Opeth, Voivod, Nirvana, Propagandhi e King Crimson, o que explica a sonoridade desenvolvida ao longo dos anos.

Em 2010, o Malvina lançou “Claustro”, seu primeiro full-length, de maneira totalmente independente. A recepção muito positiva por parte do público não só brasileiro, fez com que a banda sentisse necessidade de cobrir o lapso da distribuição e divulgação de 2010, e acreditando na necessidade de maior difusão desse álbum, em 2014 o full foi assinado com a gravadora Green Gold Records (EUA).
Com dez faixas, metade em inglês e metade em português, o “Claustro” foi citado e elogiado por veteranos do Hardcore nacional, como Rodrigo Lima do Dead Fish, Phil Fargnoli (CPM 22), Caio Cunha (Raimundos), e André Alves (Nitrominds/Statues on Fire).
No exterior, os estadunidenses do “A Wilhelm Scream” e os canadenses do “Propagandhi” e “Belvedere” já manifestaram seu interesse em dividir os palcos com o Malvina em turnês sul-americanas. Feedbacks positivos e resenhas já vieram de sites, blogs e rádios de toda América Latina, America do Norte, Leste Europeu e Ásia.
Lançado virtualmente em 2011, o EP de 3 faixas “Vomit Juice” resgata a sonoridade do Punk Rock da década de 90. De 2012 a dezembro de 2015, o Malvina apresentou esses 2 trabalhos desde o sudeste ao extremo norte do Brasil, fechando o ciclo com uma tour de 6 shows na Argentina.
O público argentino foi surpreendido com o lançamento de um material inédito nessa turnê, o compacto “Nankeen” de 2 faixas, que foi abraçado pelo selo brasileiro Monstro Discos.
No dia da abertura das Olimpíadas de 2016, o Malvina lançou o Lyric Video de “Scenario”, denunciando as remoções de famílias da Zona Oeste do Rio de Janeiro para as obras de preparação para os Jogos Olímpicos. A denúncia teve grande repercussão nacional e internacional, com releases em sites europeus, estadunidenses e latino americanos, além do apoio da banda canadense “Propagandhi”, que divulgou o vídeo pedindo pra que o público compartilhasse a mensagem.
Depois de mais de um ano concentrados na produção do novo álbum, os gêmeos Bernardo e Vinícius foram, em agosto de 2018, mixar o disco com Jason Livermore no Blasting Room Studios, em Fort Collins, no Colorado.

“Hybrid War”, que sairá em CD e Vinil no primeiro semestre de 2019, e será distribuído por selos da Europa, Estados Unidos, Canadá, Chile, Argentina e Brasil, aborda o processo que levou ao Golpe de Estado de 2016, a destruição da indústria nacional e a ascensão do fascismo no Brasil. A banda parte do conceito da “Guerra Híbrida”, desenvolvido pelo analista político Andrew Korybko, para denunciar o caráter estratégico e nocivo da criminalização do Partido dos Trabalhadores, a divisão da população pelo uso da propaganda política e a destruição dos projetos multipolares que garantiam ao Brasil maior autonomia em relação as políticas econômicas.

Links e Redes sociais:
Facebook – https://www.facebook.com/malvinabr/
Instagram – https://www.instagram.com/malvinabandofficial/
Spotify – http://spoti.fi/1YqtzIa
Deezer – http://bit.ly/1OV5xmY
Rdio – http://on.rdio.com/1X2whXc
Player: http://player.believe.fr/v2/3614595515602
iTunes – http://apple.co/1My7Dpj
Amazon – http://amzn.to/1lFmghP
Google Play – http://bit.ly/1My7Mcp

RIDERS MACHINES

A Riders é uma banda formada em 2010, em Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, por um grupo de amigos que se juntou com intuito de tocar covers, músicas que influenciam até hoje o estilo da banda.

A banda tem sua música ligada ao Hard Rock Clássico e Heavy Metal, e no geral se torna um pouco das principais influências dos integrantes.

Depois da sua criação, a banda passou por algumas mudanças e hiatos, iniciando em 2015 seu processo de composições autorais. Em 2016, a banda lançou seus primeiros singles, “Are you ready for Love?” e “Poison in your Heart”, produzidas pelo estúdio Hammer.

Em 2017 a banda lançou mais dois singles, sua principal canção até hoje, “Pirates” e uma homenagem a um dos espaços que mais ajudaram a banda nessa caminhada, “Freaks Bar”, ambos produzidos, mixados e masterizados pelo Felipe Nareba.

Ainda em 2017 a banda iniciou um trabalho de produção e divulgação com a produtora A SadStory Produções. Em 2019 a banda lançará seu novo trabalho de Estúdio, gravado no Forest Lab, mixado e masterizado pelo Produtor Lisciel Franco.

Mais novidades, e informações em nossas redes sociais:

Instagram: @ridersmachinesband
Youtube: Canal Riders Machines Band
https://www.facebook.com/RidersMachinesBand/

NUCLEI

Nuclei é uma banda de Rock alternativo carioca formada em meados de 2015 por Wallo Guilherme nos vocais, guitarra e teclados, Marlon Vinicius na bateria e Thales Ramos no contrabaixo.
Começando como um projeto de quarto do frontman Wallo Guilherme, a Nuclei ganhou forma e peso com a adição de sua cozinha poderosa cheia de groove e com uma pegada pulsante. A partir disso, a Nuclei começou a circular pelo circuito carioca chamando atenção por sua proposta diferenciada e por explorar novas sonoridades dentro de um power trio.
Com um som pesado recheado de riffs envolventes, vocais hipnotizantes e performances cheias de energia, a Nuclei cria uma experiência sonora distinta que cativa completamente o seu público.

Links:
Spotify: https://open.spotify.com/album/3wsJ5G2I3NNnygajHuMJ9W
YouTube: youtube.com/nucleibr
Facebook: facebook.com/nucleibr
Site oficial: nucleibr.com

THE LAST WHALE

Banda formada por Victor Slaib (guitarra/vocal), Gregorio Carnevale (bateria/vocal), Lucas Alfradique (baixo). O grupo mistura a linguagem do Metal moderno com a intensidade do Post Hardcore, deixando técnica e visceralidade lado a lado, num som extasiante.

Nosso Centro Cultural mantêm uma agenda intensa, com apresentações ao vivo todos os dias. Abrigamos um Pub, estúdio de tatuagem, tabacaria moderna, estúdio musical e dois palcos.
Funcionamos de segunda à sexta a partir das 14H.
Sábados a partir das 21H.
Dê suporte a cultura! Prestigie, aplauda e valorize os artistas independentes.

SERVIÇO:

Data: 18/07/2019

Horário: 20h

Entrada: R$15

Endereço: Centro cultural Smoke Lounge

Rua Ibituruna, 8, Tijuca / 3197-1975

Instagram e Facebook: @smokeloungebrasil