Roadie Metal Bio: Tristania

by Jéssica Da Mata

Considerada uma das maiores bandas do gênero de Doom/ Gothic Metal, Tristania nasceu na Noruega inicialmente com o nome de Uzi Suicide. Os primeiros integrantes foram Einar Moen (teclado e sintetizador), Kenneth Olsson (bateria) e Morten Veland (guitarra e vocal). Após algumas idas e vindas, novos músicos foram integrados a banda: Rune Osterhus (baixo) e Anders Hoyvik Hidle (guitarra). Então em meados de 1996, a banda decidiu que seria o momento certo para gravar uma demo, mas ainda estava faltando alguma coisa. Foi então que Vibeke Stene (cantora lírica e professora de música) foi recrutada para uma participação especial nos vocais, mas após o sucesso da demo “Tristania” de 1997, Vibeke se tornou oficialmente a vocalista da banda.

Após receber boas críticas, a banda se inspirou e gravou o seu primeiro disco “Widow’s Weeds” em 1998 pela gravadora Napalm Records. Este álbum pode ser considerado Symphonic Metal, Gothic/Doom Metal ou todos esses. Todas as músicas deste disco são perfeitas, parece que te leva a outro lugar e te faz querer ouvir novamente. Nota 1000…

Mantendo as mesmas características que fizeram sucesso no primeiro álbum, em 1999 foi lançado o “Beyond the Veil”, provavelmente o mais famoso da banda, superando as expectativas de vendas. Mesmo com a influência do disco anterior, este é bem diferente. As músicas alternam entre vocais guturais e os vocais de anjo da Vibeke Stene, momentos de silêncio e riffs pesados, letras tristes e cruéis. Mais um álbum nota 1000, para mim, estes dois primeiros discos do Tristania são os melhores deste estilo, além de influenciar diversas bandas que vieram depois.

Agora o Tristania tinha a formação perfeita e estava fazendo turnês pelo mundo, mas no final de 2000, Morten Veland resolveu deixar a banda por diferenças pessoais e montou outra banda com as mesmas influências, o Sirenia.

A banda seguiu com as composições para mais um novo álbum, “World of Glass” foi lançado em 2001, Ronny Thorsen (Trail of Tears) foi convidado para gravar o vocal gutural. Mesmo com as mudanças, Tristania se manteve com bastante qualidade com as novas músicas, é uma banda que tem bastante talento e originalidade. Há um equilíbrio bem incomum neste álbum, músicas rápidas e agressivas, além de uma atmosfera “dark” e melódica ao mesmo tempo. Este disco, é mais um daqueles que você vai ouvir todas as músicas e depois ouvir tudo novamente. Durante uma turnê, em 2002, Tristania fez um show único no Brasil.

Após alguns anos e com um novo vocalista Kjetil Ingebrethsen, em 2005 foi lançado o álbum “Ashes”, agora pela gravadora independente alemã SPV GmbH. Este novo trabalho marca uma nova fase da banda, com músicas mais progressivas e poéticas. Este disco tem músicas fantásticas como a Equilibrium que foi escolhida para ser o primeiro clipe oficial da banda, mas se comparado aos outros nota 10, este é 9.

Em 2006, o vocalista Kjetil deixa a banda. Em 2007, foi lançado o álbum “Illumination”, com a participação dos vocais de Vorph, vocalista da banda Samael. Este disco segue a linha do anterior, mas com nota 8.

Em 2007, a vocalista Vibeke Stene deixa a banda por motivos pessoais. No mesmo ano, a banda anuncia a nova vocalista, a cantora italiana Mariangela Demurtas. Em 2008, Svein Terje segundo guitarrista também resolve deixar a banda. Neste mesmo ano, foi escalado um novo baixista, Ole Vistnes, que posteriormente se mostrou apto para ser um dos principais compositores da banda. Em 2009, mais mudanças na formação. A banda convidou o vocalista Kjetil Nordhus (Trail of Tears) para se tornar membro permanente.

Com a nova formação, em 2010 foi lançado o “Rubicon” pela gravadora Napalm Records, bem diferente de todos os anteriores, nota 6,8, na minha opinião.

Em 2013, foi lançado o “Darkest White”, bem melhor que o anterior e com uma forte influência de Black Metal. Nota 7,2.

Para concluir, o Tristania é uma banda, que principalmente nos quatro primeiros discos foi fantástico e inovador neste gênero. Infelizmente, muitas mudanças na formação fez com que o melhor da banda se perdesse, mas deixou um legado importante na cena Gothic Metal.

Formação atual:

Mariangela Demurtas – Vocal (Desde 2007)
Kjetil Nordhus – Vocal (Oficialmente desde 2010)
Einar Moen – Teclado (Desde 1996)
Anders Hoyvik Hidle – Guitarra e vocal gutural (Desde 1996)
Ole Vistnes – Baixo (Desde 2009)
Tarald Lie – Bateria (Oficialmente desde 2010)
Gyri Smordal Losnegaard – Guitarra (Desde 2008)

Discografia:

Widow’s Weeds – 1998
Beyond the Veil – 1999
World of Glass – 2001
Ashes – 2005
Illumination – 2007
Rubicon – 2010
Darkest White – 2013

Gravadora: Napalm Records

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish