Resenha: Grey Daze – Amends (2020)

by Marcos Gonçalves

Antes da morte do vocalista Chester Bennington, conhecido principalmente por seu trabalho no Linkin Park, o mesmo havia anunciado um projeto onde regravaria algumas músicas da sua primeira banda, o Grey Daze. A alegria era imensa, era notável que existia um grande carinho por essas músicas e que coisas boas viriam. Infelizmente, o vocalista cometeu suicídio em julho de 2017, o que praticamente anulou as chances das regravações acontecerem.

Passado algum tempo, com aval da viúva de Chester, Talinda Bennington, a banda ‎– que conta com Sean Dowdell (bateria), Mace Beyers (baixo) e Cristin Davis (guitarra) ‎– anunciou que continuaria com o projeto, onde usariam as gravações originais da voz do vocalista por cima de um novo instrumental. A expectativa cresceu novamente, ainda mais que a banda anunciou alguns convidados especiais, como os guitarristas Brian Head” Welch e James Munky” Shaffer do KornPage Hamilton (Helmet)Chris Traynor (BushHelmetOrange 9MM), Jasen Rauch (Breaking Benjamin)Ryan Shuck (Orgy), além do filho de Chester.

Pois bem, o álbum estava programado para o dia 10 de Abril de 2020, mas por conta da pandemia e outros fatores, a banda adiou o lançamento pra o dia 26 de junho, via Loma Vista Records. Alguns singles, como “What’s In The Eye“, com seu fortíssimo refrão, e a faixa de abertura “Sickness“, foram liberados com antecedência e davam um gostinho do que seria o álbum.

Antes da audição, coloque na cabeça que isso não tem nada a ver com o Linkin Park, as faixas viam Chester mais jovem, ainda aprendendo a ser um artista, então não será nada bom ficar comparando uma banda com a outra. Nem mesmo com o Dead By Sunrise, sua outra banda mais voltada ao Pop Rock. Com o Grey Daze, é apresentado um som mais Alternativo, com algumas pitadas do Grunge e do Hard Rock.

É impossível não se emocionar com algumas faixas, principalmente com as letras, como em “Soul Song“, onde o clipe mostra imagens do filho de Bennnigton, Jaime, com uma letra profunda falando sobre a espera da “liberdade”, que pode ser interpretada de várias formas. Outra que emociona é “Sometimes“, que fala sobre como tudo pode desmoronar em um segundo. Seu videoclipe também emociona, pois simula uma conversa pelo celular com Chester falando a letra da faixa.

Outras faixas mais Pop ainda dão um ótimo contraste ao álbum, como “In Time“, com uma pegada mais balada. Outra nesse estilo é a que fecha o álbum, “Shouting Out“, onde temos um dueto de Chester com Laura LPPergolizzi, com o final emocionante.

O álbum também conta com faixas mais pesadas, como “B12“, que conta com os guitarristas do Korn, inclusive é a mais pesada da audição. “She Shines” também é pesada, mas menos que a anterior.

O contraste entre as faixas é bem desenvolvido, assim como a produção é impecável. Algumas adições de backing vocals para cobrir algumas gravações incompletas e outras não tão bem gravadas da voz de Chester, aparecem com frequência, mas de forma sutil, nada que incomode o ouvinte. Além disso, os arranjos trazem uma roupagem moderna para as faixas. O que fica é a dúvida de como soaria o material se fosse mesmo gravado novamente por Chester, se não fosse sua infeliz partida.

Um álbum com um pouco de nostalgia, fan service, alegria por ouvir a voz do saudoso vocalista e ao mesmo tempo tristeza, pelo mesmo motivo, pois é inegável que ele ainda tinha muito o que fazer por aqui.

Amends – Grey Daze
Data de lançamento: 26/06/2020
Gravadora: Loma Vista Records

Tracklist:
01. Sickness
02. Sometimes
03. What’s In The Eye
04. The Syndrome
05. In Time
06. Just Like Heroine
07. B12
08. Soul Song
09. Morei Sky
10. She Shines
11. Shouting Out

Formação:
– Chester Bennington (Vocais) R.I.P.
Mace Beyers (Baixo)
Cristin Davis (Guitarra)
Sean Dowdell (Bateria)

Músicos adicionais:
Jaime Bennington – vocais em “Soul Song”
Laura LPPergolizzi – vocais em “Shouting Out”
Carah Faye – vocais em “The Syndrome”
Carston Dowdell – bateria em “The Syndrome”
Page Hamilton – guitarra em “Sickness”
Ryan Shuck – guitarra em “In Time”
Marcos Curiel – guitarra em “What’s In The Eye”
Jamie Muhoberac – teclado em “Sometimes” e “Just Like Heroin”
Chris Traynor – guitarra em “Soul Song”, “Just Like Heroin”, “What’s In The Eye” e “Sometimes”
Jean Yves D’Angelo – piano em “Soul Song” e “Morei Sky”
Heidi Gadd – violino em “Soul Song” e “Morei Sky”
Jasen Rauch – guitarra em “She Shines”
Brian HeadWelch – guitarra em “She Shines” and “B12”
James MunkyShaffer – guitarra em “B12”
Brennen Brochard – bateria em “B12”

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish