Pink Floyd: 40 Anos de “The Wall”

by Anderson Frota

Lá nos primórdios de minha paixão por música — e dá para tranquilamente substituir a palavra “música” por ”Heavy Metal”, pois era tudo que eu ouvia e que realmente tinha algum significado para mim nesse tipo de arte — um grupo de amigos inventou de passar um carnaval acampado na praia. Facilitou muuuuito a nossa estadia o fato de, na tal praia, ter uma barraca, de frente para o mar, onde dava para tomar café da manhã. De uma forma meio precária, mas dava. Eu não me lembro se era alguém do grupo que levava as fitas K7 para tocar no som da barraca ou se elas eram do proprietário da mesma, mas sei bem que rolava constantemente Led Zeppelin e Pink Floyd. Do Zeppelin, não consigo me recordar qual era o disco, mas do Floyd eu nunca vou esquecer: era o “The Wall”.

Como foi dito, eu nunca tinha ouvido Pink Floyd antes. Eu só escutava Heavy Metal. Beatles, Stones e quetais só vieram a me despertar interesse bem depois que eu já estava íntimo de Slayer, Venom e Metallica. Sim, é claro que eu já conhecia a música “Another Brick in the Wall Part 2”, mas é porque ela sempre tocava no rádio. Daí, o fato do Floyd ter chamado mais a minha atenção do que o Led Zepellin, naquele momento. A linguagem musical era mais estranha para mim, requeria um pouco mais de atenção para ser absorvida por meus ouvidos doutrinados por outro tipo de batida. Era uma música hipnótica e coisas diversas aconteciam ao seu redor. Explosões, helicópteros, gente conversando, telefones, gritos, tudo emoldurando as composições, ampliando a sensação onírica que a obra do Pink Floyd transmite. Roger Waters não é nenhum virtuoso do baixo, mas é um compositor extraordinário. Sua posição na banda tem paralelo com o status de Pete Townshend no Who: não é o músico mais habilidoso do quarteto, mas é o motor criativo. No Floyd, as ideias de Waters eram ampliadas pelas performances de Nick Mason e — em maior grau — David Gilmour e Richard Wright. Esses dois últimos conseguiam elevar a fusão de beleza e escuridão que caracteriza a música da banda. “Comfortably Numb”, uma das melhores faixas do disco, e de toda a carreira do Pink Floyd, traz, em seu título, a melhor definição para as impressões transmitidas pela audição de seus discos. Não é por acaso que um dos solos mais conhecidos de David Gilmour está justamente nela.

E “Comfortably…” é apenas a cereja do bolo. A coleção de canções de “The Wall” deixa transparecer os motivos pelos quais esse disco, juntamente com “The Dark Side of the Moon”, são trabalhos que conseguem se sustentar em uma apresentação apenas com suas faixas. Não dá para se satisfazer menos com uma sequência com canções como “In the Flesh”, “Mother”, “Hey You”, “Run Like Hell”, “Young Lust”, “Nobody Home” e a já mencionada “Another Brick in the Wall Part 2”, cujas levadas de guitarra e baixo tem uma inusitada proximidade com a Black Music.

A palavra “viagem”, tão banalmente utilizada quando se fala de Rock Progressivo, teve uma definição mais exata para mim a partir daquele momento. Foi-me aberto o interesse por um novo campo musical, um novo universo para ser explorado, com inúmeras bandas para conhecer, das quais eu apenas ouvia falar, tais qual Jethro Tull, Yes, Marillion, etc. As fortes impressões ficaram tão coladas em minha cabeça que, alguns dias depois de ter retornado do carnaval, eu me dirigia para as lojas de discos do centro da cidade, procurando novas coisas do Pink Floyd. Tinha um disco com uma capa bem interessante, com um porco voando, mas isso já é outra história…

Formação

Roger Waters – vocal, baixo

David Gilmour – vocal, guitarra

Nick Mason – bateria

Richard Wright – teclado

Músicas

01 In the Flesh?

02 The Thin Ice

03 Another Brick in the Wall, Part 1

04 The Happiest Days of Our Lives

05 Another Brick in the Wall, Part 2

06 Mother

07 Goodbye Blue Sky

08 Empty Spaces

09 Young Lust

10 One of My Turns

11 Don’t Leave Me Now

12 Another Brick in the Wall, Part 3

13 Goodbye Cruel World

14 Hey You

15 Is There Anybody Out There?

16 Nobody Home

17 Vera

18 Bring the Boys Back Home

19 Comfortably Numb

20 The Show Must Go On

21 In the Flesh

22 Run Like Hell

23 Waiting for the Worms

24 Stop

25 The Trial

26 Outside the Wall

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish