Inspiração x cópia: até onde vai o limite de uma banda se parecer com outra clássica?

by Leandro Costa

Estava vendo um vídeo muito interessante de um canal que eu sigo (e recomendo), o Colectors Room, sobre o Greta Van Fleet, falando sobre o mercado da música hoje em dia e a dificuldade para os roqueiros aceitarem bandas novas (deixarei o vídeo logo abaixo). Ele também aborda sobre as semelhanças muito presente com o Led Zepellin e isso me acendeu uma luz para fazer essa matéria.

Tem 2 bandas citadas no vídeo que se assemelham à sonoridade do Led, O Greta (que consta com 2 EPs e 1 álbum de estúdio) e o Rival Sons (que consta com 6 álbuns), sendo que, segundo o Ricardo Seelig (dono do canal e do site com mesmo nome) diz ter até mais semelhanças com a clássica banda britânica nos 2 primeiros discos. Para ficar justo, colocarei 1 música de cada disco para analisarmos.

Música do primeiro álbum “Before the Fire” de 2009
Do segundo álbum “Pressure and Time” de 2011

Ouvindo atentamente, é clara a influência da banda ao som do Led, tanto pelo instrumental e estrutura da música (viradas de bateria, timbres de guitarra) tanto pela forma de cantar de Jay Buchanan, que apesar de não ter a voz parecida, tem nuances na forma de cantar e um timbre parecido (apesar de sua voz não ser tão anasalada e aguda). E a banda como sabemos se distanciou dessa sonoridade nos outros discos, como podemos ouvir no mais recente trabalho da banda, que mantém a sonoridade calcada nos anos 70 mas com sua própria identidade.

Do álbum “Feral Roots” de 2019

Agora vamos analisar o Greta Van Fleet, com músicas dos seus 3 trabalhos lançados, os 2 EPs e o álbum de estúdio (que na verdade é o que vale mesmo).

Do EP “Black Smoke Rising” de 2017
Do EP “From the Fires” de 2017
Do álbum “Anthem Of The Peaceful Army” de 2018

Podemos ver que, principalmente na “Highway Tune” a semelhança é gritante, pois além das estrutura da música, timbres (de guitarra, bateria, linhas de baixo) serem semelhantes, o vocal de Josh Kiszka é muito parecido com o de Robert Plant. Não só o timbre como a forma de cantar, as nuances (como não lembrar do próprio Plant quando ele solta o “mamma”). Porém, consegui ver alguns traços diferentes nas outras duas músicas, principalmente na “Love Leaver”.

Lembramos também que a banda é nova, com integrantes na casa dos 20 anos, com 1 disco, eles não podem serem tachados tão prematuramente de ser uma cópia do Led Zeppelin ainda nessa altura do campeonato. Como eu disse, consigo perceber traços de influências mais diversas em outras músicas, que se mostrou mais presente inclusive no álbum oficial da banda, lançado em 2018. O que pega para as comparações é o vocal, que queira ou não é o que mais chama atenção do público, pois os holofotes estão majoritariamente em quem canta numa banda, e mesmo assim dá pra perceber algumas diferenças, pois Josh tem uma certa “rouquidão” na voz diferente de Robert, que pode ser mais explorado em futuros álbuns da banda.

Existem outras bandas com sonoridades parecidas, como é o caso da Australiana Airbourne, que inegavelmente tem um som muito parecido com os compatriotas do AC/DC. Ouçam e tirem suas conclusões:

A estrutura da música, os timbres, a forma de cantar, são realmente muito parecidas (se não cópia) do AC/DC. Se a voz de Joel O’Keeffe fosse um pouquinho mais parecida (e já é) seria um AC/DC 2.0, e nesse caso estamos falando de uma banda de quase 20 anos, pois a banda se formou em 2003.

Temos então 3 exemplos claros, que podemos dividir em 2 categorias, as que se inspiram/inspiraram em bandas já consagradas para conquistar o mercado, que é o caso de Rival Sons e Greta Van Fleet (que em minha opinião já demonstra alguns traços de personalidade), e o Airbourne que em minha opinião (pode me xingar à vontade nos comentários, eu não ligo), é praticamente uma banda cover com músicas próprias. Agora se é válido ou não bandas “cópias”, aí já é outra discussão, pois o mercado fonográfico está aí e abraçando os mais variados tipos de som, e sempre tem os roqueiros nostálgicos que gostam e consomem esse tipo de música. Mas também tem os que rejeitam e comparam sempre com a banda “original”, que é o que vem acontecendo com o Greta, explanando às vezes até um “hate” infantil sobre a banda, desmerecendo o talento de tal, pois as 3 que eu citei são talentosas e não devem ser desmerecidas por parecerem ou “serem” iguais a Led Zeppelin, AC/DC (ou seja qual banda for), é aquela máxima, se não gosta, não ouve.

Pra finalizar, vou deixar meus 2 centavos, eu entendo que nada se cria do 0, toda banda tem uma inspiração para começar a tocar, e ela demonstra isso de forma muito forte em seus primeiros trabalhos. Eu só acho um pouco desonesto, se podemos dizer assim, uma banda que estrutura toda sua carreira copiando suas inspirações (temos outros casos como o da banda portuguesa Attic Demons, que é idêntica ao Iron Maiden). Se é pra criar uma banda pra soar exatamente igual a outra, então por que não montar um cover, ou ficar em casa ouvindo os discos da mesma, acredito que nosso cenário precisa de bandas novas, sim com inspirações nas grandes, mas com identidade para escrever pelo menos mais uma linha na história do rock.

Vídeo do Colectors Room que mencionei no início da matéria:

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish