Hidden Treaures: Malice

by Leandro Vianna

País de origem: Estados Unidos
Anos de atividade: 1981 – 1988 e 2006 – ?
Gênero: Heavy/Power Metal

Surgido na cidade de Portland no ano de 1981, pelas mãos do guitarrista Jay Reynolds, o Malice é mais uma daquelas histórias de banda que deveria ter conquistado muito mais popularidade do que conseguiu, mas devido às vicissitudes da vida, acabou apenas por se tornar um nome cult entre os apreciadores de um bom Heavy Metal. Em seus primeiros ensaios, no ano de 1981, contou com, além de Jay, o vocalista James Neal, o guitarrista Kip Doran, o baixista Matt McCourt e um jovem baterista chamado Deen Castronovo, de apenas 16 anos, e que posteriormente se tornaria um dos grandes nomes da bateria na história do Rock/Metal, tocando com nomes como Ozzy Osbourne, Cacophony, Journey e Marty Friedman, dentre outros.

Em 1982, Jay se muda para Los Angeles, acompanhado de um amigo, o guitarrista Mick Zane, e após terem duas músicas incluídas no Vol.1 da coletânea Metal Massacre, ao lado de nomes como Metallica, Cirith Ungol, Steeler e Ratt, James Neal, Mark Behn (baixo) e Pete Laufmann (bateria) também se mudam para a cidade, estabelecendo assim a nova formação do Malice. O fato curioso a respeito desse período, é que seu primeiro show em Los Angeles contou com o Metallica como banda de abertura. Musicalmente, era inegável a influência dos britânicos do Judas Priest em sua sonoridade. Os vocais de James lembravam demais do de Halford, enquanto os riffs de Jay pareciam ter sido forjados por K. K. Downing e Glenn Tipton. Era difícil não se empolgar com o som do quinteto.

Ainda em 1982, mais uma troca de baterista, com a entrada de Cliff Carothers, o que estabilizou de vez a formação do quinteto. O Malice então engata uma sequência de demos, contando com a produção de Michael Wagener (Accept, Dokken, Helloween, Megadeth, Ozzy Osbourne, Testament, W.A.S.P.), conseguindo uma ótima repercussão. A ideia inicial é que essas gravações saíssem como um álbum independente, mas a banda resolveu esperar, já que as ofertas de gravadoras apareciam a todo momento. No fim, acabaram assinando com a poderosa Atlantic, e partiram para o estúdio preparar seu debut.

No dia 19 de agosto de 1985, vem a luz In the Beginning…, seu álbum de estreia. Nele, a banda optou por aproveitar o material já gravado com Michael Wagener, e adicionou mais algumas músicas, produzidas por Ashley Howe, e masterizadas pelo lendário e saudoso George Marino (Dio, Iron Maiden, Metallica, Mötley Crüe, Saxon, Twisted Sister, dentre muitas outras). Não é exagero dizer que essa é uma das grandes estreias dos anos 80, graças ao seu som calcado em Judas Priest, e com ecos de Iron Maiden, Scorpions e Accept. O trabalho da dupla formada por Jay Reynolds/Mick Zane é excepcional, e os vocais de James Neal soam dinâmicos e marcantes. Faixas como “Rockin’ with You”, “Stellar Masters”, “Squeeze It Dry”, “Hellrider” e “Godz of Thunder” são forjadas no mais puro Metal oitentista, e fazem a alegria de qualquer amante do estilo.

Sem perder muito tempo, em 1986 a banda parte novamente para o estúdio, encarando o desafio do segundo álbum, e em 12 de janeiro de 1987, License to Kill é lançado. Produzido e mixado por Max Norman (Armored Saint, Ozzy Osbourne, Loudness, Savatage, Megadeth), e masterizado por Bob Ludwig (Def Leppard, Metallica, Rush, Scorpions, Iron Maiden), o trabalho conta com as participações mais do que especiais de Jaime St. James (Black ‘N Blue, Warrant), Tommy Thayer (Black ‘N Blue, Kiss), Jeff Warner (Black ‘N Blue), e da dupla do Megadeth, Dave Mustaine e David Ellefson, responsáveis pelos backings vocals em “License to Kill” e “Chain Gang Woman”. Mais uma vez temos uma aula de como fazer Heavy Metal, sendo impossível não se empolgar com o álbum como um todo. Na sequência, saem em turnê com o W.A.S.P. nos Estados Unidos, e pela Europa com o Slayer, que divulgava nada menos que Reign in Blood. Essa última se mostra um equívoco, já que o público do Slayer não aceitou muito bem o Malice, devido às diferenças em matéria de sonoridade.

Foi também durante a turnê de License to Kill que os problemas com bebida de James Neal se acentuaram ao ponto de começar a afetar internamente a banda. O resultado foi inevitável, com o mesmo sendo substituído por Mark Weitz, que no ano seguinte foi trocado por Paul Sabu. Ainda em 1987, Jay Reynolds entra no Megadeth, onde fica por 4 meses antes de ser despedido por Mustaine. O Malice ainda chegou a participar da trilha sonora de um filme, Vice Versa, e lançar um EP, Crazy in the Night, mas logo optaram por encerrar as atividades. Da formação clássica que lançou os 2 álbuns, James chegou a sair em carreira solo, mas hoje parece estar afastado da música, Reynolds chegou a formar uma banda chamada Neverland, que lançou apenas uma demo, antes de em 2001 assumir uma das guitarras do Metal Church, onde ficou até 2008 (com um breve retorno em 2012), Mick Zane formou o Monster, nos anos 90, ao lado do baixista Mark Behn, e Carothers, ao que parece, foi outro a se afastar do cenário do Heavy Metal.

Em 2006, para a surpresa de muitos, a banda retorna contando com Reynolds, Zane e Behn, e tendo a inclusão do vocalista Brian Allen (ex-Vicious Rumors) e do baterista Pete Holmes (Black ‘N Blue, ex-Monster, ex-Michael Schenker Group). Faz alguns shows durante o ano de 2007 e volta a sumir do mapa, só voltando a dar notícias em 2011, até que no ano seguinte, para a surpresa de muitos, lançam um novo álbum, New Breed of Godz. Nesse intervalo de tempo, Allen foi substituído por James Rivera (Helstar, ex-Seven Witches, ex-Vicious Rumors) e Mark Behn, que não podia mais dedicar muito tempo a banda, foi trocado por Robert Cardenas (Possessed, ex-Agent Steel).

Em New Breed of Godz o Malice fez uma mescla de faixas antigas com novas canções. Foram regravadas 4 faixas do debut, “Hell Rider”, “Stellar Masters”, “Air Attack” e “Gods of Thunder”, 4 faixas de License to Kill, “Against the Empire”, “Sinister Double”, “Circle of Fire” e “Chain Gang Woman”, e apresentadas 4 inéditas, “New Breed of Godz”, “Branded”, “Winds of Death (Angel of Light)” e “Slipping Through the Cracks”. O que podemos ouvir aqui é uma banda revitalizada, soando ainda mais pesada e mantendo o grande nível de outrora. Infelizmente, após uma turnê de divulgação, a banda volta a sumir do mapa, sem anunciar shows ou novos lançamentos, mas também sem comunicar oficialmente o encerramento das atividades. Infelizmente, em 2016 Mick Zane falece vítima de um tumor no cérebro.

Discografia:

Malice – In the Beginning…
Data de lançamento: 19 de agosto de 1985
Gravadora: Atlantic

01. Rockin’ with You
02. Into the Ground
03. Air Attack
04. Stellar Masters
05. Tarot Dealer
06. Squeeze It Dry
07. Hellrider
08. No Haven for the Raven
09. The Unwanted
10. Godz of Thunder

Malice – License to Kill
Data de lançamento: 12 de janeiro de 1987
Gravadora: Atlantic

01. Sinister Double
02. License to Kill
03. Against the Empire
04. Vigilante
05. Chain Gang Woman
06. Christine
07. Murder
08. Breathin’ Down Your Neck
09. Circle of Fire

Malice – New Breed of Godz
Data de lançamento: 22 de maio de 2012
Gravadora: Steamhammer

01. New Breed of Godz
02. Hell Rider
03. Against the Empire
04. Branded
05. Sinister Double
06. Circle of Fire
07. Stellar Masters
08. Winds of Death (Angel of Light)
09. Air Attack
10. Chain Gang Woman
11. Slipping Through the Cracks
12. Gods of Thunder

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish