Hidden Treasures – La Furia (Brasil)

by Helton Grunge

País de Origem: Brasil
Ano de Atividade: 2008 – 2016
Gênero: Pop Punk/Pop Rock

Hidden Treasures é um quadro semanal feito para mostrar bandas do Underground que poderiam perfeitamente ter entrado para o Mainstream. No texto de hoje falaremos de uma banda nacional que encerrou suas atividades em 2013 e que poderia ter alçado voos ainda mais altos, atingindo de vez o mainstream. O nome da banda que está no quadro hoje é La Furia.

La Furia foi uma banda de Pop Punk/Pop Rock formada em Matão – SP e que iniciou seus trabalhos em 2008 quando cinco amigos do interior de São Paulo decidiram formar uma banda para tocar as músicas que cresceram ouvindo na adolescência e fazerem seus shows por diversão e amor à música. A banda teve início com os irmãos Thiago Carvalho (vocais) e Matheus Carvalho (bateria), Scompa na guitarra, Léo Giannini no baixo e Thales na guitarra. Algum tempo depois, o guitarrista Thales deixou a banda e deu lugar a João Vitor. O primeiro guitarrista acabaria retornando à banda em 2015 para alguns shows finais.

Em 2008 a MTV ainda era muito relevante para a geração de jovens que amava música e ela sempre os influenciava muito. Com os amigos da banda não era diferente. Resolveram, então, colocar em prática uma vontade de se divertir e fazer o som que mais gostavam.

O auge da época era de bandas do estilo chamado Emocore, um Hardcore Melódico com letras mais sentimentais. Bandas como NX Zero, Fresno e Hateen estavam no auge de sua fama aqui no Brasil. Este estilo os integrantes até ouviam e se identificavam um pouco, porém não era o som que pretendiam fazer. Tais bandas com seu estilo melancólico apresentavam letras mais sentimentais, o que não condizia muito com a ideia que os rapazes gostariam de apresentar.

A mensagem que a banda sempre preferiu passar para o público era de positividade, diversão e alegria; então suas influências mais fortes foram de Charlie Brown Jr, Strike e Fofun, trazendo algumas misturas como Ska ao Pop Punk, que era sua sonoridade base.

O diferencial da banda era a animação em seus shows e a vontade de colocar sua identidade em cada música apresentada: independente do estilo original, o cover apresentado pela banda soaria como uma música da La Furia, com todas suas características e influências.

Os ensaios foram acontecendo e logo já decidiram criar suas próprias músicas para passar a mensagem que queriam para o público. No início, a banda participou de vários festivais estudantis e municipais, apresentando sempre seu trabalho autoral e muita originalidade.

EP – Positividade (2010)

1. Até que a noite vire dia
2. Perdição
3. Tirando onda
4. O Futuro é agora
5. Positividade

Com muita dedicação e força de vontade conseguiram gravar seu primeiro EP, chamado Positividade (2010). O EP contou com 5 faixas autorais da banda. Neste trabalho já ficava claro como seriam as músicas da banda e qual o estilo que priorizariam.

Com fortes influências de bandas como Charlie Brown Jr, CPM 22, Blink 182, Green Day e New Found Glory, a banda começou a se consolidar na cena local do interior de São Paulo sendo constantemente chamada para tocar em eventos e Pub’s da região. A sonoridade da banda juntava a atualidade das bandas citadas com referências que cresceram ouvindo, como o Rock Nacional dos anos 80 e 90.

Tendo cada vez mais espaço em festas e eventos da região, a banda começou a se destacar pela energia apresentada no show e pela roupagem diferente que a banda apresentava de clássicos do Pop e do Rock, tanto nacional como internacional. Músicas como Living La Vida Loka (Rick Martin) e Píntura Íntima (Kid Abelha) ganharam bastante destaque e espaço nos shows da La Furia, que sempre trazia estes covers para o estilo da banda, casando com outros covers do show e com as faixas autorais da banda. Este diferencial fez o público gostar ainda mais da banda e fez com que seus shows estivessem cheios e muito animados, tanto no palco como na plateia.

SingleNova Geração (2012)

O auge da banda foi em 2012 quando a banda lançou um single e, junto dele, um videoclipe. O nome da faixa é Nova Geração (2012) e este trabalho abriu ainda mais portas para os trabalhos da La Furia. Foi por meio desde single e deste videoclipe que a banda conquistou reconhecimento nacional ao aparecer no programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo. O programa havia criado um quadro que elegeria uma banda para tocar na abertura do Rock in Rio e a La Fúria conseguiu, no meio de 30 mil bandas inscritas do Brasil inteiro, destacar-se e chegar até as semi-finais, ficando entre as 10 primeiras de todo o país.

O fato de chegarem a flertar com a possibilidade de tocar em um festival de renome mundial como é o Rock in Rio e o fato de terem aparecido em rede nacional apresentando seu trabalho autoral fez com que a banda sentisse que estava no caminho certo e fazendo aquilo que mais amava. Devido ao sucesso do programa, a banda foi convidada para tocar no aniversário da cidade de São Paulo, no Vale do Anhangabau. Lá, a La Furia dividiu o palco com grandes nomes da música nacional, de diferentes estilo, o que deu-lhes uma visibilidade grande na capital. Neste show, a banda viu o público cantar junto suas músicas e percebeu a força que a internet estava ganhando naquele momento, uma vez que seus trabalhos estavam disponíveis na rede para o público ter acesso e curtir.

Aliás, a banda foi precursora e uma das primeiras da região a perceber a força da internet e o poder que ela poderia ter para divulgar o trabalho musical das bandas. Com isso, seu videoclipe passou a ser viralizado e conhecido pelos amantes do estilo que conheciam na La Furia uma nova banda que apresentava muita energia e positividade em seu trabalho.

Álbum – Mil Verões (2013)

1. No Preparo
2. Garota do 36
3. Tarde demais
4. Nobre vagabundo
5. Velha Infância
6. Sexta-Feira
7. Fim de Tarde
8. Mais Além
9. Depois do fim
10. Anjos e Demônios
11. Um brinde a vida

No ano seguinte, em 2013, a banda lançou o primeiro e único álbum completo da banda. O nome do trabalho é Mil Verões (2013) e contou com 11 faixas autorais da banda. Desta vez a banda investiu em qualidade de gravação fazendo com que o disco soasse bem profissional e fosse muito bem produzido. Neste momento a banda realizava seu grande sonho.

Para a divulgação do disco, a banda seguiu fazendo seus shows pela região e apresentando seu trabalho autoral, além de vender seu disco físico nos shows.

Com a morte de Chorão (líder e vocalista do Charlie Brown Jr) a banda começou a dedicar uma parte de seu show para homenagear esta banda que era referência para todos os integrantes desde sua infância e adolescência.

Em 2015 a banda gravou seu último single: uma versão de Malandragem, faixa composta por Frejat e Cazuza e que foi gravada por Cássia Eller. Este single foi o último registro de estúdio gravado pela banda.

A banda seguiu fazendo shows até o ano de 2016 quando cada integrante resolveu seguir seu caminho e deixar a banda. O fim da banda veio naturalmente, levado por questões profissionais e pessoais dos integrantes, mas tudo de forma amigável, sem qualquer briga ou desavença para que o fim acontecesse.

A música era um hobby, uma diversão para a banda, onde cada um colocava tudo de si e fazia com alma, porém não havia condições no momento para que vivessem apenas da música. Com isso e com as pretensões de focarem cada um em sua carreira profissional, optaram pelo encerramento das atividades em 2016.

Os cinco rapazes não queriam que o trabalho musical fosse apenas ficar tocando covers pelos bares e Pub’s da região, sabiam da importância de apresentarem suas próprias músicas para o público. Infelizmente, acabou tornando-se inviável manter a banda e os trabalhos e estudos de cada um. De qualquer forma, tudo o que foi vivido ao longo dos oito anos em que a banda esteve em atividade foi muito intenso e verdadeiro, fazendo com que marcasse muito a vida dos integrantes e do público que acompanhou esta jornada junto da La Furia.

La Furia esteve a um passo do sucesso, a um passo do mainstream, chegou a flertar com ele ao aparecer no programa Caldeirão do Huck e ao tocar em São Paulo – SP no aniversário da cidade, porém, mesmo indo tão longe, decidiram encerrar esta bonita história que foi marcante para quem viveu e acompanhou sua trajetória, seja do palco, seja da plateia.

“O palco e a estrada foram experiências incríveis que marcaram a nossa adolescência, e com certeza, nossa música, de alguma forma, marcou a vida de muita gente também”, disse Thiago Carvalho, vocalista da La Furia.

Formação

Thiago Carvalho – Vocais
Matheus Carvalho – Bateria
Scompa – Guitarra
Léo Giannini – Baixo
Thales (e depois João Vitor) – Guitarra

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish