Conheça o “Milagre Metaleiro” – mais um festival de Metal em Portugal.

by Verônica Mourão

Falar de Metal nas terras lusitanas nos leva para alguns lugares escondidos no interior, aldeias e vales distantes, onde o som alto e sujo podem misturar com uma natureza impecável e vizinhos que aceitam com muito bom grado, o potencial turístico que festivais e apresentações populares trazem para estes lugares. Uma troca justa!

Foi assim que chegamos ao “Milagre Metaleiro” festival de Metal promovido pela associação cultural de mesmo nome, localizado na aldeia “Pindelo dos Milagres”, que pertence a freguesia de São Pedro do Sul, Viseu – Portugal.

O festival tem sua importância histórica e demonstra sua fortaleza impressionante visto que sua primeira chama de vida foi na década de 90 e ao longo de muitos anos foi tomando corpo, desde a favorecer importantes bandas nacionais e comunidade local, mas também evoluir para trazer bandas internacionais.

Com entrada e camping gratuitos, os dois dias de apresentações de bandas tem excelente estrutura do qual inclui alimentação barata, stands para cada uma das bandas, lojinhas de artigos do género, e pasmem, a família e a comunidade toda presente! Há infláveis para as crianças, barraquinhas de brinquedos e espaço para todo e qualquer tipo de pessoa que por ali passar. Absolutamente incrível. Será que algo assim no Brasil funcionaria?

Dos dois dias de apresentações, fui em uma delas, mas foi o suficiente para acreditar que o Metal é mesmo um milagre. Segundo a página do evento, neste lugarejo, cerca de 83% da população aprecia este género musical, o que nos faz acreditar que nem tudo está perdido. Ou é mesmo um MILAGRE!

As bandas foram:

Rhapsody of Fire – banda italiana cabeça de cartaz com um expressivo numero de adeptos, e um show muito animado com seu vocalista que esteve no The Voice 2014, o bonito e afinado: Giacomo Voli . Cloven Hoof que nos permitiu assistir um autêntico british heavy metal inglês com um de seus membros ainda presente desde a formação original, Lee Payne e um adorável vocalista, George Call que nos deixou boquiaberto com o carinho com o público. A cereja do bolo foi o impressionante garoto Luke Hatton, um dos maiores guitarristas que já vi, e tem apenas 28 aninhos. O experiente e o novo se abraçaram de forma genial.

De Portugal, os destaques vão pela experiência e fortaleza dos Attick Demons (Que aproveita o momento para revelar a saída do guitarrista Luis Figueira, por livre espontânea vontade (e desejamos felicidades para a banda e para o artista), a incrível festa e carisma do Folk Viking Metal do Gwydion, que levaram a música e os acessório nórdicos para a loucura da plateia, e o jovem e estiloso grupo de Heavy Metal, altamente inspirado por Judas Priest, o Midnight Priest.

As mulheres também apareceram na figura gothic metal dos Inner Blast, ou do sinfónico Frozen Crown e muitas outras grandes bandas fizeram uma excelente apresentação simples e cheia de energia, sob o calor de verão, a poeira e o bem-estar de estar ali no meio onde se propaga Metal por toda comunidade. Tenho que confessar, ainda não tinha ido num lugar onde o show de Metal pesado contrastava com aquele parque cheio de famílias tradicionais (do bebe à vovó) e todo mundo parecia mesmo bem à vontade.

Bandas presentes:

  • Rapsodhy on Fire – (Itália) – Power Metal Sinfônico
  • Cloven Hoof  (Reino Unido) – Heavy Metal (NWOBHM)
  • Dinasty –  ( Suécia) Metal Melódico
  • Ostrogoth  (Belgica) – Heavy Metal
  • Soujouner – (Nova Zelandia/Suecia) – Black Metal
  • Midnight Priest  -Portugal – Heavy Metal
  • Attick Demons – Portugal – Heavy Metal
  • Gwydion – Portugal – Folk Metal
  • Frozen Crownd –  (Italia) – Power Metal
  • Incursed – (Espanha) – Folk /Viking Metal
  • Lepoka – (Espanha) – Folk Metal
  • Perpetual Night – (Espanha) – Death Metal Melodico
  • Inner Blast  – (Portugal) – Gothic  Metal
  • Last Days of Eden – (Espanha) – Synphonic Metal
  • Lost in Pain – Luxemburgo – Thrash Metal
  • GPS- (banda regional)

As bandas já anunciadas para o ano que vem são:

RAGE (Alemanha), NOCTEM (Espanha), SKELETOON (Itália), NORTHLAND (Espanha), ORION CHILD (Espanha) e TRI STATE CORNER (Alemanha/Grécia/Polónia).

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish